Saúde em Pauta
Junho Vermelho

As campanhas do Outubro Rosa (contra o câncer de mama) e do Novembro Azul (contra o câncer de próstata) se constituíram efetivas estratégias para a prevenção dessas enfermidades. E inspiraram  outras campanhas ao longo do ano.  A fim de se disseminar informações e orientações sobre as significativas questões na área da saúde, atualmente tem se associado uma cor à um mês do calendário e esta proposta inovadora tem se constituído uma expressiva ferramenta de marketing e conscientização. Ao mês de junho foi atribuída a cor vermelha, para nos arremeter à importância da doação de sangue que têm salvado tantas vidas. Doar sangue é um ato de amor, mas acima de tudo em alguns casos, é a única forma de salvar uma vida.  Para isso aconteça efetivamente existem itens importantíssimos a serem respeitados.

Requisitos  para doação de sangue

O alto rigor no cumprimento dessas normas vai oferecer segurança e proteção tanto ao receptor como ao doador. Tanto os requisitos básicos, impedimentos temporários e definitivos devem ser rigorosamente observados na hora da triagem  para que a doação de sangue se concretize com segurança e eficácia. 

 

Requisitos básicos

•             Gozar de boas condições de saúde

•             Faixa etária entre 16 e 69 anos, desde que a primeira doação tenha sido feita até 60 anos

•             Peso mínimo de 50kg

•             Se sentir descansado ou seja, ter dormido pelo menos 6 horas nas últimas 24 horas)

•             Estar alimentado e de preferência não ter ingerido alimentos gordurosos  nas 4 horas anteriores à doação

•             Identificação pessoal que deverá ser feita com documento original (foto recente) emitido por órgão oficial (Carteira de Identidade, Cartão de Identidade de Profissional Liberal, Carteira de Trabalho e Previdência Social).

 

 Impedimentos temporários

•             Gravidez

•             Amamentação (se o parto ocorreu há menos de 12 meses) 90 dias após parto normal e 180 dias após cesariana

•             Ingestão de bebida alcoólica nas 12 horas que antecedem a doação.

•             Resfriado ou gripe (aguardar 7 dias após desaparecimento dos sintomas)

•             Tatuagem ou maquiagem definitiva nos últimos 12 meses

•             Extração dentária ou tratamento de canal onde nos 2 casos deve-se verificar a medicação e esperar  por 7 dias

•             No caso de cirurgia odontológica com anestesia geral deve-se aguardar pelo menos 4 semanas

•             Se existirem situações ou risco em adquirir doenças sexualmente transmissíveis o período recomendado é de se aguardar 12 meses

•             No caso de procedimentos endoscópicos como  endoscopia digestiva alta, colonoscopia, rinoscopia  deve-se  aguardar 6 meses

•             No caso de vacina contra gripe deve-se aguardar 48 horas

•             Acupuntura: se realizada com material descartável recomenda-se  aguardar 24 horas

•             No caso de Herpes Zoster: liberação para a doação  após 6 meses da cura (vírus Varicella zoster)

•             Febre Amarela: em regiões visitadas com surto da doença, após o retorno deve-se deve aguardar 30 dias para doação. No caso de ter tomado a vacina, deve aguardar 04 semanas e se caso, contraiu a doença, deve aguardar 6 meses após recuperação completa

•             Pessoas que estiveram nos estados do Acre, Amapá, Amazonas, Rondônia, Roraima, Maranhão, Mato Grosso, Pará e Tocantins são locais onde há alta incidência  de malária, após o retorno deve aguardar 12 meses para doar sangue

•             Este período de 12 meses vale também para pessoas que estiveram em países com alta prevalência de malária

•             Europa: quem morou na Europa após 1980, verificar aptidão para doação 

•             EUA: quem esteve nesse país deve aguardar 30 dias para doar, após o seu retorno.

 

Impedimentos definitivos

•             Malária

•             Uso de drogas ilícitas injetáveis

•             Hepatite após os 11 anos de idade (recusa definitiva)

•             Hepatite B ou C após ou antes dos 10 anos (recusa definitiva)

•             Hepatite por Medicamento: liberado para doação após a cura comprovada

•             Hepatite viral (A): após os 11 anos de idade, deve trazer o exame de diagnóstico da doença  para possível avaliação do clínico da triagem

•             Recusa definitiva se houverem evidências clínicas ou laboratoriais para  enfermidades  infecciosas transmissíveis pelo sangue: Hepatites B e C,  doenças associadas aos vírus HTLV I e II, Doença de Chagas e AIDS (vírus HIV).

 

Intervalos para doação

•             Homens - 60 dias (máximo de 04 doações nos últimos 12 meses).

•             Mulheres - 90 dias (máximo de 03 doações nos últimos 12 meses).

A sinceridade na hora da triagem também pode salvar vidas. Apesar da boa vontade deve-se ser o mais honesto possível nos requisitos exigidos, evitando-se dessa forma inadequação ao procedimento ou  um problema de saúde  a mais para o enfermo.