Polícia

Caminhoneiro não viu acidente que matou professora, diz empresa

O Grupo Arena, que atua em obras no setor de construção civil, emitiu uma nota de esclarecimento na qual se posiciona oficialmente acerca do incidente que vitimou a professora Denise Regina Batista. No último dia 4, a funcionária municipal caminhava pela calçada em direção ao local de trabalho, quando teria sido atingida por uma porta de caminhão que, subitamente, se abriu e atingiu a pedestre. O caminhão seguiu seu trajeto, e o condutor não parou para prestar socorro.

Na nota, o Arena informa que concluiu a investigação interna acerca do acontecimento, confirmando que o veículo caçamba apreendido naquele mesmo dia foi o envolvido no acidente. Segundo a empresa, o motorista não viu o acidente, parou metros à frente para verificar o motivo do barulho na caçamba e, como a tampa havia tornado a se fechar, seguiu destino, trabalhando normalmente em seguida em uma obra localizada em Castro, onde foi contatado pela Polícia.

Não houve fuga ou omissão de socorro. Todos os veículos da empresa passam por manutenção regular e o acidente foi uma fatalidade. O Grupo Arena lamenta profundamente o ocorrido e informa que está prestando todo o auxílio possível à família da vítima e ao motorista envolvido”, finaliza a nota.

A Polícia Civil segue realizando a investigação externa sobre os fatos. O veículo foi apreendido no final do dia 4, e foi levado à Delegacia, onde passou por perícia. A investigação irá verificar se a manutenção do caminhão realmente estava em dia, e o que teria feito a porta da caçamba se abrir, se o problema já havia sido anteriormente percebido, e se houve omissão.

 

Laudos

Conforme informado pela Polícia, o procedimento investigatório tem 30 dias para conclusão, prazo que pode ser prorrogado caso haja necessidade de novos elementos para dirimir dúvidas. Neste momento, são aguardados os laudos da perícia do Instituto de Criminalística, e algumas testemunhas que presenciaram o acidente foram ouvidas.

Divulgação
Inquérito da Polícia Civil aguarda laudo pericial após análise do caminhão

PUBLICIDADE