Cidades

Associação prevê obras em hospital de PG até setembro

Hospital Municipal terá 21 leitos a mais
Aprós acompanha toda a execução da obra (Foto: José Aldinan)

O Hospital Municipal Dr. Amadeu Puppi, em Ponta Grossa, deverá contar com uma ala totalmente reformada dentro de 90 dias. As obras, iniciadas em janeiro, estão sendo acompanhadas de perto pela gerência do hospital e por integrantes da Associação Pró Pronto Socorro (Aprós), uma entidade criada em maio de 2018 especialmente para viabilizar recursos e possibilitar o gerenciamento de melhorias no HM.

A recuperação da estrutura do hospital incluiu total substituição da cobertura da antiga ala amarela, com a posterior recomposição de todo o setor. Ao término, o hospital terá recebido o investimento de aproximadamente R$ 2,7 milhões, somente em sua estrutura. O próximo passo será equipar as 17 enfermarias. Com isso, o espaço que antes oferecia 18 leitos passará a contar com 39 leitos.

A maior parte dos recursos foram obtidos por meio da destinação da Justiça Federal, através do juiz Antonio Cesar Bochenek; Ministério Público Federal, através do juiz Osvaldo Sowek, e Procuradoria da República no município, através da doutora Lyana Helena Joppert Kalluf.

Os projetos são caracterizados como filantropia mas, na opinião da vice-presidente da Aprós, Juliane Dorosxi, significam mais do que apenas de colocar sob a responsabilidade do terceiro setor o trabalho do poder público. “É preciso ter em mente que são recursos obtidos por meio de pagamento de multas aplicadas sobre situações diversas. Então, essa verba pública está voltando a ser útil para a população. E, por não precisarmos fazer licitação, as obras podem ocorrer mais rápido e com mais qualidade, ao mesmo tempo que tudo é devidamente registrado e fiscalizado”, explica.

 

Qualidade e rapidez

A gerente administrativa do HM, Karin da Costa Agner, destaca que a ala reformada já estava muito deteriorada. Apenas metade dos leitos podia ser utilizada antes da reforma, e parte das enfermarias já estava até interditada pela Vigilância Sanitária. “Importante lembrar que o município tem responsabilidade sobre manutenção e custeio. Mas obras como essa que realizamos são uma tarefa do Governo do Estado. O que a Aprós realiza, sob a supervisão do município, é uma melhora qualitativa nas enfermarias que não seria possível, nesses moldes e nesse tempo, se fosse feita diretamente pelo poder público”, comenta, apesar de reconhecer a boa vontade do município e do estado em manter as obras de agora em diante, também motivados pela ação da Aprós.

 

Qualquer um pode colaborar

O próximo passo da Aprós, explica Kelly Cristina Bida da Costa, membro da diretoria, é buscar parceiros que irão adotar as enfermarias, equipando os quartos em parte ou em sua totalidade com mobília. Nos moldes do que já foi feito no Hospital da Criança pela associação Amigos do HC, as enfermarias terão TV, ar-condicionado, poltronas para visitantes e, um dos maiores diferenciais, banheiro social e água com aquecimento solar. A associação obtém recursos com ações beneficentes como bazares e almoços, com colaboração de outras instituições como o Rotary Club Ponta Grossa Alagados e envolvimento de funcionários do hospital. Mas qualquer um, pessoa ou empresa, pode colaborar.

 

Outras ações similares

A associação Amigos do HC (AAHC) foi a primeira no município a auxiliar o poder público na recuperação e melhoria de instituição hospitalar, com recuperação de brinquedoteca, enfermarias e recepção, melhorando a autoestima de pacientes, acelerando sua recuperação e envolvendo funcionários em nova perspectiva de humanização. Veja como colaborar com as associações já formadas em Ponta Grossa.

- Associação Amigos do HC (AAHC) – (42) 3026-3410

- Associação Abrace o Hospital Universitário (Abrace o HU) - (42) 99911-8577

- Associação Pró Pronto Socorro (Aprós) - (42) 99930-7220