Finanças & Investimentos
Como entender melhor o investimento em renda fixa

Hoje trataremos de algumas questões que pouca gente conhece, mas todo mundo acredita conhecer: Renda Fixa!

                O investimento em renda fixa pode ser separado de 3 formas e possui 2 conceitos fundamentais que serão explicados aqui.

                3 formas de investimento: Podem ser Pós-Fixados, Pré-Fixados e Indexados. Títulos pós-fixados são aqueles que pagam um % de uma taxa, normalmente o CDI. O CDB comum é assim. A poupança também é assim quando a taxa Selic está abaixo de 8,5% a.a. como é o caso atualmente. Hoje a poupança paga em torno de 0,4% ao mês devido aos juros nominais estarem muito baixos. Os títulos pré-fixados são aqueles que o retorno é pré-determinado, como por exemplo: 10% a.a. Os títulos indexados são os atrelados à um índice de preços, normalmente IPCA ou IGP-M. Um exemplo são os títulos Tesouro IPCA (antiga NTN-B) que pagam a inflação somada à uma taxa de juro pré-fixada. Sabendo dessas três formas, somos levados automaticamente aos conceitos-chave:

                2 conceitos: Juros Nominais e Juros Reais

                Esses 2 conceitos são fundamentais para se entender a lógica dos investimentos em renda fixa. O primeiro diz o “quanto” você está ganhando, basicamente o percentual de juros. Já o conceito de juros reais é o “quanto você está ganhando DE VERDADE”: vincula o juro nominal à inflação, para saber qual é a taxa real de crescimento do seu patrimônio. Em alguns momentos existe um abismo entre essas duas taxas. Um exemplo recente dessa dissociação é o quanto rendeu a caderneta de poupança em 2016. Naquele ano, a caderneta rendeu próximo a 8%. É mais do que a própria taxa Selic atual, de 6,75% a.a. A diferença é que a inflação atual está abaixo de 3%.a. enquanto em 2016 a inflação foi próxima a 6%. Ou seja:

Caderneta de poupança

Juro Nominal

Inflação (IPCA)

Juro Real

Em 2016

8,35%

6,29%

1,94%

Em 2017

6,89%

2,95%

3,83%

Isso significa que: apesar da poupança ter rendido mais em 2016, em 2017 a aplicação foi mais vantajosa, uma vez que a diferença do rendimento para a inflação foi maior.

                Hoje temos uma taxa nominal muito baixa, mas a taxa de juros real continua elevada. Com a retomada econômica, a inflação se elevará gradualmente e isso fará com que o COPOM tenha que elevar a taxa Selic, aumentando os juros nominais. O resumo da ópera é: no curto e médio prazo, as taxas nominais continuarão pequenas, portanto um investimento em renda fixa 100% pós-fixada pode não ser atrativo. Como a inflação tem viés de alta no médio prazo, um investimento em ativos de prazo equivalente buscando o “fechamento” das taxas de juros reais pode ser mais interessante. Hoje é possível conseguir ativos bons a taxas médias de IPCA+5% ou IPCA+6% a.a. enquanto o juro nominal “convertido em real” nos dá atualmente IPCA+3,78%.

                Sei que parece complexo, mas é mais fácil do que parece. Na dúvida, consulte o google ou um especialista!