Cidades

Centro de assistência social fecha na rodoviária de PG

O Centro de Referência Especializado de Assistência Social (Creas) Acolher que ficava dentro da Rodoviária de Ponta Grossa não funciona há algum tempo. Inaugurado em fevereiro de 2016, o local deveria funcionar 24 horas por dia, todos os dias da semana e atender moradores de rua, índios e pessoas que estejam em vulnerabilidade social.

A equipe de reportagem do Diário dos Campos, esteve no local e conversou com usuários da Rodoviária. Os relatos são de que as pessoas não sabem a quem pedir ajuda em situações de vulnerabilidade e que acabam solicitando apoio dos funcionários da Autarquia Municipal de Trânsito e Transporte (AMTT). A chefe da fiscalização da AMTT, Maria Eugênia Pacheco, explica que os funcionários da AMTT auxiliam no que é possível. "Nós indicamos os endereços dos centros de atendimento e quem eles podem procurar. Mas não realizamos nenhum tipo de ficha ou cadastro. O que fazemos é uma pequena triagem para entender a situação e ver o que podemos encaminhar", conta.

Pacheco comenta que aproximadamente de quatro a cinco pessoas procuram diariamente algum tipo de assistencialismo. "Os fiscais tentam orientar o máximo que podem, mas não somos assistentes sociais para dar a melhor solução para eles. Nos finais de semana a procura aumenta mais e dependemos se tem funcionários da prefeitura de plantão", expõe.

Sala onde funcionava o Creas estava completamente vazia. (Foto: José Aldinan)

A equipe do Centro que ficava na rodoviária deveria realizar abordagens nas imediações dolocal. No início do Creas Acolher,eram dez servidores entre assistentes sociais, psicóloga, educadores sociais, motorista e assistente administrativo para atender no centro.

Entre os locais que as pessoas são encaminhadas um deles é a casa da acolhida, onde quem necessita pode pernoitar na residência e fazer refeições. Já no caso dos índios, eles são encaminhados para a casa do índio no Jardim Carvalho, quando há vagas.

A Secretaria Municipal de Políticas Públicas Sociais foi procurada através da assessoria de imprensa da Prefeitura, mas não retornou sobre os motivos do fechamento do Creas e como funcionam os encaminhamentos das pessoas que necessitam de assistencialismo.

Restaurante da Apadevi

Outro local desativado na Rodoviário é o restaurante que funcionava no piso superior do local. A Associação de Pais e Amigos dos Deficientes Visuais (Apadevi) que administrava o local informou que o fechamento ocorreu devido à falta de público. Segundo a diretoria da associação, o restaurante não rendeu lucros, pois tinha muita concorrência por conta deoutros estabelecimentos no local. A Apadevi mantém contrato de locação do espaço com a Prefeitura de Ponta Grossa e agora estuda outras maneiras de utilizar o espaço, como a fabricação de bolos, por exemplo.