Marketing e Negócios
Você sabe como qualificar seus leads?

A qualificação de leads funciona por meio de “enriquecimento de dados”, você já ouviu falar sobre esse termo?

Enriquecer dados nada mais é do que conquistar outras informações sobre os leads que você já possui na base dados. Essas informações podem ser muito úteis para transformar seus leads em leads qualificados.

Para fazer esse enriquecimento de dados e aprimorar seus leads é necessário usar algumas ferramentas de terceiros, no artigo de hoje vamos indicar duas.

 

 

1 – Okapi

Essa solução é focada em descobrir quais softwares a empresa do seu lead usa. A ferramenta utiliza crawlers ou spiders, a mesma tecnologia usada pela Google para encontrar e indexar páginas de um site.

Dessa forma o Okapi consegue verificar quais sistemas a empresa do seu lead usa, como CRM e outras mais. Ao saber quais softwares seu lead utiliza, abre-se uma gama de opções para explorar abordagens e vender.

 

Já pensou se ele utiliza o sistema do seu concorrente?

 

Nesse caso pode-se oferecer uma oferta especial ou explorar vantagens que seu sistema possui.

 

 

2 - Universal Data Manager

Esse sistema da Hariken consegue extrair informações sobre o interesse dos seus leads, o software se baseia nos sites que os leads visitam. Dessa forma é possível criar segmentações para os diferentes perfis de clientes que você possui.

Por exemplo, se você tem uma loja que vende guitarras e descobre que seus leads navegam em sites com o tema “acessórios e instrumentos musicais”, é possível usar esse critério para segmentar e encontrar leads similares aos seus.

Não perca tempo, enriqueça seus dados, qualifique seus leads e venda mais!


 

 

Alex W. Lopes, o autor é Mídia da agência de publicidade yard.

Por que uma empresa precisa de um blog?

Por que ter um blog? Sempre que precisamos pesquisar algo na internet, recorremos ao Google, não ao Facebook ou ao Instagram, por exemplo. Se você quer que sua empresa seja encontrada no Google quando alguém busca sobre o produto ou serviço que sua empresa vende, você precisa ter um site com blog.

 

Eduque e informe as pessoas

Um dos maiores motivos para ter um blog é que ele permite educar e conduzir seu potencial cliente através de uma jornada de compra. Você já parou para pensar em quantas empresas estão lutando por espaço na cabeça do consumidor apenas no momento final da compra, quando ele já decidiu que quer comprar? Geralmente, elas fazem isso através da publicidade tradicional, com diversos anúncios nos mais diferentes formatos, tentando convencer o consumidor de que é a melhor opção.

Chamamos isso, dentro do Inbound Marketing de Fundo de Funil. E é importante anunciar para o fundo de funil! Você deve continuar fazendo ações para “aparecer” para os clientes nesse momento, portanto, não deixe de fazer suas ações de mídia tradicional.

Entretanto, existem outros estágios no funil, em que os clientes se encontram em outros momentos da compra. O Topo de Funil e Meio de Funil, são momentos onde o cliente ainda não está 100% decidido se vai comprar ou se realmente precisa daquele produto. Inclusive, pode ser que nem passa na cabeça dele que ele pode precisar daquilo. Neste momento, você pode impactá-lo oferecendo informações que o auxiliem a caminhar durante a jornada de compra para chegar até a decisão final de comprar. Exemplos disso, são posts de blog que geram interesse no consumidor por algo que ele sabe que tem certa relevância, mas ainda não está 100% convencido disso.

 

Seja encontrado na internet

Outro bom motivo para ter um blog, é que ele auxilia e muito para que o site da sua empresa fique melhor posicionado no Google sem precisar recorrer a anúncios pagos de Adwords. O Google só se tornou o que é hoje, se pautando na missão: tornar a internet um lugar melhor para quem está navegando. Por isso, ele valoriza tanto conteúdos bem escritos e relevantes. O que o Google quer, no fundo, é oferecer resultados recheados de sites realmente bons, com conteúdos úteis e relevantes, seja qual for o assunto que a pessoa pesquisou. Escrevendo bons conteúdos e alinhando isso com uma boa estratégia de SEO, é possível chegar na primeira página do Google para usuários que estão buscando termos relacionados ao segmento em que a sua empresa atua. E claro que, ganhando posições no Google, consequentemente seu site vai ter muito mais visitas e, consequentemente, vendas.

