Lições Preciosas
PAI. ESPELHO PARA O FILHOS

Quando observo as brincadeiras de meus filhos com o pai, muitas vezes, vejo com surpresa a fiel representação daquilo que, sem perceber, meu marido costuma fazer. Até a maneira de falar, gesticular ou de se comportar são fielmente reproduzidos por eles.

 O pai é um modelo para eles, na família que aprenderam, e não só através do discurso, mas pelo modo como viram seu pai praticar em seu cotidiano, vendo o pai falar de acordo com aquilo que fazia, agir de acordo com aquilo que ensinava, pois, os filhos são como um reflexo no espelho de seus pais.

Esta geração está precisando, desesperadamente, de modelos. É no lar que os pais têm a oportunidade de ser exemplos vivos para a vida de seus filhos, suprindo a lacuna da ausência de referenciais na sociedade

Como pai sua figura será provavelmente o maior exemplo, ponto de referência e porto seguro que seu filho irá ter na vida pois tem em sua mente que seu pai é super-herói e que devem ser iguais.

Seu filho o admira e o vê como seu próprio espelho, onde pode observar seu reflexo quando fica em dúvida sobre algo; aí está o desafio e o esforço de ser pai, e um bom pai demonstra qual o caminho certo a se percorrer, e o demonstra através de sua própria vida, os exemplos que vão moldar o seu caráter,

 O caráter pode se manifestar nos grandes momentos, mas ele é formado nos pequenos, por isso cabe ao pai escolher se o exemplo a ser seguido será bom ou ruim., porque a palavra convence, mas o exemplo arrasta. O famoso escritor H. Jackson Brown disse: “Viva de tal modo que quando seus filhos pensem em justiça, carinho e integridade, pensem em você”.

PAI, a força dessa simples palavra abrange todo amor do mundo, pai é o porto seguro de amor de seu filho, pois o propósito de Deus para sua família é que seja para seus filhos um reflexo do amor de Deus. Cada atitude sua deve transmitir os valores corretos, para que a sua descendência seja abençoada e saiba como viver a vida de forma que agrade a Deus. Então, seja o que você espera de seu filho. O seu caminhar com Deus, vai definir os rumos da sua família Ser PAI é um privilégio! Na paternidade o homem exerce sua semelhança com Deus com totalidade desfrutando de alegrias e prazeres que só um pai segundo o coração de Deus conhecerá.

 PAI É ESPELHO! FELIZ DIA DOS PAIS!

O AMOR JAMAIS ACABA

 

            O amor jamais acaba! Não adormece, possui uma força descomunal, é eterno porque Deus é eterno.

            O AMOR JAMAIS ACABA! Porque é “paciente”, nos faz ter paciência para que as coisas aconteçam no tempo certo, paciência com os outros e com nós mesmos, com as circunstâncias, a paciência nos permite observar como o mundo funciona e entendê-lo um pouco melhor, e termos um momento para ouvir, entender e esperar.

            O AMOR JAMAIS ACABA! Porque é “bondoso” é aceitar o outro como ele é, com todas as suas qualidades e defeitos.  É ter uma natureza voltada ao bem sempre, pensando no bem-estar do outro como Deus pensa nos Seus filhos. É saber fazer o outro feliz e isso implica em respeito pelas suas vontades e necessidades.

            O AMOR JAMAIS ACABA! Porque não é “ciumento” pois o ciúme tem sua raiz no egoísmo, quando pensamos e agimos com interesse em nós mesmos, É um sentimento doloroso que machuca o coração dos que o sentem, levando-os além do controle de suas emoções. O ciúme é egoísta e possessivo. Mas o amor é extremamente generoso.

            O AMOR JAMAIS ACABA! Porque é “humilde” o amor se dá sem pedir condecorações pelo seu ato de doação e bondade. Não se orgulha de ter feito o bem, não fica contando seus feitos para todo mundo. O amor não precisa de demonstrações exageradas de afeto ou de grandes presentes, pelo contrário, o amor é uma semente pequena que precisa ser semeada, adubada e regada todos os dias. É humilde porque ao mesmo tempo nos faz grandes, pois a grandeza de um a pessoa, é medida pela lealdade do coração e a humildade da alma.   

