Economia

Caixa e APC debatem sobre o Minha Casa Minha Vida

Servidores do banco participaram da reunião com construtores nesta quinta
(Foto: Divulgação)

Servidores da área técnica e negocial da Caixa Econômica Federal participaram de reunião da Associação Paranaense de Construtores (APC) na manhã desta quinta-feira (25). O objetivo do encontro foi levar informações sobre expectativas do cenário econômico do país para o setor, além de mudanças nas portarias do Governo e exigências da instituição para concessão de financiamentos e programas de incentivo à construção.

O gerente Regional da Construção Civil da Caixa, Delcio Bevilaqua, comentou que o programa do Minha Casa Minha Vida (MCMV) vem passando por modificações em virtude de uma mudança de governo e que aparentemente não deve ter grande impacto nas diretrizes dos financiamentos no país. Bevilaqua também apresentou os dados de contratações do MCMV em Ponta Grossa nos últimos três anos, nos quais em 2017 foram feitas 2.541 unidades, em 2018 houve 2.721 e nos primeiros quatro meses de 2019 já firmados 670 contratos.

Apesar de mais lento que nos anos anteriores, para ele o número não representa uma baixa, até porque acredita que há estoque represado e uma tendência de melhora econômica de forma geral, uma vez que existe um esforço pela adequação fiscal do país e alguns pontos essenciais estão sob controle. "A Taxa Selic, por exemplo, está estabilizada há algum tempo, mesmo com mudanças de governo não houve alterações significativas, isso é um bom sinal", disse, reforçando que crê na força da economia brasileira e, principalmente, em Ponta Grossa, que tem resistido bem à crise. 

Essa visão, para o presidente da APC, Gabriel Stallbaum, é positiva e anima os construtores, uma vez que os últimos meses têm sido difíceis para o setor. "Essas projeções são um alento, é muito bom poder contar com informações que apontam para uma melhora", ressaltou, lembrando que a Caixa é uma referência para o setor e serve como um termômetro para a construção.