Lições Preciosas
MIMAR NÃO É AMAR!

Dia desses estava na fila do caixa no mercado, quando vi uma criança chorando, ela se deitava no chão e gritava muito, esperneava porque queria um outro brinquedo. O pai tentava acalma-lo, mas quanto mais o pai falava, mais ele gritava.
A mãe que pacientemente estava digitando no celular, por um momento olhou para seu filho e disse irritada que ele pegasse outro brinquedo 
Imediatamente o menino parou de gritar, se levantou e foi buscar o outro brinquedo, enquanto a mãe voltava a digitar em seu celular e o pai se sentindo aliviado com a situação.
Vi um pai refém da tirania de uma criança cheia de vontade! Vi a impotência daquele pai em pegar essa criança cheia de caprichos e vontades e tomar a mão dela e ensinar ela andar no caminho que ela tem que andar.
Vi um pai sem autoridade, um menino grande tentando em vão conduzir um menino pequeno! 
Vi uma mãe preocupada com ela mesma! Parecia outra menina empolgada com seu brinquedinho e pra se livrar logo do incomodo de seu filho gritando, concede o que ele deseja.
Que triste! Além de incompetência em lidar com a situação, e de estarem prejudicando o próprio filho, não estão exercendo o papel que de pais de um futuro adulto amoroso, generoso e promissor. Ao contrário, estão criando um futuro nocivo para toda família.
O pior é que tudo isso, se reflete nas escolas, dentro da sala de aula. Pais que têm dificuldades em colocar limites nas crianças e terceirizam essa função, para a escola. Como professora já vi de tudo na escola, criança mandando em pai e mãe e pai e mãe tentando mandar na escola.
 A consequência desse modo de funcionamento familiar prejudica a todos. Os filhos mimados crescem com uma baixa tolerância à frustração e, quando adultos, têm problemas em enfrentar as dificuldades. "Não aguenta uma contrariedade e larga a faculdade, não aguenta o chefe, vira as costas e abandona o emprego", diz Içami Tiba.
É na família que a criança aprende, e não só através do discurso, mas pelo modo como os adultos praticam o seu cotidiano, vendo os pais falar de acordo com aquilo que fazem, agir de acordo com aquilo que ensinam.” Exemplos e atitudes ensinam o tempo todo, a criança pode esquecer o que os pais falam, mas sempre se lembra do que os pais fazem”
É na família, que se aprende a amar, sem medo. A família é o ambiente mais apropriado para as maravilhosas experiências de amor. É o onde comemoramos cada novo acontecimento, cada conquista. É ter as preocupações, mas com matizes diferentes. É onde aprendemos que cada um tem seu jeito de ser. Afinal nossos filhos e netos são produtos da educação que damos a eles. Mimar, não é amar.


 

FILHOS SÃO PEDAÇOS DE NÓS

Como educamos nossos filhos diz muito sobre nós! A forma como transmitimos nossos valores, diz muito sobre nossa forma de ser e de exercer nosso papel de pais.

Somos um modelo para nossos filhos, é na família que aprendem, e não só através do discurso, mas pelo modo como  nos veem praticar em nosso cotidiano, nos vendo falar de acordo com aquilo que fazemos, agirmos de acordo com aquilo que ensinamos, pois, os filhos são como um reflexo no espelho de seus pais.

Esta geração está precisando, desesperadamente, de modelos. É no lar que temos a oportunidade de ser exemplos vivos para a vida de nossos filhos, suprindo a lacuna da ausência de referenciais na sociedade

Como pais nossa figura será provavelmente o maior exemplo, ponto de referência e porto seguro que nossos filhos irão ter na vida, pois, eles têm em sua mente que seus pais são super-heróis e que devem ser iguais.

Nossos filhos  nos admiram e no veem como seu próprio espelho, onde podem observar seu reflexo quando ficam em dúvida sobre algo; aí está o desafio e o esforço de sermos  bons pais, e  bons pais mostram qual o caminho certo a se percorrer, e o demonstram através de suas  próprias vidas, pois são os exemplos que vão moldar  seus caráteres.

            O caráter pode se manifestar nos grandes momentos, mas ele é formado nos pequenos, por isso cabe a nós pais, escolher se o exemplo a ser seguido será bom ou ruim, porque a palavra convence, mas o exemplo arrasta. O famoso escritor H. Jackson Brown disse: “Viva de tal modo que quando seus filhos pensem em justiça, carinho e integridade, pensem em você”.