E agora você pode estar se perguntando: “Mas como vou usar meu blog para atrair visitantes para o site da minha empresa?”. A resposta fica para a próxima coluna, ou fale com a gente.

Felipe Ecco. O autor é content manager da agência de publicidade yard.

Como saber se as pessoas estão vendo seu anúncio na web

Você sabia que veicular um anúncio na web não garante que ele seja visto?

Isso mesmo. Por mais que seu anúncio apareça em algum website ou em aplicativos, não quer dizer que a atenção do usuário será voltada diretamente para o anúncio.

Muito se fala na importância de analisar métricas, como impressões. Mas o número de impressões não revela exatamente se o usuário viu ou não o anúncio, somente que ele foi impresso.

Para mensurar isso, existe a métrica viewability ou potencial de visibilidade. Essa métrica revela se o seu anúncio tem chance ou não de ser visualizado por um usuário.

Se os usuários não visualizam seu anúncio, logo eles não serão impactados e o relacionamento com a marca não será alterado ou construído.

O viewability está disponível em todas as ferramentas de publicidade do Google, por meio do Active View, todas as impressões visíveis são contabilizadas na rede de display e YouTube.

Como o viewability mensura se o anúncio foi visualizado?

Para a rede de display do Google, 50% do anúncio deve estar na tela por pelo menos 1 segundo. Já para YouTube, 50% do vídeo deve estar na tela, por pelo menos 2 segundos.

Segundo a Google, a média de viewability no Brasil para essas plataformas de publicidade é:


1 - Anúncios no YouTube: 95%
2 - Anúncios em vídeo de outras plataformas: 62%

3 - Anúncios na rede de display: 50%

 

Conteúdos que envolvem o usuário e não aparentam ser um simples anúncio possuem taxas maiores de viewability.

 

Por isso é muito importante analisar essa métrica. Para verificar quais anúncios tem mais impressões visíveis e assim otimizar as campanhas e veicular apenas anúncios que trazem mais retorno para o seu negócio.
 

 

Alex W. Lopes, o autor é Mídia da agência de publicidade yard.

 

O que um anúncio feito pelo próprio Facebook ensina sobre o Facebook Ads?

Recentemente o Facebook passou a exibir para mim (e talvez para você também) um anúncio do Facebook Marketing Expert. Basicamente, é uma chamada para conversar com um especialista em Face Ads para receber ajuda ao criar um anúncio de sucesso.

Mas o que é possível aprender com este anúncio? Considerando que foi feito pela própria equipe de Facebook Ads, é bem provável que eles usem estratégias que sabem que dão certo, afinal, eles mesmos que definem o que funciona ou não na plataforma. Sendo assim, vamos às principais constatações:

 

1 - Imagem limpa e sem edição

No anúncio, o Facebook utiliza uma imagem livre de edição. Isto é, sem efeitos e, aparentemente, sem manipulações. Inclusive, não há nenhum texto sobreposto na imagem. Aparentemente, há uma tentativa de parecer o mais natural possível. É um anúncio que se preocupa em não parecer como um anúncio.

 

2 - Pouco texto

Outro detalhe que chama atenção é o fato de que não há muito texto de apoio no anúncio. A frase diz: "Receba recomendações personalizadas para ajudar você a criar um anúncio de sucesso". O texto é extremamente curto e direto, talvez nos mostra que não é necessário "encher linguiça", basta ir direto ao assunto pensando na dor do usuário, que neste caso, é criar um anúncio que funciona.

 

3 - Objetivo claro

O último ponto que achei interessante destacar, é que o anúncio é muito objetivo e deixa claro o que está oferecendo. A frase principal (citada no tópico anterior), promete ajudar o usuário a produzir um anúncio de sucesso. Os caminhos que o usuário irá percorrer estão reforçados com as frases: “Inscreva-se para uma "call" grátis. Redirecionaremos você para a agenda da nossa equipe.”

Ou seja, está muito claro qual é a proposta completa: Você quer criar um anúncio de sucesso? Cadastre-se para uma reunião grátis com um especialista em Ads.

 

Em resumo, o anúncio produzido pela equipe do Facebook parece ser o mais enxuto possível. Agora, vamos iniciar testes para descobrir a efetividade prática dessa estratégia. Fica a dica para você criar os próximos anúncios para a sua empresa. E se precisar de ajuda, fale com um especialista do Facebook, ou melhor ainda, com a yard. ;)

 

Felipe Ecco, o autor é content manager da agência yard.

