Economia

9 em cada 10 cervejarias paranaenses tiveram queda de 70% ou mais no faturamento

(Foto: Fábio Matavelli/DC)

A Associação das Microcervejarias do Paraná (Procerva) aplicou, em maio, um questionário em empresas de onze cidades do estado – sendo 10% de Ponta Grossa. A pesquisa mostrou que apenas 15% das cervejarias não tiveram funcionamento impactado: as demais reduziram horários, operação ou fecharam temporariamente. 9 em cada 10 tiveram queda de 70% ou mais no faturamento e no resultado consolidado das cervejarias entrevistadas a queda foi de 81%.

Quase um terço (31%) diminuiu 80% das vendas e 1 em cada 3 não tem capacidade de se manter até novembro caso a situação atual persista. Metade das empresas se viu forçada a demitir funcionários, quase 40% reduziram salários e jornada, e 29% solicitaram o programa de suspensão temporária de contratos. Considerando os funcionários, 3 a cada 4 foram afetados de alguma forma, com demissão, redução de jornada/salário ou tiveram o contrato suspenso temporariamente.

“Estamos em contato com a Procerva e em discussões constantes a respeito do mercado uma coisa é certa: o financiamento prometido não chegou a ninguém. Todo mundo foi atrás, mas nenhuma microcervejaria recebeu crédito do governo. Conseguimos ter uma redução no ICMS no estado, mas não amenizou nada”, aponta Ricardo Carvalho, da Oak Bier, que também preside a associação local do setor.

Leia também: Pandemia reduz consumo de cerveja e afeta micro e grandes cervejarias de Ponta Grossa