Momento Espirita
Na Trilha da felicidade

Falas comumente da felicidade, qual se te referisses à deidade remota, quando esse filão de alegria se te localiza ante os pés. 
Felicidade, porém, não é conquista fácil, prodígio de herança, episódio social ou bafejo da fortuna. 
Somos convidados pela vida a criá-la em nós e por nós, como sucede com todas as nossas aquisições humanas. 
Plantas o milharal e o milharal te responde ao carinho com o tesouro da colheita. 
Instalas a usina, junto de forças determinadas da natureza, e essas forças da natureza te retribuem com vigorosos reservatórios de força. 
No mesmo sentido, a felicidade atira as próprias sementes no caminho de todos, especialmente entre aqueles que jazem atormentados por desenganos e lágrimas e, a breve tempo, ei-la que te oferta messes valiosas de esperança e ventura, tranquilidade e cooperação. 
Aqui, o próximo em penúria te solicita singela fatia de reconforto; ali, se te pede ligeiro auxílio a favor de mães e crianças desamparadas; além, irmãos enfermos em desvalia esperam de ti alguns minutos de atenção e bondade, categorizados por eles à conta de apoio celeste; adiante, as vítimas das inquisições sociais esmolam-te simpatia e compreensão num olhar de ternura; mais adiante, os caídos em viciação e delinquência suplicam-te apenas uma palavra de encorajamento e de paz que lhes dulcifique o coração; e, por toda a parte, amigos e adversários, muitas vezes, aguardam de ti uma frase só de entendimento e generosidade, fé e bênção, que os auxilie a caminhar. 
Descerra a própria alma à influência do Cristo que jamais se segou a criar o bem nos outros e para os outros e, um dia, escutarás de espírito jubiloso, ao te despedires dos nossos irmãos da Terra:
- "Bendito sejas, coração amigo! O mundo ficou melhor e mais feliz porque viveste." 
(Fonte: Mãos Unidas – Emmanuel/ Francisco Cândido Xavier)

PROGRAMAÇÃO DOUTRINÁRIA
A Sociedade Espírita Francisco de Assis de Amparo aos Necessitados - SEFAN, à Rua Santos Dumont, 646, realiza no domingo 16/06/19 as seguintes atividades:
9h30 Evangelização Infanto Juvenil;
10h palestra com ARISTÉIA MORAES RAU, de Curitiba, com o tema: TRABALHO VOLUNTÁRIO, EVOLUÇÃO PELO AMOR.
PAZ E LUZ
 

Por onde fores

Procura ver, além das formas, e ouvir acima das palavras, a fim de que aprendas a auxiliar. 
Sob o espinheiro da irritação de um amigo, estará provavelmente um problema doloroso que desconheces. 
Na base da resposta contundente de interlocutor determinado, a quem pediste cooperação e bondade, se esconde profundo pesar, prestes a se exprimir em aguaceiro de lágrimas. 
No fundo da agressividade imprevista de um companheiro, do qual esperavas a frase consoladora que te arredasse das próprias inquietações, permanece talvez um sofrimento maior que o teu. 
E nas vozes que te pareçam inconvenientes, por demasiado extrovertidas e inoportunas, possivelmente se ocultam telas de angústia que, se expostas de improviso, te gelariam o coração. 
Atende as tarefas que a vida te reservou e, sobretudo, empenha-te a entender, a fim de não reprovar. 
No plano Terrestre, os chamados felizes suportam responsabilidades que se lhes afiguram algemas de cativeiro e muitos daqueles apontados por detentores de privilégios são criaturas chamadas à sustentação das atividades de outras muitas, trabalhando numa cela dourada por fora, mas encharcada por dentro pelo pranto da solidão. 
Segue na estrada dos deveres que te foram assinalados, abençoando e amando sempre. 
No mundo, somos todos viajores ante as rotas do tempo, em busca de aperfeiçoamento espiritual. 
As tribulações que hoje marcam a senda dos outros, amanhã talvez sejam também nossas. 
Reflete na Bondade Infinita de Deus e caminha. 
Por onde fores, carrega contigo a bênção do entendimento e a luz da compaixão. 
(Fonte: Deus Aguarda – Meimei/Francisco Cândido Xavier – publicado em 1980)


