Economia

Aquisição da Vult pelo Boticário precisa de aprovação do Cade

O Grupo Boticário, que registrou crescimento de 7,5% em 2017, com receita bruta de R$ 12,3 bilhões, anuncia a aquisição da empresa brasileira Vult Cosmética. A concretização da compra está sujeita à prévia aprovação pelas autoridades brasileiras de defesa da concorrência, o Cade (Conselho Administrativo de Defesa Econômica).

A operação reforça a estratégia do Grupo Boticário, iniciada em 2010, de aumentar o seu alcance no mercado brasileiro de beleza, sempre com foco em atender as necessidades e os desejos dos consumidores. “A chegada da Vult complementa o nosso portfólio e fortalece o nosso negócio, que é multimarca e multicanal. É uma empresa nacional, empreendedora e inovadora, que conquistou territórios e também ganhou a confiança dos brasileiros”, destaca Artur Grynbaum, presidente do Grupo Boticário.

A Vult está no mercado desde 2004 e tem amplo portfólio de produtos cosméticos e maquiagem.  Atualmente, está presente em 35 mil pontos de venda pelo país, com forte atuação em lojas multimarcas e farmácias. "Ao longo dos anos, a Vult cresceu e se consolidou no mercado de beleza nacional. A nossa união à uma empresa referência e de sucesso como o Grupo Boticário fortalece a marca. Seguiremos na empresa para alavancar nosso crescimento nos próximos anos", afirmam Murilo Reggiani e Daniela Cruz fundadores da Vult.

O Grupo Boticário é uma referência internacional no varejo de beleza. Controla cinco unidades de negócio (O Boticário, Eudora, quem disse, berenice?, The Beauty Box e Multi B), e é mantenedor da Fundação Grupo Boticário de Proteção à Natureza. Está presente em 12 países e conta com uma força de trabalho composta por 10 mil colaboradores diretos que acreditam que beleza não é o que a gente sonha, imagina ou quer. Beleza é o que a gente faz.