A arte de amar e resolver problemas

Habilidades não-técnicas no trabalho vem se tornando um diferencial obrigatório entre os melhores profissionais de qualquer área. Elas são conhecidas como “Soft Skills” em inglês. São habilidades que estão diretamente ligadas a comunicação eficaz, pensamento criativo, resiliência, empatia e proatividade. São mais difíceis de serem construídas e avaliadas, porém tais comportamentos são o refinamento ideal para qualquer profissional crescer profissionalmente.

 

Mas o que os designers tem a ver com isso? Talvez você não saiba, mas descobrir e resolver problemas é um dos maiores objetivos de um designer. A empatia, por exemplo, é o princípio básico de um projeto de design, pois toda peça final de design deve fazer com que seu uso seja mais intuitivo e agradável, especialmente para o usuário final. Seja um anúncio, uma embalagem ou até mesmo a interface gráfica de um site. Quem deve ser agradado é o usuário final e não quem paga.

 

Uma outra habilidade dos designers é a proatividade, ser proativo é um conjunto de pequenas ações que podem moldar e transformar o andamento de um projeto e por fim, trazer uma solução melhor. Parece óbvio e é! Mas você pode começar com ações simples, como por exemplo levantar mais vezes da cadeira para conversar com sua equipe e pedir mais opiniões. Se sua empresa tiver essa estrutura, você pode fazer alguns desenhos e anotações em um quadro, para reforçar sua ideia e mostrar visualmente o que está pensando.

 

No começo do texto falamos sobre os problemas que aparecem para o designer e a melhor solução é abraça-los, como Fabio Teixeira um dos criadores do UX Collective Brasil cita em um artigo, “Ser designer, é ser apaixonado por resolver problemas.“. Entregue mais do que pedem, não se atenha ao “checklist”, surpreenda.

 

Alisson Freitas e Lucas Ribas, os autores fazem parte da equipe da agência de publicidade yard.

Erico Rocha, mito ou verdade?

*Por Lucas Ribas ([email protected])

   Para entendermos sobre Erico Rocha, precisamos antes pensar sobre dois termos: publicidade online e marketing digital. Aparentemente eles significam a mesma coisa, mas são bastante distintos. Não existe um conceito formal definitivo sobre o assunto, até porque essa é uma área de estudo muito recente, mesmo se compararmos com administração de empresas, por exemplo, que também pode ser considerada uma área recente. 
   O termo marketing digital se popularizou graças ao crescimento do segmento de infoprodutos. Que basicamente consiste em lançar um produto que pode ser vendido online, normalmente um curso. Com isso, surgiram nomes como Erico Rocha, com vídeos altamente persuasivos e com com uma técnica milagrosa que promete transformar qualquer pessoa em um milionário da noite para o dia com a internet e o marketing digital. E é exatamente aí que a confusão começa.
    A jornada de compra e a venda de produtos e serviços físicos (da vida real) é completamente diferente da venda de um curso online. As dúvidas, objeções e rejeições são completamente diferentes. O próprio Erico Rocha já declarou que o curso Fórmula de Lançamento é nicho do nicho. Dentro do rico universo de possíveis técnicas de marketing digital e publicidade online, eles ensinam apenas a fazer o lançamento de infoprodutos. Atrelado à venda de um infoproduto existe a necessidade de se construir a personalidade de uma pessoa com autoridade online, exatamente como um influenciador digital. Alguém que é especialista em um determinado assunto e possui muitos seguidores e fãs. Já para a venda de produtos e serviços reais é importante utilizar a internet para fazer anúncios e se relacionar com o consumidor, e não tentar criar formas artificiais para seus posts 'bombarem". Essa é a diferença entre a publicidade online - para empresas, e o marketing digital - para quem quer ser um influenciador digital ou lançar um infoproduto. 
Você cria posts para rede social para gerar compartilhamentos e comentários artificias em troca de um prêmio ou de uma charada presente na postagem? Você paga para uma empresa criar semanalmente postagens para sua página e não investe em anúncios patrocinados? Você não faz uma gestão de leads? Se você possui uma empresa real e respondeu sim, para qualquer uma das perguntas anteriores, provavelmente você está com a estratégia errada.

*O autor é CEO da agência yard.

RD Summit 2019 – Só você não vai?