PROGRAMAÇÃO DOUTRINÁRIA
A Sociedade Espírita Francisco de Assis de Amparo aos Necessitados - SEFAN, à Rua Santos Dumont, 646, realiza no domingo 09/06/19 as seguintes atividades:
9h30 Evangelização Infanto Juvenil;
10h palestra com MAURÍCIO MORO, colaborador da entidade, com o tema: FÉ E RAZÃO.
VOTOS DE MUITA PAZ E HARMONIA
 

CANTO DE SAUDADE
Torrão amado! Paisagens  /  Onde passei minha vida,

Na verde terra querida,  /  Que não esqueço, jamais...

Teus lindos campos infindos,  /  As glebas férteis, vermelhas,

Pitorescas vias e quelhas  /  Horizontes, os pinhais!

 

Recordo os prados em volta,  /  As belas noites de lua,

O frio cortante na rua  /  E o fulgor das tuas estrelas!...

Noutro lugar nunca vi,  /  Serras, cascatas formosas,

Lírios, mirtos; tuas rosas,  /  Bendita sejas, por tê-las!

 

Rememoro a ingênua estória  /  Das pombas da fundação,

Guiadas por santa mão  /  Para os teus solos felizes.

Qual se programasse Deus  /  Bênçãos de paz e de amores,

Mesclando raças e cores,  /  Filhos de novos matizes.

 

As ladeiras e baixadas,  /  As praças tranquilas, nobres

Onde dormitam os pobres  /  E pipilam os pardais...

Muita coisa esta mudada,  /  Foram-se as velhas gralhas

Agricultoras sem falhas  /  Que semeavam demais...

 

Lembro a vida que eu fruía  /  Vejo teus céus chamuscados

Graças aos campos queimados,  /  Sofro saudades de ti.

Fora do corpo, esse amigo  /  Que me conduzia a pé,

Ao recanto, em Nazaré  /  E ao tranquilo Tibagy!...

 

Quando eu puder retornar  /  Desde agora a Deus eu peço,

Quero ajudar teu progresso,  /  Fazer tudo quanto possa.

Participar da alegria  /  De construir teu futuro

Espírita-cristão, juro!  /  Terra amada: Ponta Grossa!

(Fidélis Alves, psicografia Divaldo Pereira Franco, Salvador, 24/11/1971)

 

Fidélis Augusto Alves, nascido em São Fidélis (RJ), em 29 de abril de 1881, chegou a Ponta Grossa em 1921. Foi comerciante, contador e exerceu os cargos de Tesoureiro e Secretário da Prefeitura, e eventualmente substituiu o Prefeito. Poeta e orador de inspiração privilegiada, suas composições lítero-doutrinárias, de elevado conteúdo moral revelam na espontaneidade do sentimento, a pureza de um coração sensível e bom. Espírita dedicado e atuante, desencarnou em 12 de maio de 1960.

 

[email protected]

Pecado por pensamentos

Por Alcione Madalosso - [email protected]

Esse principio suscita naturalmente a seguinte questão: Sofrem-se as consequências de um pensamento mau, embora nenhum efeito produza?

A verdadeira pureza não está somente nos atos; está também no pensamento, porquanto aquele que tem puro o coração, nem sequer pensa no mal. Foi o que Jesus quis dizer: ele condena o pecado, mesmo em pensamento, porque é sinal de impureza.

