Polícia

Mutirão Carcerário analisa concessões de indulto e comutação de pena

01/02/2014 às 00:00 - Atualizado em 31/01/2014 às 19:11

Das Assessorias

Mais de mil incidentes de execução penal de sentenciados presos em penitenciárias ou em carceragens de delegacias de Curitiba, Região Metropolitana e Litoral serão analisados no 1º Mutirão Carcerário de 2014, de 4 a 7 de fevereiro, na Casa de Custódia de Piraquara (CCP).

Pela primeira vez no Brasil, um mutirão vai analisar eventuais concessões de indulto - perdão da pena - e comutação de pena - substituição por uma mais leve - e proferir as decisões a partir dos critérios definidos pela Presidência da República no fim de 2013.

Durante o mutirão, o 26º realizado desde 2011 no Paraná, cerca de 400 incidentes de comutação de pena, 150 de indultos e centenas de outros pedidos de benefício vão ser apreciados pelos três juízes das Varas de Execução Penal (VEPs) da Capital, cerca de 40 servidores do Poder Judiciário e representantes do Ministério Público, da Defensoria Pública e do Departamento de Execução Penal do Paraná (Depen), da Secretaria da Justiça, Cidadania e Direitos Humanos.

Esta é a primeira vez no país que os indultos e comutações de pena estão sendo instaurados diretamente pela Justiça e em ambiente de mutirão carcerário. Anteriormente, os presos que não tinham defensor para fazer pedidos eram prejudicados, além disso, os trâmites eram demorados.

Publicidade
Enquete

Você tem medo de algum animal?

Publicidade
Flagra

Perigo

Publicidade