* Por Felipe Ecco ([email protected])

O maior evento de marketing digital e vendas da América Latina. É assim que se apresenta o RD Summit, evento anual realizado pela Resultados Digitais, desenvolvedora do RD Station (popular software de automação de marketing). Nós fomos pela primeira vez em 2017, repetimos a dose em 2018 e vamos novamente em 2019. Entenda os motivos que nos fazem gostar tanto do RD e entenda por que você precisa ir.

Para quem vale a pena e como acontece?
O evento é voltado para quem trabalha em qualquer área que tem relação com marketing, principalmente digital. Mas é extremamente interessante para profissionais de outras áreas, como vendas, ou mesmo empresários.  São centenas de palestras sobre os mais variados temas. Elas são divididas em diversas trilhas simultâneas, ou seja, desde o início até o final do dia são mais de 5 palestras acontecendo ao mesmo tempo, tratando sobre temas diferentes. Aqui, cabe a você escolher quais são os temas que mais tem interesse e, infelizmente, vai acabar perdendo alguma palestra que gostaria de ver. Mas é justamente essa variedade que torna o evento mais incrível ainda.

Ambiente do evento
O clima do evento é bem bacana, todo mundo parece muito empolgado e, ao mesmo tempo que oferece um ambiente de aprendizado, há também bastante descontração, no final de cada dia rola um happy hour com chopp liberado.
O evento acontece em Florianópolis, na beira do mar, o que torna tudo mais legal ainda, principalmente para quem vai de fora, pois foge um pouco do ambiente em que estamos acostumados.

O que eu vou aprender?
No RD Summit você vai encontrar as principais tendências de marketing e vendas. Algumas são trazidas do exterior, inclusive, e ainda não foram aplicadas no Brasil. Ou seja, você terá acesso a conhecimento que pode tornar a sua empresa pioneira em algum tipo de estratégia.
Além de tudo isso que já falei, existem diversos outros motivos para você participar do RD Summit, se você quer saber mais sobre a nossa experiência no evento, pesquise “RD Summit 2019” no Google, um dos primeiros resultados é um artigo da yard., está bem completo!
O evento vai acontecer em Florianópolis, nos dias 6, 7 e 8 de novembro. Se você já tinha interesse, ou depois de ler este artigo tem vontade de participar do RD Summit, entra em contato com a gente, estamos disponibilizando 15% de desconto nos ingressos, privilégio que nos concederam por ser uma agência parceira.
Nos vemos lá!


*O autor é content manager da agência de publicidade yard.
 

Arquitetura Comercial

Por: Duda Camilotti*

([email protected])

 

Os clientes estão cada dia mais resistentes à comunicação publicitária tradicional, por isso, é indispensável utilizar novos métodos que criem algum tipo de destaque dentro da estratégia de comunicação e marketing. Antigamente, um simples panfleto poderia ser o necessário para chamar a atenção e ter uma estratégia eficiente de divulgação. Hoje, as estratégias tradicionais de comunicação precisam ser repensadas, é preciso olhar para o consumidor e entender realmente o que gerará impacto de verdade para ele.

É importante lembrar sempre que o bonito vende. Por isso, investir em um tipo de comunicação moderno, de bom gosto e que traga uma boa sensação térmica, acústica, cromática e luminotécnica, para os clientes faz toda a diferença. É impensável manter uma loja sem um estudo de decoração planejado, evitar poluir visualmente o ambiente com muitos cartazes e palavras complexas. Uma outra dica é evitar acreditar que uma comunicação estática conseguirá destacar os produtos de maneira eficiente.

Esteja na mente dos clientes. Chamar a atenção dos clientes é o que faz toda a diferença entre uma venda ou não. Por isso, planejar uma arquitetura comercial capaz de estimular a curiosidade do cliente, levando-o para dentro da loja é tão importante. Em alguns casos é importante estimular o cliente a permanecer mais tempo no estabelecimento, em outros é importante aumentar o giro de cliente. Um bom projeto de interiores alinhado com suas estratégias de branding, pode te ajudar nisso.

A publicidade atual utiliza muito os recursos sensoriais para entrar na mente dos clientes, por isso, ter um tipo de comunicação que possa ser alterado de acordo com a iluminação ou projeção pode ser extremamente útil, mais um ponto positivo para investir nas telas tensionadas como comunicação.

