Política

44% dos brasileiros estão pessimistas com eleições

Entre os brasileiros, 44% se dizem pessimistas em relação à eleição presidencial de 2018 e 20% afirma estar otimistas com as eleições. Este foi o resultado da pesquisa feita pela Confederação Nacional da Indústria (CNI) e o Ibope e que compõe o levantamento 'Retratos da Sociedade Brasileira - Perspectivas para as eleições de 2018'. Ainda segundo a pesquisa, 23% dos brasileiros afirmam não ser nem otimistas e nem pessimistas e 13% não sabe ou não respondeu. 
O principal motivo para o pessimismo é a corrupção - citada por 30% dos entrevistados, seguido pela falta de confiança no governo e nos candidatos (19%). Dos 20% da população que se dizem otimistas, 32% afirmam acreditar na mudança e renovação e 19% têm esperança no voto e na participação popular. "Outra característica interessante é como o eleitor estuda e decide sobre seus candidatos: verificamos  que 84% dos entrevistados estudam as propostas porém a grande maioria (75%) não acredita nas promessas de campanha", aponta o gerente-executivo de Pesquisa e Competitividade da CNI, Renato da Fonseca. 

Expectativas 
De acordo com os dados apresentados por Fonseca, a pesquisa mostra ainda que a prioridade do próximo presidente da República deve ser a promoção de mudanças sociais, com melhoria da saúde, educação, segurança e diminuição da desigualdade social. Essa foi a opção que teve o maior número de votos (44%) entre os brasileiros entrevistados. Em segundo lugar, com 32% dos votos, aparece a moralização administrativa, com combate à corrupção e punição de corruptos. Um número menor de pessoas acredita que entre as três opções apresentadas, a prioridade deve ser a estabilização da economia, com queda definitiva do custo de vida e do desemprego (21%). Do total de entrevistados, 1% não quis escolher entre as três opções e 2% não souberam responder. 
Apesar de desejarem que o foco do próximo presidente esteja nas questões sociais, 92% das pessoas defendem que é importante ou muito importante que o candidato também defenda o controle dos gastos públicos. (Com Assessorias)

Candidatos x partidos 
Apesar   de   64% dos   brasileiros   (64%) concordarem   que   o   partido   do   candidato   à  presidência   é   importante,  sete em cada dez brasileiros (72%) concordam totalmente ou em parte que votam nos candidatos que  gostam,  independentemente  do  partido  em que eles estejam. Praticamente a metade dos eleitores  (48%)  não  possui  preferência  ou  simpatia por  nenhum  partido  político.  A  falta  de  fidelidade aos partidos também se revela na eleição para cargos  do  legislativo:  mais  da  metade  dos  brasileiros (58%) discordam de que o seu voto para de deputado  e  senador  vai  para  candidatos  do  mesmo  partido do seu voto para presidente.


Pesquisa
A pesquisa realizada pelo Ibope Inteligência foi feita com 2 mil pessoas em 127 municípios entre os dias 7 a 10 de dezembro de 2017; a margem de erro estimada é de 2 pontos percentuais para mais ou para menos sobre os resultados encontrados no total da amostra. O levantamento foi registrado no Tribunal Superior Eleitoral sob o protocolo Nº BR-03599/2018
 

Renato da Fonseca, gerente da CNI, comenta a pesquisa sobre o perfil dos candidatos (Foto: Divulgação)