Economia

BB oferta R$ 2,75 bi em crédito agrícola na região

Novo Plano Safra do banco disponibiliza R$ 11,9 bilhões em todo o estado

Com uma expectativa de aumento de 10% em relação ao último ano, o Banco do Brasil pretende liberar cerca de R$ 2,75 bilhões em crédito agrícola para produtores rurais da região dos Campos Gerais através do Plano Safra 2019/2020. Os dados foram apresentados na manhã desta quinta-feira (11), em cerimônia realizada na agência Estilo de Ponta Grossa.

Segundo o superintendente regional do BB, Cleiston Oldoni, na safra 2018/2019, que foi finalizada no dia 30 de junho, foram viabilizados R$ 2,5 bilhões para custeio e investimentos na região. “Nossas linhas de crédito são diferenciadas pelo porte dos produtores; o maior aumento foi verificado junto aos grandes produtores, mas os pequenos representam cerca de 30% do total”, explicou Oldoni.

Na avaliação do superintendente a última safra foi boa, principalmente para os Campos Gerais: enquanto no país o incremento de crédito teve uma variação de 1,7%, na região o aumento no montante chegou a 19%.

O presidente da Sociedade Rural dos Campos Gerais, Edilson Gorte, também acompanhou a apresentação, e disse que o novo plano superou as expectativas. “Esperávamos um volume menor de crédito. Apesar de os juros subirem 0,5% e o capital para investimento ser tabelado em 85% - quando em outros anos tinha a possibilidade de chegar a 90% ou 100% - estamos otimistas para esta nova safra”, avaliou Gorte.

O representante da classe também analisou que, para os próximos anos, a tendência de crédito governamental deve ser focada no pequeno produtor. “Estamos percebendo que os outros bancos estão cada vez mais assemelhando as suas condições ao Plano Safra, que é governamental. Se continuar assim, em breve os grandes produtores devem procurar apenas as instituições que oferecem recursos próprios devido à competitividade de mercado, deixando que o pacote do governo federal seja focado no agropecuarista de menor porte”, aponta o presidente, destacando que este é um comportamento positivo para a economia do agronegócio brasileiro.

Novidades

Dos R$ 11,9 bilhões disponibilizados pelo BB ao Paraná, R$ 2,1 bilhões (+31%) são para o Pronaf, que atende o pequeno produtor, R$ 2,7 bilhões (+17%) ao Pronamp, que atende o médio produtor, e R$ 7,1 bilhões (+6%) aos demais produtores e cooperativas.

Entre as novidades para esta safra estão condições diferenciadas aos Pronaf que possibilitam crédito para construções e reformas de moradias. “Também estamos disponibilizando o ‘digital mobile’ ao pequeno produtor, ferramenta que já constava para outros portes e permite que o agropecuarista faça todo o processo direto da sua propriedade”, destaca o superintendente regional do Banco do Brasil.

 

Agricultura Familiar (Pronaf)

Produtores com Renda Bruta Anual de até R$ 415 mil que tenham, no mínimo, 50% dela proveniente de atividades agropecuárias. Juros de 3 a 4,6% (menores para culturas especiais, como erva-mate, agroecologia e leite, por exemplo).

Médio Produtor (Pronamp)

Produtores com Renda Bruta Anual de até R$ 2 milhões que tenham, no mínimo, 80% dela proveniente de atividades agropecuárias. Juros de 6% (queda de 1%).

Demais produtores (MCR)

Produtores com Renda Bruta Anual acima de R$ 2 milhões que tenham mais de 20% dela proveniente de atividades não-agropecuárias. Juros de 8%.

Apresentação dos dados foi feita na manhã desta quinta-feira (11) em Ponta Grossa (Foto: José Aldinan)