Polícia

Acusado de matar mulher é condenado a 42 anos de prisão

Crime aconteceu na residência onde o casal morava em outubro de 2017. O réu foi condenado a 42 anos e seis meses de prisão em regime fechado após julgamento que durou cinco horas
Réu chegou ao Fórum de PG escoltado por policiais militares (Foto: José Aldinan)

Ponta Grossa realizou, na quinta-feira (14), o segundo julgamento do ano por crime de feminicídio. Um homem de 44 anos, acusado de matar a mulher, 30 anos, a facadas na frente dos filhos, em outubro de 2017, foi a júri popular no Fórum de Ponta Grossa. O réu foi condenado a 42 anos e seis meses de prisão em regime fechado. A sentença foi lida por volta das 13 horas, após cinco horas de júri.

O crime aconteceu na residência onde o casal morava, no bairro de Uvaranas. Uma discussão teria levado o agressor a cometer o crime. O julgamento iniciou por volta das 8h30 e foi a portas fechadas a pedido do juiz Luiz Carlos Fortes Bittencourt, onde participaram apenas os advogados de defesa e acusação, promotores e jurados. O acusado chegou ao Fórum escoltado por policiais militares.

"Foi um resultado esperado já que o réu responde pelos crimes de homicídio triplamente qualificado, feminicídio e, ainda, a tentativa do acusado de matar o seu enteado, filho da vítima, na época com 12 anos. Foi um crime muito pesado", disse o advogado da família da vítima e assistente de acusação, Ângelo Pilatti Júnior.

A família da vítima também não pôde acompanhar os primeiros momentos do júri e aguardou em frente ao Fórum. Abalada, a mãe da mulher preferiu não conversar com a imprensa.

Crime

Segundo a Polícia Militar, o crime ocorreu no dia 16 de outubro de 2017 e teria começado no quarto do casal, onde a vítima foi atingida pelos primeiros golpes de faca. "Ela gritou por socorro e o filho dela, na época com 12 anos, enteado do autor, ouviu a mãe e correu para tentar defendê-la. Mas acabou atingido por duas facadas pelo padrasto", informou a PM.

A mulher tentou fugir e correu para o lado de fora da casa, mas foi alcançada e esfaqueada por diversas vezes. "Um vizinho teria ouvido os gritos de socorro e chamou o irmão da vítima. Ele tentou socorrê-la, mas foi impedido e ameaçado de morte", relatou a polícia.

Moradores da região acionaram o Corpo de Bombeiros, Samu e a Polícia Militar para prestar atendimento. Ao chegar ao local, os socorristas encontraram a mulher já sem vida caída na porta de casa.

Na residência estavam outras quatro crianças, entre elas, um bebê de sete meses. Elas foram resgatadas pela avó materna e encaminhadas para a casa de familiares. O menino de 12 anos foi socorrido e conseguiu se recuperar.

Mais um caso

Ainda no final de janeiro, outro homem foi condenado a 25 anos de prisão após ser culpado de matar a namorada, uma estudante de Direito, utilizando um taco de beisebol. O julgamento aconteceu no dia 31 de janeiro e foi marcado por grande comoção.

A vítima foi encontrada morta e com sinais de espancamento na cabeça no dia 27 de julho de 2017. O corpo estava caído no chão, ao lado da mesa de sinuca, e coberto. Próximo da vítima estavam três bilhetes escritos pelo companheiro justificando os motivos que o levaram a matar a namorada. Um deles seria motivos de ciúme.