Cumpre se faça aqui uma importante distinção. À medida que avança na vida espiritual, a alma que enveredou pelo mau caminho se esclarece e despoja pouco a pouco de suas imperfeições, conforme a maior ou menor boa-vontade que demonstre, em virtude do seu livre-arbítrio. Todo pensamento mau resulta, pois, da imperfeição da alma; mas, de acordo com o desejo que alimenta de depurar-se, mesmo esse mau pensamento se lhe torna uma ocasião de adiantar-se, porque ela o repele com energia. É indício de esforço por apagar uma mancha. Não cederá, se se apresentar oportunidade de satisfazer a um mau desejo. Depois que haja resistido, sentir-se-á mais forte e contente com a sua vitória.

Aquela que, ao contrário, não tomou boas resoluções, procura ocasião de praticar o mau ato e, se não o leva a efeito, não é por virtude da sua vontade, mas por falta de ensejo. É, pois, tão culpada quanto o seria se o cometesse.

Em resumo, naquele que nem sequer concebe a ideia do mal, já há progresso realizado; naquele a quem essa ideia acode, mas que a repele, há progresso em vias de realizar-se; naquele, finalmente, que pensa no mal e nesse pensamento se compraz, o mal ainda existe na plenitude da sua força. Num, o trabalho está feito; no outro, está por fazer-se. Deus, que é justo, leva em conta todas essas gradações na responsabilidade dos atos e dos pensamentos do homem.

(Fonte: O Evangelho Segundo o Espiritismo – cap. VIII, item 7)

PROGRAMAÇÃO DOUTRINÁRIA

A Sociedade Espírita Francisco de Assis de Amparo aos Necessitados, à Rua Santos Dumont, 646, realiza no domingo 03/09/2017 as seguintes atividades:

9h30 Evangelização Infanto-Juvenil

10h palestra pública com RAFAELA ABIB, colaboradora da entidade.

MUITA PAZ

Ingratidão se paga com o bem

Por Alciono Madalosso

Que se deve pensar dos que, recebendo a ingratidão em paga de benefícios que fizeram, deixam de praticar o bem para não topar com os ingratos?

Nesses, há mais egoísmo do que caridade, visto que fazer o bem, apenas para receber demonstrações de reconhecimento, é não o fazer com desinteresse, e o bem, feito desinteressadamente, é o único agradável a Deus. Há também orgulho, porquanto os que assim procedem se comprazem na humildade com que o beneficiado lhes vem depor aos pés o testemunho do seu reconhecimento. Aquele que procura, na Terra, recompensa ao bem que pratica não a receberá no céu. Deus, entretanto, terá em apreço aquele que não a busca no mundo.

Deveis sempre ajudar os fracos, embora sabendo de antemão que os a quem fizerdes o bem não vo-lo agradecerão. Ficai certos de que, se aquele a quem prestais um serviço o esquece, Deus o levará mais em conta do que se com a sua gratidão o beneficiado vo-lo houvesse pago.

É acertada a beneficência, quando praticada exclusivamente entre pessoas da mesma opinião, da mesma crença, ou do mesmo partido?

Não, porquanto precisamente o espírito de seita e de partido é que precisa ser abolido, visto que são irmãos todos os homens. O verdadeiro cristão vê somente irmãos em seus semelhantes e não procura saber, antes de socorrer o necessitado, qual a sua crença, ou a sua opinião, seja sobre o que for. Obedeceria o cristão, porventura, ao preceito de Jesus-Cristo, segundo o qual devemos amar os nossos inimigos, se repelisse o desgraçado, por professar uma crença diferente da sua? Socorra-o, portanto, sem lhe pedir contas à consciência, pois, se for um inimigo da religião, esse será o meio de conseguir que ele a ame; repelindo-o, faria que a odiasse. - S. Luís. (Paris, l860.)

(Fonte: O Evangelho Segundo o Espiritismo, capítulo XIII, itens 19 e 20).

