Hospital Municipal tem leitos interditados

Luana Souza

Fale com o repórter

Publicado em: 22/05/2012 - 00:00 | Atualizado em: 01/09/2012 - 17:59

A ala amarela do Hospital Municipal Amadeu Puppi de Ponta Grossa está interditada. Por conta de problemas no telhado, goteiras acabaram encharcando a área. Alguns leitos foram levados para a ala azul, com o objetivo de reduzir transtornos no atendimento.

De acordo com o supervisor dos hospitais da Secretaria Municipal de Saúde, Cláudio George, a população não será prejudicada. “Nós estamos controlando bem a situação. Os leitos da ala amarela eram para ortopedia e cardiologia. Nessa ala, havia mais de 50 leitos e alguns foram encaminhados para a ala azul, não sei dizer quantos, mas posso adiantar que houve uma perda de aproximadamente 30 leitos nessa mudança, pois a ala azul é bem menor”, explica.

O supervisor explica que a Vigilância Sanitária foi chamada para verificar como estava a situação dos leitos e autorizou o fechamento. “Nós vamos refazer o telhado. Devido às chuvas deu alguns problemas no teto. Mas, estamos fazendo orçamento das obras, mas não sei informar o valor e nem prazo para término de execução”, conta.

George conta que após a reforma, a ala amarela voltará a funcionar normalmente. “É o tempo de trocar o telhado e realizar a pintura, depois a situação vai normalizar novamente”, explica.

Segundo o secretário de Saúde, Edson Alves, se acontecer de faltar leitos, os pacientes podem ser encaminhados para outros hospitais da cidade. “Será possível buscar por outros hospitais, como o Hospital Regional, por exemplo,” afirma.

Para o professor Everson Krum, diretor de saúde da Fauepg, entidade que administra o atendimento clínico do Hospital Municipal, mesmo com a abertura de leitos em outra ala, o hospital pode diminuir capacidade de internamentos. “Há uma redução significativa nos internamentos, cabe ao hospital fazer um remanejamento”, conta.

ELEMENTO

Recorrente

No ano passado, o centro cirúrgico do Hospital Municipal também apresentou problemas. Devido à chuva, goteiras acabaram se formando dentro da sala. Na ocasião, alguns procedimentos cirúrgicos tiveram que ser cancelados. Dias depois, uma goteira causada por problemas no sistema de ar condicionado, também acabou fazendo com que o espaço ficasse com o chão cheio de água.

 

Fábio Matavelli


Mesmo com a abertura de leitos em outra ala, o hospital pode diminuir capacidade de internamentos

 

 

 

 

Compartilhar esta notícia

Publicidade

Comentários

Você precisa estar logado para comentar, clique aqui para entrar.
Se você for um novo usuário, clique aqui para se cadastrar.

  • 22/05/2012 - 09:19 - EMER

    Mais uma vez a saúde pública em discussão. O que fazer então? Me entristeço em ver o patrimônio municipal se deteriorando a cada dia. É muito mais fácil prevenir o problema do que depois investir no conserto e manutenção. Quem sai no prejuízo depois? A própria população, principalmente a carente de recursos médicos hospitalares. É para pensar e agir...

  • 22/05/2012 - 09:05 - lopes

    REFORMA??????? Essa gente pensa que o povão é besta? ou é????? o tempo todo fazem reformas,e nunca tem nada reformado! alguem pode me dizer quando foi a uĺtima reforma??? duvido que respondam.