            Exemplos e atitudes ensinam o tempo todo. Nossos filhos podem esquecer o que os falamos para eles, mas sempre se lembrarão do que fizemos para eles.

            A maior riqueza que podemos deixar para nossos filhos é uma vida regada de bons exemplos. Somos reflexos na vida dos nossos filhos. Se o reflexo não for de coisas boas, não podemos exigir mais tarde coisas boas. Nós pais somos um pouquinho da vida de nossos pais e avós e nossos filhos são pedaços de nós, daquilo que somos pensamos e sentimos.

 

O NOSSO FUTURO É RESULTADO DE NOSSAS ESCOLHAS

O NOSSO FUTURO É RESULTADO DE NOSSAS ESCOLHAS.

As escolhas, as continuidades da minha caminhada e   da minha vida, depende exclusivamente de mim, está em minhas mãos. Toda minha vida é feita de escolhas. Temo fazer escolhas erradas, entrar por portas erradas, e então fico como que paralisada, sabendo que o futuro está em minhas mãos. Preciso escolher.

Então lembro o que Jesus disse: Vá para seu quarto, feche a porta e ore a seu Pai, que está no secreto. Então seu Pai, que vê no secreto, o recompensará. . Entro em meu quarto sem saber direito o que pensar e dizer. Preciso decidir fazer uma escolha.  ElE está lá, me esperando para conversar! É no meu quarto fechado, que me ajoelho diante de Deus e ElE fala _ Vamos ficar a sós. Vamos deixar do lado de fora o mundo, os problemas, as distrações, e vamos ter intimidade. Vamos falar daquilo que precisa ser falado.

Nessa hora então, o horizonte de descortina e descubro que a vida é como uma colcha de retalhos tecida por pedacinhos maiores e outros menores, felizes e tristes, importantes ou não, são esses pedacinhos (opções, escolhas) que fazemos e que acabam delimitando o sentido e as cores de nossa história.

Somos um pouquinho da vida de nossos pais e avós, dos nossos amigos, irmãos, filhos, netos.  Nossas vidas estão interligadas, nossas histórias são parecidas, e com isso sentimos empatia com os problemas, com as alegrias, com os medos, com coisas que nos acontecem, com a alegria de cada vitória, com a dor das perdas, com o sofrimento, com as emoções, com os amores, com as decepções.

Não andamos sozinhos, somos o conjunto de tudo o que está ao nosso redor há caminhos que se completam, que se cruzam, que se interligam, com aclives e declives, o essencial é saber por onde se anda e que ninguém é igual ao outro.

A vida é uma caminhada de acontecimentos, e cada retalho representa um detalhe da vida, as vezes bom e as vezes ruim. Vai depender das decisões, ações e escolhas tomadas, pois o nosso futuro é o resultado das nossas escolhas.

O tempo que passamos neste "lugar secreto" com Deus marca a nossa vida. Faz-nos ser e pensar nas coisas que são de cima e nos dá forças para melhor decidir, e para escolhermos aquilo que nos fará verdadeiramente felizes. Pois o autor da vida em sua infinita misericórdia e sabedoria cuida de cada retalho, ajustando aqui e ali desse retalho que fala um pouco de nossas vidas, nossas esperanças, nossos sonhos, nossas lágrimas, nossos amores, nossas batalhas às vezes tão difíceis, mas alicerçadas na confiança em Deus o rumo de nossa história

.

QUANDO JULGAMOS FECHAMOS AS PORTAS PARA A COMPREENSÃO.

QUANDO JULGAMOS FECHAMOS AS PORTAS PARA A COMPREENSÃO.

 

Por Eliane Prado

Certa vez ouvi de um grande teólogo que: muito do mal é feito no mundo por gente boa, que não sabe que não é verdadeiramente boa. Então me lembrei de uma história bíblica que ouvia desde menina.

Simão o piedoso e prospero Judeu e fariseu convidou Jesus, para comer com ele. Enquanto a refeição era servida, de repente, sem convite, chega uma pessoa rotulada Pecadora. Alguém diferente!  Trazia com ela um frasco de perfume e se dirigiu direto para Jesus. Antes mesmo de remover a tampa do perfume, ela já chorava, banhando com lágrimas os seus pés, esquecendo-se de que nenhuma mulher respeitável faria isso na presença dos homens.