PROGRAMAÇÃO DOUTRINÁRIA

A Sociedade Espírita Francisco de Assis de Amparo aos Necessitados, à Rua Santos Dumont, 646, realiza no domingo 20/08/2017 as seguintes atividades:

9h30 Evangelização Infanto-Juvenil

10h palestra pública com VICENTE CONEY CAMPITELI, colaborador da entidade.

MUITA PAZ

DAS OCUPAÇÕES E MISSÕES DOS ESPÍRITOS - II

Já não tendo o que adquirir, os Espíritos da ordem mais elevada se acham em repouso absoluto, ou também lhes tocam ocupações?

Que quererias que fizessem na eternidade? A ociosidade eterna seria um eterno suplício.

De que natureza são as suas ocupações?

Receber diretamente as ordens de Deus, transmiti-las ao Universo inteiro e velar por que sejam cumpridas.

São incessantes as ocupações dos Espíritos?

Incessantes, sim, atendendo-se a que sempre ativos são os seus pensamentos, porquanto vivem pelo pensamento. Importa, porém, não identifiqueis as ocupações dos Espíritos com as ocupações materiais dos homens. Essa mesma atividade lhes constitui um gozo, pela consciência que têm de ser úteis.

Por Alcione Madalosso - [email protected]

Concebe-se isto com relação aos bons Espíritos. Dar-se-á, entretanto, o mesmo com os Espíritos inferiores?

A estes cabem ocupações apropriadas à sua natureza. Confiais, porventura, ao obreiro manual e ao ignorante trabalhos que só o homem instruído pode executar?

Haverá Espíritos que se conservem ociosos, que em coisa alguma útil se ocupem?

Há, mas esse estado é temporário e dependendo do desenvolvimento de suas inteligências. Há, certamente, como há homens que só para si mesmos vivem. Pesa-lhes, porém, essa ociosidade e, cedo ou tarde, o desejo de progredir lhes faz necessária a atividade e felizes se sentirão por poderem tornar-se úteis. Referimo-nos aos Espíritos que hão chegado ao ponto de terem consciência de si mesmos e do seu livre-arbítrio; porquanto, em sua origem, todos são quais crianças que acabam de nascer e que obram mais por instinto que por vontade expressa. (Fonte: O Livro dos Espíritos, capítulo X, questões 562 a 564).

PROGRAMAÇÃO DOUTRINÁRIA

A Sociedade Espírita Francisco de Assis de Amparo aos Necessitados, à Rua Santos Dumont, 646, realiza no domingo 06/08/2017 as seguintes atividades:

9h30 Evangelização Infanto-Juvenil

10h palestra pública com TELMA ELITA DIVARDIM, colaboradora da entidade.

A PAZ DE JESUS ENVOLVA A TODOS

MOMENTO ESPÍRITA

[email protected]

DAS OCUPAÇÕES E MISSÕES DOS ESPÍRITOS

Alguma outra coisa incumbe aos Espíritos fazer, que não seja melhorarem-se pessoalmente?

Concorrem para a harmonia do Universo, executando as vontades de Deus, cujos ministros eles são. A vida espírita é uma ocupação contínua, mas que nada tem de penosa, como a vida na Terra, porque não há a fadiga corporal, nem as angústias das necessidades.

Também desempenham função útil no Universo os Espíritos inferiores e imperfeitos?

Todos têm deveres a cumprir. Para a construção de um edifício, não concorre tanto o último dos serventes de pedreiro, como o arquiteto?

Tem atribuições especiais cada Espírito?

Todos temos que habitar em toda parte e adquirir o conhecimento de todas as coisas, presidindo sucessivamente ao que se efetua em todos os pontos do Universo. Mas, como diz o Eclesiastes, há tempo para tudo. Assim, tal Espírito cumpre hoje neste mundo o seu destino, tal outro cumprirá ou já cumpriu o seu, em época diversa, na terra, na água, no ar, etc.

São permanentes para cada um e estão nas atribuições exclusivas de certas classes as funções que os Espíritos desempenham na ordem das coisas?