            O mundo não sabe o que é amar, muito menos o que significa o amor, razão pela qual temos presenciado tanta miséria, fome, guerras, e toda a sorte de destruição e caos por todos os quatro cantos da Terra. O amor que este mundo tem cultuado é o apego ao dinheiro, a pessoas, coisas, e a si próprio.

            O amor não tem preconceitos nem fronteiras, ele é altruísta. O amor pensa nos outros, mais do que em si mesmo. O amor tem mais prazer em dar do que em receber. Na verdade, perdemos o que retemos e possuímos o que damos. A semente que comemos ou guardamos não pode se multiplicar. Por isso o amor jamais acaba!

 

PALAVRAS QUE MATAM

Na revista “A BIBLIA NO BRASIL”, nº 140 da Sociedade Bíblica do Brasil relata uma história verídica. Vou reproduzir os trechos principais.

             “Quanto mais se lembrava, mais ficava zangado. Falando com a gente, parecia que falava com ele mesmo. E repetia”:

-Não, ele não podia morrer assim. Não morreu; ele foi assassinado. |Com dezoito anos, parecia um menino. Com lágrimas tristes nos olhos agitados, o Dr. Jéferson Ferreira Nunes, famoso neurologista e professor de medicina, conta o que aconteceu. Ele estava falando a respeito de um moço retardado-oligofrênico, dizem os especialistas internos do hospital, para tratamento de rotina.

            Disseram a José que, no dia seguinte, a família iria leva-lo de volta pra casa. A notícia rebentou no seu coração como um evangelho de boa –nova. Ele começou a contar para todos, de quarto em quarto, quase pulando de alegria, que agora já podia voltar para a sua casa, José tinha que derramar pelo hospital toda aquela noticia gostosa e tão emocionante, que não cabia no seu coração.

            Para José, a noite foi longa e preguiçosa –parecia que estava embrulhando devagar a manhã nas cobertas escuras da madrugada. No seu coração de menino, cantava uma canção nova e no ritmo estridente do canto do galo nos quintais velhos...

“– Eu vou... eu vou amanhã...”

“– Eu vou pra minha casa”

De manhã, José acordou com o sol já aquecido, empurrando tudo e todos na rotina apressada do velho hospital.

Durante horas, no canto da porta e, as vezes, na cama, ele espiava aquela gente toda, como formigas atarefadas, indo e vindo sem parar.

De repente, pai, mãe e irmãos se plantam diante dele. Jose se assusta com o rosto carrancudo de todos. Ele, que era só coração, retardado de inteligência mas genial na capacidade de amar, estuda por alguns segundos, a cara de carrasco da sua família. São segundos que parecem horas infernais.

  • Olhe aqui, José – diz a mãe- Não vamos levar você para casa, não. Você dá

muito trabalho para nós. E, você, atrapalha demais...Vamos deixar você aqui ou em outro lugar qualquer...

José, ferido de morte, no fundo do seu coração ingênuo, mas cheio de amor ajeita e arruma os lençóis e a coberta. Na cama, como um passarinho baleado, fecha os olhos para o mundo que ele não entende- mundo brutal e feroz. Mundo da “inteligência” sem amor. Mundo sem Mãe...

            No dia seguinte, bem cedo, lá estavam os médicos e enfermeiros rodeando o corpo de José. Dizem que alguém o ouviu, de noite, chorar baixinho. Ele foi assassinado com palavras e gestos infernais e perversas- pensam todos”

            Certa vez ouvi numa palestra que “palavras são para serem ouvidas, ensinamentos são para serem aprendidos a até colocados em prática. Mas que não podemos de maneira nenhuma esquecer que são as atitudes que mostram a eficiência e a veracidade das palavras que falamos, e são os exemplos que damos, que comprovam o certo e a correção daquilo que ensinamos.

            Palavras matam mais do que armas, matam a autoestima de uma pessoa, o ânimo para vencer, um lindo sonho e a vontade de continuar seguindo em frente. Algumas palavras calam para sempre! Palavras também matam!