Em tempos onde investimentos exigem um retorno seguro, ter uma loja com arquitetura comercial envolvente e moderna não é apenas o que fará a empresa crescer mas que fidelizará o seu consumidor, fazendo do negócio uma presença constante na mente dos clientes, seja como primeira opção de compra, seja como um ambiente agradável onde as pessoas vão sentir prazer em estar.

 

*A autora é arquiteta e consultora da yard.

O que é Atenção Seletiva e como tirar proveito dela?

Se você já teve contato com qualquer texto ou aula de administração e marketing, com certeza já ouviu falar nos 4P’s, que são: Preço, Praça, Produto e Promoção. A publicidade e propaganda, se encaixa dentro do P de Promoção, que também pode ser chamado de Comunicação de Marketing. Esse P engloba todas as estratégias quando uma empresa precisa se comunicar com seus clientes. O marketing não é apenas a propaganda, como muita gente acha. Dentro de todas as possibilidades que o marketing nos permite explorar, eu gosto muito da Atenção Seletiva.

 

Divulgação
Lucas Ribas
Existem três formas de como o consumidor compreende uma informação recebida através da publicidade. A primeira e mais importante delas, chama-se Atenção Seletiva. Este processo funciona assim: Quando queremos comprar um produto, é como se a gente ligasse uma antena capaz de captar toda informação relacionada a este produto em nossa volta. Se estamos precisando comprar uma geladeira, o simples fato de escutarmos as palavras, geladeira em promoção, em um comercial de televisão, nos faz virar toda a atenção possível para o comercial. Palavras-chave usadas na sua comunicação farão toda diferença na hora de captar a atenção das pessoas certas, na hora certa. Uma outra maneira de utilizar a Atenção Seletiva a seu favor, é fazer variações de preço ou desconto grandes em relação ao padrão normal. Um desconto de 70% sempre chama mais a atenção do que um desconto de 20%. Esse conceito também nos explica o fato de sermos expostos diariamente a milhares de campanhas publicitárias e nos lembrarmos de pouquíssimas ou de nenhuma. As outras duas formas de absorção das informações publicitárias são a Retenção Seletiva e a Distorção Seletiva.

 

O mais importante é ter bem definido seu público-alvo e seu posicionamento. Com isso, fica muito mais fácil definir o que realmente é importante e o que você pode retirar das suas campanhas publicitárias para despertar a Atenção Seletiva do seu público-alvo e assim, conseguir criar estratégias de marketing para sua empresa que realmente dão resultado.

 

Lucas Ribas. O autor é professor e consultor da yard.

Como ser criativo

Por: Lucas Ribas* ([email protected])

Mas e aí, como ser criativo? Não é fácil responder essa pergunta, até porque para se criar algo, não existe uma fórmula. Cada pessoa tem seu jeito. O que existe são algumas técnicas que facilitam a criação e ajudam a ter ideias realmente inovadoras. Uma dessas técnicas pode ser encontrada no livro "A arte da Guerra".  Que conta que o principal general da época, quando ia traçar suas estratégias, lia livros que não tivessem nada a ver com a guerra, mas que o fizessem pensar em outras coisas, que não em armas e estratégias de combate. E assim ele conseguia abrir a sua cabeça, ter uma visão ampla do que estava acontecendo e traçar uma estratégia surpreendente para vencer as batalhas. Isso dentro do ramo de marketing e da agência de publicidade é o que chamamos de Insight. O famoso eureca ou estalo mental, um momento inesperado de inspiração. São descobertas quase acidentais, que acontecem principalmente quando conseguimos retirar o foco do problema principal e nos concentramos em alguma outra coisa. Pode ser também uma combinação acidental de dois elementos químicos em um laboratório que cria uma reação revolucionária.

Basicamente é algo que surge e nós não estávamos procurando. Mas a inspiração não acontece por acaso, ela exige um grande conhecimento prévio, até mesmo para você identificar que está diante de uma grande descoberta. Quanto mais cultura, melhor, mesmo que num primeiro momento pareça não fazer sentido e não esteja diretamente relacionado ao tema principal que você está querendo criar. Por isso, leia muito, veja muitos filmes, escute muita música e busque sempre por conhecimento. Surpreenda. Faça diferente! Esse é o lema da minha empresa, uma agência de publicidade. O lema também faz parte da nossa missão. Se você ainda não tem uma missão escrita, sugiro parar tudo e escrever imediatamente. Uma boa missão nos ajuda a guiar todas as nossas decisões dentro da empresa e orienta nosso rumo.

 

*O autor é professor e consultor da yard.