Farm Progress Show

Comitiva visita Farm Progress Show

 
Luciana Brick
GRANDIOSIDADE Feira é visitada por pessoas de mais de 20 países. São mais de 500 expositores

Grupo dos Campos Gerais conheceu a maior feira do agronegócio dos Estados Unidos

A frase ‘bem vindo’ está lá, logo na entrada do pavilhão internacional, escrita em praticamente todas as línguas. Também o mapa mundi sendo marcado pelos próprios visitantes estrangeiros. E na entrada principal, recepcionando os turistas, estão Abraham Lincoln (16º presidente dos Estados Unidos) e o capitão Decatur (combateu os ataques piratas no ano de 1812). Tantos atrativos para impressionar as pessoas têm uma explicação. A Farm Progress Show é a maior feira do agronegócio dos Estados Unidos. São mais de 500 expositores de máquinas e equipamentos agrícolas, silos, produtos e tecnologias, carros de passeio, caminhonetes, enfim de tudo o que se imagina. É o encontro de empresas gigantes no mercado internacional com os seus clientes.

“Recebemos visitas de muitos países. Os mais expressivos são 20 e os que nos visitam em maior número são os brasileiros e argentinos”, conta Dena Morgan, responsável pelo marketing da Farm Progress Show. Ela explica ao grupo dos Campos Gerais que está conhecendo a feira que “por causa das muitas condições semelhantes da cultura agrícola é que o Brasil e a Argentina os visitam bastante. Alguns estados brasileiros como o Mato Grosso têm áreas de terra extensas como nas regiões americanas. A realidade agrícola da Europa é diferente da nossa e por isto as visitas não são tão expressivas”.

A média de público das edições, conta Dena, é de 110 mil visitantes. Público que deve movimentar apenas na área comercial (restaurantes, lanchonetes, hotéis, etc) de Decatur (cidade onde acontece a 58ª Farm Progress Show) algo em torno de US$ 7 milhões. Mas o que a feira gera em negócios para quem está expondo? Esta é uma pergunta que ninguém sabe ou se arrisca a responder, afinal multinacionais de muitos setores estão lá mostrando tecnologia que muitos nem sonhar existir.

E não é só em busca de negócios que estão os visitantes. Eles também querem informações gerais sobre as safras, principalmente, de milho e soja em solo americano. Ocupando um dos estandes (todos os espaços contam com equipamentos de transmissão de som e dados de altíssima tecnologia) está a Associação de Produtores de Soja de Illinois (Illinois Soy Bean Association), pronta para responder tudo o que os produtores querem saber. “A Farm é o maior show nos Estados Unidos e é importante para a associação, pois é uma forma que temos de alcançar e conversar com os agricultores. O foco número um é divulgar a agricultura”, fala Robert Shaffer, da Illinois Soy Bean Board. Iowa (receberá a feira em 2012) e Illinois são os maiores produtores de soja e milho daquele país. Na safra de 2010 o primeiro produziu 13,51 milhões de toneladas de soja e o segundo 12,68 milhões de toneladas. A produção total dos EUA foi de 90,60 milhões de toneladas.

A safra de milho é ainda mais expressiva. Iowa colheu 53,83 milhões de toneladas, enquanto Illinois 48,67 milhões de toneladas. No país americano foram 311,17 milhões de toneladas. A Illinois Corn Gowers Association (Associação de produtores de milho de Illinois) – também em um estande marcado pelo avanço tecnológico – calcula que 40% da produção de milho, neste ano, será para etanol.

Três dias de feira

 

A cada ano, a Farm Progress Show acontece em uma cidade. Recebem o evento Iowa e Illinois. A feira tem duração de apenas três dias – nesta edição, evento aconteceu entre os dias 30 e 31 de agosto e 1º de setembro –, porém tempo suficiente para mostrar as novas tecnologias do mercado agrícola. O grupo de produtores, técnicos e representantes de cooperativas rurais da região dos Campos Gerais passou dois meio-dias na feira (terça e quarta-feira).

O envolvimento dos expositores com a realização da feira americana chama a atenção. Todos os estandes fechados contam com iluminação diferenciada, ar condicionado, som e tecnologia de última geração e profissionais altamente preparados para prestar as informações. A área do parque é totalmente pavimentada e mesmo assim os expositores se preocupam com a aparência e a decoração dos estandes.

A John Deere é um dos gigantes do mercado de máquinas e equipamentos agrícolas que está participando da feira. No parque, é possível ainda visitar multinacionais de tratores, colheitadeiras e até mesmo carros. A entrada no parque custa US$ 12 por pessoa.