Toque de Letra
Adaptação aos novos tempos da bola

Sem dúvida, o futebol não é mais o mesmo. Para as novas gerações, talvez as mudanças vigentes até não devam surtir tanto efeito, já que também os próprios torcedores exibem um novo perfil. Já vai longe o tempo em que os estádios de futebol eram para o povão, bandeiras e foguetório. Hoje, são cadeiras numeradas, sem bandeiras e muito menos aquele povão divertido, que torcia para o seu time do coração espremidos ou agarrados ao alambrado. Para essa gente, tudo ficou proibido e muito caro.

Hoje, entre o público seleto e selfs que brilham em estádios reduzidos em capacidade – que saudades do grande Maracanã - o futebol tupiniquim também não é mais o mesmo. De uns tempos para cá, até a grafia do nome do time canarinho mudou para letras minúsculas: ´seleção brasileira´. Aliás, do jeito que andam as coisas, não acredito ver novamente o Brasil campeão do mundo tão logo. Por falar nisso, vem aí mais uma Copa América, aqui no Brasil. Alguma empolgação?

Entre os vieses desta mudança inevitável, está o tal do VAR, ou árbitro de vídeo. Acho que entre todas as coisas que estão mudando no velho esporte bretão, essa é a mais infame, a mais ridícula. Na verdade, botaram mais gente para apitar o jogo. E desta forma, claro que as lambanças vão aumentar. Meu Deus! O que foi aquilo que fizeram no último Grenal?

Entre as atrocidades que andam fazendo, em nome da justiça no futebol, a verdade é que estão acabando com a espontaneidade do jogo. Infeliz dos árbitros, que sem dúvida, estão perdendo a identidade no campo. O grito de gol está sendo cortado e o jogo vai perdendo aquela malícia. Não se fala mais em cobrador de falta, drible e jogadores. Hoje o que conta é o tal do VAR...VAR para aquele lugar!