Safra 2014/2015

Agronegócio responde por 70% dos financiamentos

Em 2014, os contratos firmados pelo banco em todas as áreas nos Campos Gerais movimentaram R$ 110,58 milhões

O Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE) firmou 242 contratos nos últimos quatro anos (2012 a 2015) nos Campos Gerais, movimentando mais de R$ 352,72 milhões. Só neste ano, são 16 operações contratadas e um valor superior a R$ 7,03 milhões. Em 2014, o banco atendeu 71 contratos, o que resultou em R$ 110,58 milhões. Do total financiado, entre 60% e 70% diz respeito ao agronegócio.

Do valor global liberado ao longo destes anos, R$ 56,05 milhões foram em Ponta Grossa, considerando 55 contratos. Em 2014, por exemplo, foram negociados R$ 31,30 milhões.

Em se tratando da agência do BRDE no Paraná o aumento na carteira ativa foi de 20% em 2014, com R$ 4,8 bilhões, tendo como base o ano de 2013 (R$ 4 bilhões). Os números estão no balanço de 2014.

“Os resultados são animadores e consolidam o BRDE como grande indutor do desenvolvimento econômico do Paraná, financiando projetos estruturantes que geram emprego e renda e melhoram a receita dos municípios”, avalia o diretor Administrativo do banco, Orlando Pessuti.

Segundo o diretor, a carteira de financiamento da agência paranaense, constituída por mais de 18 mil operações ativas, com um saldo médio de R$ 265 mil, confirma a vocação do BRDE, que tem o atendimento voltado as micro, pequenas e médias empresas, bem como produtores rurais.

Resultado

Em 2014, o banco obteve um resultado líquido da ordem de R$ 212 milhões, incremento de 37,4% em relação a 2013. O ativo total do BRDE, considerando toda a região Sul, chegou a R$ 13,4 milhões, distribuídos em mais de 40 mil operações ativas.

Foi no ano de 2014, que foi concluído o processo de capitalização do banco, com o aporte de R$ 400 milhões, resultado de financiamentos obtidos pelo Paraná e Santa Catarina junto ao Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES).

Rural

A avaliação dos impactos ambientais é primordial para a concessão do apoio financeiro. Já os beneficiários dos programas agropecuários são produtores rurais, pessoas físicas e jurídicas, e cooperativas agropecuárias.

Pessuti: “os resultados consolidam o BRDE como grande indutor do desenvolvimento”

Foto: Ivo Pegoraro/Divulgação