Soltou os cabelos para enxugar as lágrimas, cobriu os pés de Jesus com beijos e ungiu-os com o perfume que trazia. Simão ficou em choque vendo Jesus, imperturbável, aceitando a homenagem da mulher.  Naquele instante, ela conheceu o amor e o respeito, não foi desdenhada! Pela primeira vez foi aceita! Teve quem sabe, pela primeira vez a sensação de liberdade e aceitação.

Simão não vê as coisas desse modo. Tudo o que ele vê é sua mesa sendo invadida pela desprezível criatura, e pensa Se este homem fosse realmente um profeta, saberia que espécie de mulher o está tocando.

-Simão! - Disse Jesus lendo seus pensamentos: Tenho uma coisa a te dizer e conta a Simão uma parábola, que a princípio, soa como um conto agradável, mas que esconde em suas linhas algo que salta de repente, e põe Simão em nocaute.  O objetivo de Jesus é levar Simão a conhecer certas verdades sobre si e sobre a mulher.

Ele nem desconfia que a história é endereçada a ele. Jesus volta-se e pergunta a ele – Simão, vês esta mulher? _. Olhe para ela! _. Mas ela era tudo o que precisamente Simão não podia ver. Tudo o que enxergava era a imagem preconceituosa que tinha. Mas Jesus estava tentando penetrar em seu íntimo, para que Simão se reconhecesse melhor. _Simão, quando entrei na tua casa _Continua Jesus. Não me beijastes, esta mulher que despreza não cessou de beijar-me os pés. Não me deste água para lavá-los, esta mulher, porém, lavou-os com suas lágrimas. Não me ungistes com óleo, ela porem, ungiu-me os pés com perfume precioso.

Para Jesus estas três pequenas cortesias orientais, não eram triviais, e revelaram á pessoa da mulher do mesmo jeito que a omissão delas por parte de Simão, revelou sua alma farisaica.

Simão demonstrou nada conhecer de seu próprio pecado, de suas descriminações, de sua própria natureza humana. Mas estava totalmente convencido dos pecados da mulher que ele havia rotulado.

Não é verdade que muitas vezes não temos um fariseu que, disfarçado, mas muito ativo, ainda se esconde em cada um de nós? Quantas vezes, temos a presunção de colocar-nos como juizes de outros, aos quais não estamos qualificados para julgar? Quantas vezes temos o nosso coração tão propenso a divagar e tão rápido a esquecer dos votos feitos á Deus, tanta pressa em trazer a Ele os erros dos outros, e muita relutância em confessar nossos próprios pecados?

O julgamento é um fardo, nos sentimos mais leves quando nos livramos dele, julgar impõem rótulos de certo ou errado em situações que simplesmente são, então, antes de julgarmos os outros, devemos primeiro olhar demoradamente dentro de nós mesmos.

Podemos compreender e perdoar muitas coisas, mas quando julgamos, fechamos as portas para a compreensão e abandonamos o processo de aprender a amar o outro como ele é.

.

SER FELIZ É TUDO O QUE EU QUERO
SER FELIZ! É TUDO O QUE EU QUERO!

 

Se perguntarmos a qualquer pessoa o que ela quer da vida, provavelmente ela responderá "Tudo o que eu quero é ser feliz". A maioria das pessoas quer ser feliz. Se existe alguma coisa que nos une enquanto seres humanos é o desejo de sermos felizes. Por que então esse sentimento tem que ser tão efêmero? Por que pessoas com tantas razões para ser feliz sente que lhes faltam alguma coisa?

Há tantas coisas que podem contribuir para a nossa felicidade, mas por alguma razão todas elas perdem a importância, então ficamos vulneráveis, angustiados e tristes. Será que estamos querendo de mais da vida? Afinal nos esforçamos para isso. Lemos muitos livros, mudamos nosso estilo de vida, optamos por nos dedicar a família. E, no entanto, acabamos investindo todo nosso tempo e energia no nosso trabalho, convencidos de que trabalhando mais de 12 horas por dia, chegando em casa cansados estamos provando a nossa devoção à família.