SALA DE AULA...UM ESPAÇO DE INTERAÇÃO E APRENDIZAGEM SIGNIFICATIVA

As imagens que tenho do meu tempo escolar é, em branco e preto, às vezes mais preto do que branco. Lembro-me da sisudez da professora, dos castigos, das reguadas, das situações monótonas e chatas. Não havia brilho no olhar do professor, e por tanto não havia também no olhar dos alunos.

            Mas, por outro lado lembro-me também, das medalhas, dos primeiros lugares, quando conseguíamos arrancar algum afeto, um sorriso, uns parabéns do professor.

 O tempo, era rigidamente controlado, hora de entrar, de ir ao banheiro, do recreio, de sair, etc. Dentro da sala de aula os horários, eram pré-estabelecidos e as atividades se interrompiam sempre que chegava a “hora de”.

            Havia um momento certo para se fazer uma atividade, como se cada atividade estivesse guardada em caixinhas, e só era retirada de lá na “hora de”, mesmo que as crianças expressassem livremente seu desejo, nunca era a “hora de”.

            Não havia muita interação, solidariedade entre os alunos, pois a professora interferia toda vez que algum aluno procurava ajudar o outro, dizendo para sentar-se, pois estava bagunçando a sala de aula. O que é negativo, pois assim as crianças aprendem a pensar somente em si mesmas, e começam a deixar de considerar o outro, é aí que começa o individualismo competitivo tão comum em nossos dias.

            Algumas crianças tentavam exteriorizar a sua insatisfação, outros ainda, se recusavam a fazer o que a professora pedia, demonstrando que já estavam cansados de repetir a mesma coisa, pois possuem vontade e interesse próprio.

            A educação mudou! Hoje os alunos estão sendo desafiados a compreender e fazer associações matemática e não a decorar a tabuada. Mudou por se crer que a aprendizagem de conteúdos deve considerar os modos de agir e pensar, crenças e valores de cada aluno.  Mudou porque o professor não é mais o único transmissor de conhecimento. Ele é um mediador, tem a missão de propor desafios e criar condições para que os alunos aprendam a raciocinar com autonomia.

Mudou, quando o professor chega na sala de aula, e questiona o que eles gostariam der trabalhar naquele dia, depois que é escolhido um dos temas que ela sugere, todos referentes ao dia – a – dia do aluno, faz-se as atividades com o objetivo de levar a criança à reflexão. Então a sala de aula, passa a ser um espaço de vida! eles vão pra casa com as cabecinhas cheias de dados, com contribuições significativas para os problemas que são vividos lá fora. A sala de aula assume um interesse singular, para eles e seus amiguinhos do grupo.

            O controle das relações existentes em sala de aula, principalmente nas primeiras séries, está nas “mãos” do professor. Por isso mesmo, cabe a ele, incentivar, colocar o aluno em primeiro lugar, fazer das suas aulas um lugar privilegiado para a aprendizagem.

Segundo Freire: O professor autoritário, o professor licencioso, o professor competente, sério, o professor incompetente, irresponsável, o professor amoroso da vida e das gentes, o professor mal-amado, sempre com raiva do mundo e das pessoas, frio, burocrático, racionalista, nenhum deles passa pelos alunos sem deixar sua marca.” (FREIRE, 1996, p.73)”.

 

            Acredito que a identidade profissional se constrói a partir da significação social da profissão. Isto só ocorre, quando nós professores somos o autor e ator, interagindo com os nossos alunos, sendo parceiro, nos comprometendo diariamente com os sonhos do aluno, frequentemente nos auto questionando.

Quantos dons e talentos estão sendo ajudados a despertar com a contribuição de nosso trabalho, para que os alunos se tornem e se sintam melhores a cada dia. Para assim hoje, sejam melhores do que foram antes, e amanhã melhores que foram hoje, ou seja, um professor que tenha significado na vida do aluno.

