Cidades

Autarquia pode cassar licença de 33% dos taxistas

AMTT analisa quantas renovações serão efetivadas (Foto: José Aldinan)

A AMTT pode cassar a autorização para operação de pelo 52 taxistas que não fizeram o recadastramento da licença para trafegar nas ruas de Ponta Grossa. O órgão havia estabelecido prazo até dia 16 de janeiro para ser atualizado. Depois disso, a AMTT pode seguir a determinação do decreto 14.730, que prevê a cassação da atividade de taxista em caso do não recadastramento.

Dos 156 táxis que atuam no município, apenas 54 já estavam regularizados no início deste ano. Do restante, segundo informado pela assessoria de imprensa da prefeitura, apenas 50 protocolaram pedido de renovação, enquanto outros 52 (cerca de 33,3% do total) nem sequer deram entrada no pedido.

A autarquia acrescentou que, dos 50 que protocolaram o pedido e apresentaram a documentação necessária para efetivar o recadastro, ainda será necessário aguardar a apresentação do Exerce Atividade Remunerada (EAR). O EAR consiste em uma observação constante na CNH e exigida pelo Detran para realização de serviços de transporte, que incluem a atividade de taxista. Como o EAR está condicionado à realização de exames psicológicos, a AMTT ainda analisa cada caso para saber quais veículos protocolados poderão concretizar a renovação.