No entanto, descarregamos nossa raiva nos que estão mais próximos de nós porque tivemos um dia difícil no trabalho; pois acreditamos que se não obtivermos o sucesso no trabalho não seremos felizes e nossas famílias também. Por mais que nos esforcemos para obter o sucesso, ele não nos satisfará. Quando conseguimos alcança-lo, sacrificando tantas coisas, descobrimos que o sucesso Não era bem o que queríamos, pois o dinheiro e o poder não satisfazem aquela fome que temos na alma.

Carl Jung em seu livro "O homem moderno a procura de uma alma" escreve: "O maior problema de cerca de um terço de meus pacientes não é diagnosticado clinicamente como neurose, mas resulta da falta de sentido de suas vidas vazias. Isto pode ser definido como a neurose geral de nossa época." O que nos deixa muito frustrados e infelizes é, sem dúvida a ausência de significado para as nossas vidas! Nossa vida pode ser bem ou malsucedida, cheia de prazeres ou preocupações, mas ela precisa de significados.

Nossas almas não estão sedentas de fama, conforto, fortuna ou poder, nossas almas têm sede do significado da vida, de aprendermos a viver de tal forma que nossa existência tenha importância, capaz de modificar o mundo à nossa volta.

Jesus ao encontrar uma Samaritana no poço de Jacó, faz uma comparação dessa busca de felicidade com a experiência de ter sede. Jesus diz a ela: "Aquele que bebe desta água terá sede novamente, mas quem beber da água que eu lhe der jamais terá sede" O que Jesus quis nos ensinar sobre a busca da felicidade. É Que somos seres criados à imagem e semelhança de Deus que é Eterno e por isso temos no nosso interior algo que nos leva a buscar o infinito. Nada que é passageiro poderá satisfazer esse anseio. O único que pode saciar essa "sede" é Deus.

Então o nosso desejo de felicidade é uma clara manifestação da nossa busca de Deus e quando nos encontramos com aquele que é o "Caminho, a Verdade e a Vida" é que poderemos viver plenamente.

[email protected]

PAI. ESPELHO PARA O FILHOS

Por: Eliane T. Prado

 

Quando observo as brincadeiras de meus filhos com o pai, muitas vezes, vejo com surpresa a fiel representação daquilo que, sem perceber, meu marido costuma fazer. Até a maneira de falar, gesticular ou de se comportar são fielmente reproduzidos por eles.

O pai é um modelo para eles, na família que aprenderam, e não só através do discurso, mas pelo modo como viram seu pai praticar em seu cotidiano, vendo o pai falar de acordo com aquilo que fazia, agir de acordo com aquilo que ensinava, pois, os filhos são como um reflexo no espelho de seus pais.

Esta geração está precisando, desesperadamente, de modelos. É no lar que os pais têm a oportunidade de ser exemplos vivos para a vida de seus filhos, suprindo a lacuna da ausência de referenciais na sociedade

Como pai sua figura será provavelmente o maior exemplo, ponto de referência e porto seguro que seu filho irá ter na vida pois tem em sua mente que seu pai é super-herói e que devem ser iguais.

Seu filho o admira e o vê como seu próprio espelho, onde pode observar seu reflexo quando fica em dúvida sobre algo; aí está o desafio e o esforço de ser pai, e um bom pai demonstra qual o caminho certo a se percorrer, e o demonstra através de sua própria vida, os exemplos que vão moldar o seu caráter,

O caráter pode se manifestar nos grandes momentos, mas ele é formado nos pequenos, por isso cabe ao pai escolher se o exemplo a ser seguido será bom ou ruim., porque a palavra convence, mas o exemplo arrasta. O famoso escritor H. Jackson Brown disse: Viva de tal modo que quando seus filhos pensem em justiça, carinho e integridade, pensem em você.

PAI, a força dessa simples palavra abrange todo amor do mundo, pai é o porto seguro de amor de seu filho, pois o propósito de Deus para sua família é que seja para seus filhos um reflexo do amor de Deus. Cada atitude sua deve transmitir os valores corretos, para que a sua descendência seja abençoada e saiba como viver a vida de forma que agrade a Deus. Então, seja o que você espera de seu filho. O seu caminhar com Deus, vai definir os rumos da sua família Ser PAI é um privilégio! Na paternidade o homem exerce sua semelhança com Deus com totalidade desfrutando de alegrias e prazeres que só um pai segundo o coração de Deus conhecerá.