            Não é por acaso que cada vez mais têm surgido, pesquisas e mais pesquisas sobre as “interações” de professores e alunos, da necessidade de integração das atividades escolares com a realidade. E, a realidade é que a sala de aula pode ser um espaço aberto e deve favorecer e estimular a presença, o estudo e o enfrentamento de tudo o que constituem a vida do aluno, de suas ideias, crenças e valores, de suas relações no bairro, na cidade e no seu país. É a escola cumpre com o seu papel de formadora, de promotora da integridade social.

É BOM SENTIR SAUDADES. SÓ ELA NOS MOSTRA A VERDADEIRA IMPORTÂNCIA QUE UMA PESSOA TEM EM NOSSAS VIDAS.

É muito bom sentir saudades, é por causa dela que sabemos que amamos a pessoa que nos faz falta no nosso dia a dia, quando conquistamos um sonho, e superamos obstáculos. Isso é bom pois nos remete ao passado, feliz, triste, melancólico, terno. Nos faz valorizar o hoje, nos faz lembrar de pessoas que simplesmente não podemos esquecer, porque fazem parte da nossa história.

            Acordei com saudades. E minha alma teimou fazer uma viagem, e me mostrar o quanto valeu a pena viver momentos inesquecíveis com ela. Minha mãe! Hoje seria dia de festa, de bolo, de comemoração como ela gostava! ... Hoje seria o aniversário dela se estivesse aqui, entre nós. Faz tanto tempo! 

            Como é bom lembrar!!! como é bom sentir saudades! De chorar pelos bons momentos que tive, por que tive a oportunidade de vive-los com ela. Minha mãe! base da minha vida! É tão bom lembrar das mãos dela que tantas vezes me afagaram, me fizeram dormir, dos abraços que diziam tudo.

Do exemplo de ser cristã, do seu trabalho, das suas renuncias feitas pra facilitar nossas vidas, da sua determinação de ser pai e mãe ao mesmo tempo, pra mim e meus irmãos.

 Que amor sem dimensão de cada momento que ela tinha por nós seus filhos, dos atos de cada capítulo das nossas vidas. Ela sabia ser mãe, como quem não sabia ser outra coisa tão divinamente. Amou mais do que pode. Sei, que escondida derramou muitas lágrimas. Deu-nos exemplo até o final, e partiu como viveu... Suavemente!

Como é bom lembrar! Dos sorrisos, das brincadeiras, dos conselhos sábios e carinhosos, do seu amor! Como é bom sentir essa lágrima rolando no rosto, ao lembrar que todos os dias ela se ajoelhava e orava por nós seus filhos.

Agradeço à Deus por ser sua filha, de ter nascido dela, ter tido seus ensinamentos, seus cuidados, seu apoio em todos os momentos, ter tido ela como meu maior exemplo de vida, de ser humano, por ter sido amada por ela, de maneira tão intensa, tão verdadeira, que jamais esquecerei.

É bom saudades, é visitá-la em um lugar de onde ela nunca partiu: dentro de mim!

 Eu sei que ela não foi embora pra sempre de verdade. Minha mãe ficou em minhas células, em minha pele, em meu coração e em minha mente. Mãe é isso: aquela que mesmo partindo, fica. E ficando, reconforta. Hoje faz 20 anos que minha mãe, a “base da minha vida”, foi embora desta terra! Saudades desta mulher que ensinou seus filhos a ter pensamentos verdadeiros sobre como ser cristão e até mesmo que o bem que praticamos às pessoas é muito maior do que imaginamos.

Ela, não teve seu nome escrito com grandes letras em um mausoléu... Foi apenas uma mulher, que mesmo sem um grande sinal, falou tantas palavras a respeito de Jesus Cristo o que levou muitas pessoas a reconhecê-lo como Senhor e Salvador de suas vidas!

Hoje acordei com saudades e minha alma regressou a um tempo que não volta mais! Muito bom ...sentir saudades!

 

 

 

 

RECONHECER O ERRO OU UMA MALDADE PRATICADA É O PRIMEIRO PASSO PARA O PERDÃO

Quando somos ofendidos, maltratados ou acusado de algo que não fizemos, caímos em um perigo silencioso que carregamos conosco, chamado “MÁGOA”

É um perigo muito grande que afeta muito mais nossa vida do que a da pessoa que nos ofendeu, que nos fez mal, nos impede de perdoar e nos faz ferir as pessoas que mais amamos ao nosso redor e que não tem nada a ver com nossas amarguras.