Todos têm que percorrer os diferentes graus da escala, para se aperfeiçoarem. Deus, que é justo, não poderia ter dado a uns a ciência sem trabalho, destinando outros a só a adquirirem com esforço.

É o que sucede entre os homens, onde ninguém chega ao supremo grau de perfeição numa arte qualquer, sem que tenha adquirido os conhecimentos necessários, praticando os rudimentos dessa arte. (Fonte: O Livro dos Espíritos, capítulo X, questões 558 a 561).

PROGRAMAÇÃO DOUTRINÁRIA

A Sociedade Espírita Francisco de Assis de Amparo aos Necessitados, à Rua Santos Dumont, 646, realiza no domingo 30/07/2017 as seguintes atividades:

9h30 Evangelização Infanto-Juvenil

10h palestra pública com MAURICIO MORO, colaborador da entidade.

Durante a semana está à disposição dos interessados vasta programação, em diversos horários, incluindo Grupos de Estudos, Grupos de Palestras Públicas, Diálogo Fraterno, Livraria, Biblioteca.

A PAZ DE JESUS ENVOLVA A TODOS

Mundos de expiações e de provas II

Por Alcione Madalosso - [email protected]

Os Espíritos em expiação, se nos podemos exprimir dessa forma, são exóticos, na Terra; já viveram noutros mundos, donde foram excluídos em consequência da sua obstinação no mal e por se haverem constituído, em tais mundos, causa de perturbação para os bons.

Tiveram de ser degradados, por algum tempo, para o meio de Espíritos mais atrasados, com a missão de fazer que estes últimos avançassem, pois que levam consigo inteligências desenvolvidas e o gérmen dos conhecimentos que adquiriram. Daí vem que os Espíritos em punição se encontram no seio das raças mais inteligentes. Por isso mesmo, para essas raças é que de mais amargor se revestem os infortúnios da vida. É que há nelas mais sensibilidade, sendo, portanto, mais provadas pelas contrariedades e desgostos do que as raças primitivas, cujo senso moral se acha mais embotado.

15. A Terra, conseguintemente, oferece um dos tipos de mundos expiatórios, cuja variedade é infinita, mas revelando todos, como caráter comum, o servirem de lugar de exílio para Espíritos rebeldes à lei de Deus. Esses Espíritos têm aí que lutar, ao mesmo tempo, com a perversidade dos homens e com a inclemência da Natureza, duplo e árduo trabalho que simultaneamente desenvolve as qualidades do coração e as da inteligência. É assim que Deus, em sua bondade, faz que o próprio castigo redunde em proveito do progresso do Espírito. Santo Agostinho. (Paris, 1862.) (O Evangelho 2º o Espiritismo, cap. III, 14 e 15)

PROGRAMAÇÃO DOUTRINÁRIA

A Sociedade Espírita Francisco de Assis de Amparo aos Necessitados, à Rua Santos Dumont, 646, realiza no domingo 09/07/2017 as seguintes atividades:

9h30 Evangelização Infanto-Juvenil

10h palestra pública com MARCOS MACHADO PEREIRA, colaborador da entidade.

Durante a semana está à disposição dos interessados vasta programação, em diversos horários, incluindo Grupos de Estudos, Grupos de Palestras Públicas, Diálogo Fraterno, Livraria e Biblioteca.

MUITA PAZ A TODOS

Causas atuais das aflições II

Por: Alcione Madalosso - [email protected] 

A quem, então, há de o homem responsabilizar por todas essas aflições, senão a si mesmo? O homem, pois, em grande número de casos, é o causador de seus próprios infortúnios; mas, em vez de reconhecê-lo, acha mais simples, menos humilhante para a sua vaidade acusar a sorte, a Providência, a má fortuna, a má estrela, ao passo que a má estrela é apenas a sua incúria.

