Polícia

Telêmaco registra três homicídios em cinco dias

Edilene Santos

19/04/2011 às 06:00 - Atualizado em 03/09/2012 às 09:55


CRIMINALIDADE
Em Ponta Grossa, um rapaz foi morto a tiros na Vila Dalabona, no domingo

Em cinco dias, três pessoas foram assassinadas em Telêmaco Borba, cidade com aproximadamente 70 mil moradores. Segundo o delegado-chefe da 18ª Subdivisão Policial (SDP), Rubens Miranda Júnior, pelo menos dois casos têm ligação com o tráfico de drogas. Os crimes aconteceram na quarta e sexta-feira da semana passada e no domingo. Para ele, o índice não deve ser visto com uma “explosão da violência” e garante que a criminalidade em geral está caindo no município.

Neste ano, foram registrados quatro homicídios da cidade. “A oscilação na violência existe. Gostaríamos que não tivesse nenhuma morte dessas”, diz o delegado. Ele lembra que assumiu a 18ª SDP em janeiro e apurou que a média mensal de assassinatos, até então, era de três a quatro. “No total, estamos com saldo positivo, pois reduziram os furtos e roubos”, disse. Rubens destaca que o assassinato é um crime de difícil prevenção, pois não há como prever quando e onde vai acontecer.

O último homicídio ocorreu no fim de semana, na Rua Carmo da Mata, Vila Rosa. Wellington Schneider Ferreira, 22 anos, foi encontrado morto dentro da edícula onde morava, nos fundos da casa da mãe, por volta das 13 horas de domingo. Segundo o Instituto Médico Legal (IML), de Ponta Grossa, o rapaz foi morto a tiros, mas testemunhas também teriam observado ferimentos provocados por arma branca.

A família sentiu falta do rapaz na hora do almoço. Foi quando a mãe viu que a porta da edícula estava arrombada. “Familiares acreditam que o crime tenha ocorrido na noite de sábado, momento em que a mãe não estava em casa. Vizinhos também disseram não ter ouvido barulhos estranhos”, informou o delegado.

Rubens disse que a principal hipótese do assassinato de Wellington é o envolvimento dele com o tráfico de drogas. “A mãe sabia que ele era usuário de crack. Disse que o rapaz chegou a trocar até fio de luz por pedras da droga”, contou. Até a tarde de ontem, nenhum suspeito havia sido encontrado.

Outros crimes
A morte de Maycon Rogério Araújo, 22, também teria relação com a venda de drogas. Ele foi assassinado a tiros em plena luz do dia, na sexta-feira, enquanto trabalhava em uma obra, no Bairro Socomim. Maycon chegou a ser socorrido pelos bombeiros, mas morreu pouco depois de dar entrada no Pronto Atendimento Municipal.

A estudante Josiane Cristina Marques Correia, 25, também foi executada a tiros, na quarta-feira passada, a 300 metros do portão da Escola Estadual Luiz Vieira, Bairro São João, onde estudava.

Segundo o delegado, as investigações dos assassinatos de Maycon e Josiane estão bem avançadas e os suspeitos devem ser presos nos próximos dias.

Rapaz é assassinado em PG

O Setor de Inteligência da 13ª SDP, em Ponta Grossa, abriu inquérito para investigar o assassinato de Denis Junior Dias Santos. Ele foi ferido a tiros por volta das 19 horas de domingo numa rua da Vila Dalabona. Denis foi levado ao Hospital Santa Casa, mas não resistiu aos ferimentos e morreu na manhã de ontem. De acordo com o delegado Leonardo Carneiro, ele foi morto com dois tiros.

Logo após o crime, a Polícia Militar esteve no local do crime e várias testemunhas apontaram quem seria o autor. O suspeito teria fugido para Curitiba.

Leonardo lembra que Denis foi indiciado pelo assassinato de Eliton Taques, 19, ocorrido em janeiro. “Não sabemos se os dois homicídios têm ligação, pois não temos conhecimento do real motivo da morte do Denis”, disse.

Publicidade
Enquete

Você teve o fornecimento de água interrompido neste ano?

Publicidade
Flagra

Equilíbrio

Publicidade