Esse sentimento nos dá uma carga tão pesada de rancor e infelicidade, que prolonga ainda mais nosso sofrimento e a nossa dor. Nos faz sentir como vítimas. E as vezes somos na verdade vítimas, não dos que nos ferem, mas de nós mesmos.

Quando estamos magoados com uma pessoa não conseguimos perdoa-la, é como se você colocasse uma algema em volta do seu braço e outra ponta da algema no pescoço da pessoa que te magoou.

 Aonde você for, a levará. Você pode mudar de cidade, de Estado, ou até de País, você a levará sempre junto, porque está ligado a ela pela mágoa pois ela é vivenciada como desgosto, tão profundo que nos torna incapaz ou pouco capaz de nos reencontrarmos dentro de nós mesmos

Sei por experiencia própria, de como é difícil de perdoar quem nos magoou, mas precisamos perdoar as pessoas e não cultivar a mágoa dentro de nossa alma.

O perdão não é um ato de amnesia santa, que apaga o passado, e sim experiencia de cura que retira o veneno! Perdoar não significa ignorar o mal que nos fizeram e sim não permitir que ela seja uma barreira para nossos relacionamentos.

Perdoar é um ato de vontade, é a decisão de decuplar uma falta, uma ofensa, de renunciar a ira contra alguém, sem exigir castigo ou reparação. O perdão acalma a ira, traz paz, nos liberta das algemas.

Perdoar, é ter a possibilidade de dominar nossa vida, ter controle sobre ela, quando não sentimos mais necessidade de usar as mágoas antigas como garantia contra alguém. Perdoar é escolher ser feliz!

COMO FALAR DE AMOR NO MEIO DE TANTO ÓDIO!

Como posso falar de amor, quando vejo crianças nascendo numa sociedade que respira o ódio e o descaso para com o próximo.

A violência alcançou proporções inimagináveis em todos os cantos da terra! De todos os lugares do mundo nos chegam notícias sobre diversos tipos crimes realizados com muita crueldade. Mas...com tanta violência todos os dias, o melhor que temos que fazer é falar de amor!

 Falar de amor é um enorme desafio, porque fala muito sobre nós e sobre o outro. O amor único e verdadeiro é a maior necessidade na vida das pessoas que a cada dia estão expostas e submetidas à violência em todos os sentidos e direções.

O mundo está precisando de amor, de pessoas que se importem mais umas com as outras e não de pessoas que se odeiam gratuitamente por motivos fúteis e banais. O amor como a única arma capaz de salvar o mundo em que vivemos.

 o amor faz, age, se movimenta, realiza, promove, levanta, melhora nos transforma, promovendo mudanças significativas ao nosso redor. É um princípio que gerencia todas as demais emoções; não é um mero sentimento.

Não há no Universo poder maior do que o poder do amor. O sentimento de amor é a frequência mais alta que podemos emitir. Quando podemos envolver cada pensamento com amor, e amar tudo e todos, nossa vida com certeza seria transformada.

O mor é invencível, quanto maior o amor que sentimos e irradiamos, maior o poder que utilizamos, para vencer todas as batalhas, pois o pensamento impregnado de amor se torna invencível.

Que Deus nos dê uma porção de amor diária, para que possamos manifestar a graça do amor, e assim  podermos falar de amor no meio de tanta violência e tanto ódio, pois  o amor é o mais divino dos sentimentos humanos, um sentimento "sobremodo excelente".

O QUE FAZEMOS OU DEIXAMOS DE FAZER POR NOSSOS FILHOS VAI DETERMINAR A RELAÇÃO QUE TEREMOS COM ELES NO FUTURO

O psicólogo H. Hallow, da universidade de Winsconsim Madison, E.U.A, fez um experimento muito interessante usando duas “mães” macacas substitutas das mães verdadeiras.