Os males dessa natureza fornecem, indubitavelmente, um notável contingente ao cômputo das vicissitudes da vida. O homem as evitará quando trabalhar por se melhorar moralmente, tanto quanto intelectualmente.

A lei humana atinge certas faltas e as pune. Pode, então, o condenado reconhecer que sofre a consequência do que fez. Mas a lei não atinge, nem pode atingir todas as faltas; incide especialmente sobre as que trazem prejuízo â sociedade e não sobre as que só prejudicam os que as cometem, Deus, porém, quer que todas as suas criaturas progridam e, portanto, não deixa impune qualquer desvio do caminho reto.  Não há falta alguma, por mais leve que seja,  nenhuma infração da sua lei, que não acarrete forçosas e inevitáveis consequências, mais ou menos deploráveis. Daí se segue que, nas pequenas coisas, como nas grandes, o homem é sempre punido por aquilo em que pecou. Os sofrimentos que decorrem do pecado são-lhe uma advertência de que procedeu mal. Dão-lhe experiência, fazem-lhe sentir a diferença existente entre o bem e o mal e a necessidade de se melhorar para, de futuro, evitar o que lhe originou uma fonte de amarguras; sem o que, motivo não haveria para que se emendasse. Confiante na impunidade, retardaria seu avanço e, consequentemente, a sua felicidade futura. (O Evangelho Segundo o Espiritismo, cap. V, itens 4 e 5)

PROGRAMAÇÃO DOMINICAL

A Sociedade Espírita Francisco de Assis de Amparo aos Necessitados - SEFAN, à Rua Santos Dumont, 646, realiza domingo, dia 18/06, às 10h palestra pública com MARCELO GERALDO DE MATOS, de Morretes.

A partir das 09h30 acontecem as reuniões de Evangelização Infanto-Juvenil.

MUITA PAZ

Compaixão em Família

Por Alcione Madalosso - [email protected]

"Mas se alguém não tem cuidado dos seus e, principalmente

dos da sua família, negou a fé.... Paulo. (I Timóteo, 5:8.)

São muitos assim.

Descarregam primorosa mensagem nas assembleias, exortando o povo à compaixão; bordam conceitos e citações, a fim de que a brandura seja lembrada; Entretanto, no instituto doméstico, são carrascos de sorriso na boca.

Traçam páginas de subido valor, em honra da virtude, comovendo multidões; mas não gravam a mínima gentileza nos corações que os cercam entre as paredes familiares.

Promovem subscrições de auxílio público, em socorro das vítimas de calamidades ocorridas em outros continentes, transformando-se em titulares da grande benemerência; contudo, negam simples olhar de carinho ao servidor que lhes pões a mesa.

Incitam a comunidade aos rasgos de heroísmo econômico, no levantamento de albergues e hospitais, disputando créditos publicitários em torno do próprio nome; entretanto, não hesitam exportar, no rumo do asilo, o avô menos feliz que a provação expões à caducidade.

Não seremos nós quem lhes vá censurar semelhante procedimento.

Toda migalha de amor está registrada na lei, em favor de quem a emite.

Mais vale fazer bem aos que vivem longe, que não fazer bem algum.

Ajudemos, sim, ajudemos aos outros, quanto nos seja possível; entretanto, sejamos igualmente bons para com aqueles que respiram em nosso hálito. Devedores de muitos séculos temos em casa, no trabalho, no caminho, no ideal ou na parentela, as nossas principais testemunhas de quitação.

(fonte: livro Luz no Lar – Chico Xavier / Emmanuel)

PROGRAMAÇÃO DOMINICAL

A Sociedade Espírita Francisco de Assis de Amparo aos Necessitados - SEFAN, à Rua Santos Dumont, 646, realiza domingo, dia 04/06, às 10h palestra pública com PEDRO CARLOS CAMPOS, colaborador da entidade.

A partir das 09h30 acontecem as reuniões de Evangelização Infanto-Juvenil.

MUITA PAZ