Dica de Leitura
A HORA DA ESTRELA
O livro "A Hora da Estrela" é uma das obras mais reconhecidas de Clarice Lispector. Através da voz de Rodrigo, um alter-ego de Clarice, é contada a história de Macabéia, uma nordestina de 19 anos, órfã de pai e mãe, que sai do sertão de Alagoas buscando uma vida melhor no Rio de Janeiro. Mais uma vez a autora mostra seu talento criando uma história impactante, dramática e povoada de metáforas. "A Hora da Estrela", na minha opinião, é uma nítida crítica ao preconceito e choque cultural. Além de um desabafo dos conflitos gerados na mente de um escritor. A escrita de Clarice é a prova do poder da mulher. Ela criou uma linguagem própria, que tinha o poder de sondar, através de narrativas simples e do cotidiano, os lugares mais profundos e escondidos da nossa alma. Esse seu jeito único de produzir a escrita a tornou uma das escritoras mais aclamadas da literatura modernista brasileira.

Autora: Clarice Lispector

Editora: Rocco

 

* Quem assina a dica de leitura do Pegaí Leitura Grátis é a escritora e responsável pelo canal Portão Literário, Ale Dossena.

O Auto da Barca do Inferno

Por Ale Dossena*

 

Hoje a dica é de um clássico de Gil Vicente, o primeiro dramaturgo da língua portuguesa. A peça "Auto da Barca do Inferno", encenada pela primeira vez em 1517, traz a história de treze personagens que falecem e chegam a um rio, onde encontram duas barcas: a Barca do Inferno, comandada pelo diabo e um companheiro, e a Barca da Glória, comandada por um anjo. Cada personagem ao chegar, avista primeiro a Barca do Inferno e inicia um diálogo com o diabo. Este, que conhece muito bem cada um deles, age com ironia e sarcasmo, se portando como um juiz e expondo seus fracassos e erros durante a vida. Com vários argumentos, insiste para que entrem na sua barca, mas todos resistem e vários tentam entrar na Barca da Glória e são proibidos pelo anjo. Só alguns salvam-se. O livro foi escrito no século XVI, e apesar da estranheza com o vocabulário e linguística, é interessante perceber, durante os diálogos e julgamentos, que a história é uma sátira à sociedade de Lisboa daquela época.

* Escritora e responsável pelo canal Portão Literário.

A CASA DAS BELAS ADORMECIDAS

Por Ale Dossena

"A casa das belas adormecidas" foi escrito pelo escritor japonês Yasunari Kawabata, ganhador do Nobel de literatura em 1968. É um livro polêmico e de opiniões bem contraditórias. Para o leitor que não tem medo do diferente, é altamente recomendável. O livro conta a história do velho Eguchi que tem 67 anos e descobre, por um amigo também sexagenário, que existe uma casa onde paga-se para dormir ao lado de jovens mulheres virgens. Mas as moças dormiam o tempo todo e casa tinha regras rígidas e não era permitido de forma alguma corromper a virgindade das garotas com relações mais íntimas. Entretanto, era apenas isso que os clientes da casa queriam, a alegria de sentir-se jovem por estar ao lado de uma bela mulher. Muito além de um conto erótico, o livro é um tributo à mulher, uma declaração de amor as mulheres através de descrições poéticas e elogios delicados.