Projeto de coleta de óleo de cozinha é lançado

Paula Schamne

Fale com o repórter

Publicado em: 23/09/2010 - 06:00 | Atualizado em: 02/09/2012 - 17:47


PROJETO Uma das alternativas –  da Pastoral do Mundo do Trabalho - para a reutilização do óleo é a fabricação de sabão

A Câmara de Meio Ambiente e a Coordenadoria de Qualidade de Vida da Associação Comercial e Industrial de Ponta Grossa (ACIPG) realizam na noite de hoje, às 19h30, a assinatura da parceria para o projeto ‘Coleta e Reutilização do Óleo Vegetal’. O projeto que terá início nesta sexta-feira, dia 24, terá diversos parceiros para a viabilização. O Supermercado Tozetto colocará em sua loja da Vila Estrela um totem específico para a coleta do óleo de cozinha; a empresa Ponta Grossa Ambiental S/A fará o transporte do material do Posto de Coleta para a empresa Meridional TEF. Esta fará a filtragem e o processamento do óleo e o encaminhará a Rodonorte que fará testes para utilização como combustível em um de seus veículos. “A concessionária mostrará a viabilidade de utilizar o óleo de cozinha na produção de biodiesel”, explicou a coordenadora das parcerias do projeto, Carolina Tozetto. Para realizar estes testes, a concessionária de rodovias está trabalhando no desenvolvimento de um veículo que fará vistorias nas estradas. “O motor está em construção”, contou a assessoria de imprensa da empresa, destacando que o prazo para que o veículo seja utilizado é de três meses. O biodiesel, proveniente do óleo, é um combustível menos poluente por liberar uma menor porcentagem de partículas de gás carbônico e não emitir enxofre durante a sua queima. Além destes parceiros, a Rádio Mundi fará a divulgação para a população e providenciará o totem que estará no Supermercado da Vila Estrela nesta sexta.

Inicialmente, o projeto terá duração de quatro meses. “A nossa intenção maior é quanto a conscientização da população a respeito da correta destinação do óleo de cozinha e o estímulo à reutilização”, destaca a coordenadora de parcerias. Segundo Carolina, boa parte da população não tem consciência de que ao descartar o óleo nas residências (junto ao ralo da pia ou em vasos sanitários) está prejudicando a si mesmo e também o Meio Ambiente. “Em casa o descarte inadequado do material causa entupimento da tubulação e na natureza o óleo tem um grande potencial de poluição”, explica Carolina. Conforme estudos realizados para a criação da Câmara de Meio Ambiente da ACIPG, cada litro de óleo despejado no esgoto tem potencial para poluir cerca de um milhão de litros de água, o que equivale à quantidade que uma pessoa consome ao longo de 14 anos de vida. Caso o destino seja a rede de esgoto, o óleo também encarece o tratamento do efluente em 45%. “E se reutilizado o material, pode-se agregar valor ao produto”, esclarece Carolina.

Após os quatro meses iniciais, o projeto será reavaliado. “Daí iremos decidir, com a receptividade da população, se expandimos o projeto ”, adianta a coordenadora.

Reutilização e emprego

Outro projeto de reutilização de óleo de cozinha deve ter início nos próximos dias em Ponta Grossa. A Pastoral do Mundo do Trabalho irá realizar junto às comunidades Nossa Senhora de Fátima no Jardim Cachoeira, e Vila São Francisco no bairro de Uvaranas um trabalho para transformar o óleo de cozinha já utilizado em sabão caseiro. “A idéia é dar oportunidade às pessoas desempregadas dessas comunidades”, destacou o coordenador da Pastoral, Eugenio Francisco da Rosa.

Com a transformação, além de integrar as comunidades, a Pastoral irá gerar trabalho e renda para as pessoas desempregadas. O projeto será apresentado na Vila São Francisco, às 16 horas do sábado e na Capela Nossa Senhora de Fátima no domingo às 14h30.

Compartilhar esta notícia

Publicidade

Comentários

Você precisa estar logado para comentar, clique aqui para entrar.
Se você for um novo usuário, clique aqui para se cadastrar.