 Uma tinha forma cilíndrica de arame, com uma cabeça de madeira, a outra também de arame, mas revestida com um pano peludo. Ambas ficavam lado a lado separadas apenas por uma divisória, os macaquinhos recém-nascidos eram de verdade, em número de oito, que ficavam em gaiolas individuais, cada um com igual acesso a “mãe de arame” ou a “mãe envolvida em pano”.

Quatro dos bebes recebiam leite de uma das mães e quatro de outra, as duas mães de material provaram, ser fisiologicamente equivalentes. Os macaquinhos dos dois grupos bebiam o mesmo volume de leite e engordavam ao mesmo ritmo, entretanto ficou provado que psicologicamente estavam longe de se equivalerem.

 Os registros dos cientistas mostraram que ambos os grupos de bebes passavam muito mais tempo nas costas e agarrados ás suas “Mães” macias e peludas, do que a mãe só de arames.

Depois os cientistas tiraram o leite da mãe de pano e deixaram só na mãe de arame, os macaquinhos se alimentavam na mãe de arame, mas rapidamente corriam para junto da mãe de pano, a mãe de arame só servia para amamentar, os filhotes não se sentiam aconchegados junto á ela, preferindo a mãe de pano macio, e descobriram, que diante de situação de perigo, corriam para a mãe de pano, buscando nela segurança e o conforto.

            Esse experimento serviu para demonstrar que para a formação do vínculo afetivo entre mãe e filho, o contato corporal e o conforto imediato proporcionado por ele, são mais importantes que a própria alimentação.

A alimentação é importante também, mas o vínculo afetivo é mais significativo para o psiquismo da criança. O vínculo afetivo é fundamental para o desenvolvimento de uma personalidade bem estruturada, mais segura de si, sadia.

A comida está para o corpo, assim como o carinho, o aconchego e o amor estão para a formação da psique, pois, é nos primeiros momentos de vida que o bebe acaba enxergando na própria mãe uma imagem de si mesmo. Então, se a mãe for carinhosa e amorosa, o bebê se sentirá amado, protegido e seguro, e consequentemente   aprenderá que é amável tanto quanto é amado.

É a mãe quem primeiro representa o mundo onde seu bebe irá viver, fará diferença para o desenvolvimento do bebe, ter uma mãe que o aconchega, o acaricia, o protege, ou outra que se comporta como aquela mãe de arame frio, que só dá o leite.

Penso que essas mães precisam urgentemente aprender a ter um colo macio, mas esse problema não afeta só a mãe, os pais também muitas vezes têm um colo de arame, estão tão absorvidos no seu trabalho, na sua carreira ou no seu estudo, que esquecem, ou desaprenderam de como se relacionar com os filhos, brincar com eles, dar e receber carinho dos filhos, estar em família, pois é na família que tudo acontece. O que fazemos ou deixamos de fazer por nossos filhos vai determinar a relação que teremos com eles no futuro. Vai definir como será a vida de nossos filhos e a maneira como vão lidar com a vida, com a sociedade.

Cada palavra da mamãe e do papai, é uma sementinha que nunca morre no coração de um filho, pois não se pode matar a semente do amor. O filho poderá não ouvir no momento, mas a boa palavra permanece lá no fundo de seu coração e um dia ela irá frutificar, a infância é o melhor tempo para semear.

Acredito que semear gestos simples, mas plenos de amor, poderão contribuir para que nossas famílias se fortaleçam na fé em Deus e continuem acreditando na família como espaço de formação de uma sociedade mais justa, mais fraterna e mais solidária. Como diz o poeta: ” é preciso amar mais, perdoar mais, abraçar mais, pois “não sabemos quanto tempo temos para respirar”.

AMOR E CONVIVÊNCIA SE APRENDEM

Sem dúvida, maior alegria que existe para mim é ter encontrado a pessoa que me foi destinada por Deus! Dia 17 de Fevereiro, fazemos 28 anos que estamos casados! Lembro que na cerimônia do meu casamento o pastor nos fez a seguinte pergunta: “ANDARÃO DOIS JUNTOS SE NÃO TIVEREM DE ACORDO?”

