Cidades

AMTT irá credenciar lojas para venda de EstaR

Comerciantes poderão vender tempo de estacionamento
(Foto: Fábio Matavelli)

A prefeitura de Ponta Grossa deverá cadastrar estabelecimentos comerciais, nas áreas onde há Estacionamento Regulamentado (EstaR), para que possam vender créditos de uso nas vagas do estacionamento rotativo. A intenção é ampliar locais para compra de tempo de EstaR, que hoje só é vendido isoladamente em unidades da AMTT e junto aos agentes de trânsito.

Conforme o decreto 16.060/2019, para realizar a venda de estacionamento pelo sistema digital, o comerciante deverá ter CNPJ ativo perante a Receita Federal, possuir alvará de funcionamento, e estar em dia com as obrigações fiscais junto ao município.

Uma vez feita a inclusão do comerciante, ele poderá vender os tempos de estacionamento pelo valor de preço público tabelado pela autarquia, ao passo que terão direito a uma comissão pecuniária de 7% do valor do preço público de EstaR, mensalmente, por meio de acordo contratual. Talvez essa seja a maior diferença em relação ao acordo firmado anteriormente entre município e comércio.

Anos atrás, a Autarquia credenciava os comerciantes interessados na venda dos talões e folhas avulsas de EstaR, mas não havia regulação sobre o preço. Ou seja, o comerciante podia embutir na venda o valor que quisesse, e o município não apenas permitia, como também não oferecia nenhuma vantagem para quem comercializasse por preços mais baixo. Isso acabou desmotivando comerciantes a oferecerem pontos de venda.

Com a criação do EstaR Digital, a maioria dos usuários faz uso do sistema via aplicativo de celular. Mesmo sem cadastro oficial junto à AMTT, alguns pontos de comércio ainda vendem os talões de papel, últimos remanescentes, já que a procura pelo item ainda existe.

 

Melhorias

Com a ampliação no serviço, deve haver maior cobertura no atendimento a usuários que vêm de outras cidades, estão com veículo alugado, e não querem ou não podem instalar o aplicativo. Os pontos de venda reduziriam o risco de uma notificação aplicada enquanto se busca um agente de trânsito. A AMTT informa que ainda trabalha para suprir demandas da população em relação ao sistema e vem implementando alterações para dar maior agilidade, uma vez que o aplicativo só é útil para quem tem um smartphone com sistema compatível e acesso a internet.

 

Talões ainda são vendidos

Denise Deschk tem um café na rua Dr. Colares. Em sua gaveta não podem faltar as folhas avulsas de EstaR. “Todos os dias vendo cinco a oito cartões. A procura diminuiu com a criação do aplicativo. Mas sempre tem gente de fora que precisa”, diz Denise, que também conta com as folhinhas para atrair novos clientes, que sentem o aroma do café e acabam ficando mais tempo. Ademir Iglesias, proprietário de um sebo na rua XV de Novembro, também vende as folhinhas. “Vendo um talão por dia. As folhas de uma horas já terminaram. Vai ser bom ser incluído no sistema digital, porque os clientes sempre pedem”, comenta. A AMTT fará o chamamento público dos comerciantes, nos próximos meses.