Paraolimpíadas 2012 usarão bolas fabricadas por detentos no Paraná

Agência Estadual

Fale com o repórter

Publicado em: 10/07/2012 - 16:30 | Atualizado em: 01/09/2012 - 14:07

O Governo do Paraná entregou nesta segunda-feira (09/07) ao Comitê Paraolímpico Brasileiro 400 bolas de futebol com guizo para cegos, que foram produzidas por detentos do regime semiaberto e serão utilizadas nos jogos oficiais das Paraolimpíadas 2012, em Londres (Inglaterra), de 29 de agosto a 9 de setembro.

A bola foi desenvolvida no Paraná pelo técnico do Comitê Paraolímpico Brasileiro Mário Sérgio Fontes e por Roberto Canto, funcionário do Departamento Penitenciário do Paraná (Depen/PR) que coordena o projeto “Pintando a Cidadania”, em São José dos Pinhais. É reconhecida como a única oficial para o futebol de cegos pela Federação Internacional de Esportes para Cegos (IBSA - International Blind Sports Federation).

Estão envolvidos na produção das bolas 71 detentos de três unidades do sistema penitenciário paranaense: Penitenciária Central do Estado (Piraquara), Penitenciária Estadual de Piraquara II e Casa de Custódia de São José dos Pinhais.

“É o resultado de uma parceria que envolve o Poder Judiciário, os executivos estadual e municipal e a comunidade, beneficiando os atletas que necessitam dessa bola para a prática esportiva e pessoas que um dia cometeram um delito, mas que têm o direito a uma oportunidade de ressocialização e reinserção social por meio da profissionalização”, disse a secretária da Justiça, Cidadania e Direitos Humanos, Maria Tereza Uille Gomes.

Segundo Mário Sérgio Fontes – que recebeu as bolas representando o Comitê Paraolímpico Brasileiro –, está sendo firmado entre a Secretaria da Justiça e o Comitê Paraolímpico Brasileiro um acordo que estabelece a produção anual de 3 mil bolas com guizo por apenados do Sistema Penitenciário do Paraná, para uso em competições oficiais nacionais e internacionais reconhecidas pela IBSA.

Para Fontes, o projeto “Pintando a Cidadania” marca um novo momento no esporte para cegos. “Além de fornecer o material para as Paraolimpíadas de Londres, enviaremos bolas com guizo, a partir de agora, para 100 países que necessitam delas para a prática dessa modalidade esportiva”, informou.

PROJETO – O projeto Pintando a Cidadania funciona em São José dos Pinhais, num espaço cedido pelo Poder Judiciário, que encaminha para lá pessoas que recebem penas alternativas. Para o juiz Ricardo Augusto Reis de Macedo, esse projeto é o início da realização de um sonho.

“A produção das bolas é a primeira etapa do projeto. Estamos estabelecendo parcerias para a produção de bolsas e roupas esportivas, além de outras iniciativas, que permitirão ao apenado um espaço importante para o seu aprendizado profissional e a sua ressocialização”, destacou.

“Eu agarrei essa oportunidade e não vou perder a chance de arrumar uma profissão, porque sou pai de família e quero ter a minha liberdade de volta. E com um trabalho tudo fica mais fácil”, afirma J. P. que, após cumprir seis anos de prisão emregime fechado, teve o benefício do regime semiaberto e é um dos envolvidos na produção de bolas com guizo no projeto. “É um orgulho saber que o que estamos fazendo aqui será usado nas Paraolimpíadas em Londres”, disse ele.

A representante do Ministério Público, Márcia Isabele Graf Beninca, disse que o projeto possibilita o acompanhamento do detento, o que é fundamental na implantação de penas alternativas, que só terão eficácia se forem orientadas e cobradas. “Com o projeto, os apenados recebem orientação permanente e têm a possibilidade de se profissionalizarem ao mesmo tempo em que desenvolvem um trabalho social. Ganham eles, ganham os que se beneficiam desse trabalho e ganha a sociedade, que terá de volta uma pessoa reabilitada para o convívio social”, afirmou. Também participou do ato de entrega das bolas o coordenador do Depen, Maurício Kuehne.

Compartilhar esta notícia

Publicidade

Comentários

Você precisa estar logado para comentar, clique aqui para entrar.
Se você for um novo usuário, clique aqui para se cadastrar.

  • 11/07/2012 - 10:16 - benhurchiconato

    O nome correto do evento não é mais paraolimpíadas, e sim paralimpíadas, por determinação do Comitê Olímpico Estadual. A de se destacar que a Paralimpíadas de Londres terá a presença de um ponta-grossense. Carlos Garletti garantiu a única vaga para o evento, numa competição realizada recentemente em Curitiba.