Acordo é a base para duas pessoas andarem juntas, dois que são iguais, que traçam um critério de conduta para sua relação, logo entendemos que acordo é uma concordância, uma aliança, um compromisso feito entre duas partes, seria uma consonância de sentimentos e ideias.

Para chegar a um acordo, é necessário trabalhar em equipe. Duas pessoas juntas podem conseguir uma solução melhor do que se cada uma tivesse feito isso sozinha. Um acordo envolve respeito ao outro e consideração de seus pontos de vista lembrando que cada um tem um jeito, um temperamento.

            É impossível que duas pessoas caminhem juntas se tem propósitos, pensamentos e metas diferentes. É impossível que haja harmonia quando cada um defende o seus interesses e vontade, creio que o casamento é a maior oportunidade de caminharem juntos. Não pode ser cada um por si, é um relacionamento de duas pessoas solitárias, mas solidária uma com a outra. Caminhar juntos vai além andar de mãos dadas, é olhar na mesma direção e escolher tomar o mesmo rumo. É ver o futuro que não é mais só de um, mas dos dois juntos.

Caminhar juntos não é fácil pois, somos pessoas completamente diferentes umas das outras com vontades e   particularidades só nossa.

Caminhar juntos é uma escolha a, é compreender que a pessoa que está ao seu lado tem uma história independente da sua e carrega inúmeras diferenças.

 Nesses 28 anos de casados ainda estamos aprendendo juntos a rir, caminhar, decidir e compartilhar tudo. Uma relação repleta de altos e baixos que traz lições difíceis onde, basicamente, nem um de nós está completamente preparado. Mas... todos os dias estamos aprendendo....com muito amor! Quando há amor, há tudo, é bem verdade que passamos por algumas crises, umas mais difíceis outras mais banais.

 Nesses 28 anos estamos aprendendo que o amor é mais importante que tudo, e que ele nos dá força para conseguirmos ultrapassar qualquer coisa, basta querer, o amor supera frustrações e conflitos, o amor nunca desiste, ele não para no obstáculo, o amor é bondoso e conseguimos ver o melhor no outro, por que amor e convivência se aprendem.

Eu passarinho!

Gosto muito de Mario Quintana, por ser o poeta das coisas simples do cotidiano, o” Poeminha do Contra” é sem dúvida é um clássico da obra dele que nasceu da terceira vez que não foi aceito na Academia Brasileira de Letras, ele revidou, como todo bom poeta fez o que sabia fazer divinamente, fez “um poema”,

“Todos estes que aí estão
Atravancando o meu caminho,
Eles passarão.
Eu passarinho!

 Amo esse poema, por ver a postura do poeta frente às pessoas que gostam de criar obstáculos em nossa vida. É bem verdade que existem muitos que torcem contra você, contra a realização dos seus sonhos. Quando você começa a fazer alguma coisa, sempre tem alguém torcendo contra, e se você consegue ultrapassar as primeiras dificuldades, a torcida para que você falhe aumenta ainda mais. Tudo parece conspirar contra você!      

“Todos estes que aí estão atravancando o meu caminho” Quando tudo conspira contra, é sinal de que você está incomodando o fracasso, porque logo você vai brilhar, vai conseguir seu objetivo.

 Existem também as pessoas medíocres, que não torcem contra e nem a favor. Mas o fato mais importante, é que não são eles que decidem o seu destino.

“Eles passarão". “EU passarinho” todos os obstáculos da nossa vida passarão, que tudo é efêmero, que tudo passa, que as glórias e as vaidades desse mundo são como vapor que se dissipa no ar.

 Tudo passará, mesmo que o obstáculo seja grande, então você pode passar por cima deles como um "passarinho" voando sobre eles leve e pequenino, por cima de tudo isso batendo suas asas.

Portanto, para as pessoas, os problemas, as divergências sem fundamento que atravancam nosso caminho, a melhor resposta que podemos dar, é a liberdade de voar independente, um passarinho voando é um pássaro livre.  sem medo das gaiolas as quais tentam nos aprisionar. Pois quem vive dentro de uma gaiola não compreende que o mundo é cheio de caminhos e possibilidades.