Saúde

Como se manter ativa e disposta mesmo com o uso do anticoncepcional

Quando os anticoncepcionais surgiram na década de 60, foi um grande avanço no campo da sexualidade feminina. Porém, atualmente, eles têm sido os vilões da saúde e bem-estar da mulher em diferentes formas e sintomas. Seja em comprimidos, injetáveis, anel, adesivo ou intrauterino, todos têm sido associados a doenças das mais variadas como trombose, AVC, hipertensão, etc, independente da idade. Além de tudo isso, eles estão sendo associados também à ansiedade, falta de energia, desânimo e à depressão, ocasionando problemas nos relacionamentos entre pessoas e a realização de sonhos e conquistas.

É comprovado que causam varizes, inchaço corporal, estrias, celulites, vaginismo, ganho de peso, dores, mal-estar e até mesmo a TPM. "A mulher está sempre em busca de uma vida mais saudável, em se cuidar, se manter bonita e com saúde, mas muitas vezes não sabe dos perigos que está colocando dentro do seu próprio corpo tomando esse tipo de medicamento", afirma a Dra. Paula Vasconcelos, médica nutróloga do Espaço Volpi. Ela conta que todas essas questões estão presentes nas bulas dos remédios, mas que na maioria das vezes, as pacientes iniciam sua vida sexual e começam a tomá-los por conta própria, sem a consulta com um médico especialista.

Para mulheres que buscam a boa forma, os anticoncepcionais atrapalham ao ganhar massa muscular e na composição corporal, além da dificuldade do emagrecimento e da retenção de líquidos. "Eles liberam uma grande quantidade de hormônios para impedir a ovulação e consequentemente a gravidez. Mas o problema é que é preciso ter um equilíbrio entre os hormônios femininos e masculinos, como a testosterona que é responsável pela libido e pela disposição", completa.

Para não ter o seu rendimento comprometido no dia a dia, seja na academia, na vida profissional ou no sexo, a especialista afirma que é preciso conversar com o seu médico e alinhar as expectativas e objetivos, além, é claro, de uma boa e equilibrada alimentação. Verduras como couve e espinafre, legumes em geral, e feijão, ervilhas, brócolis, amêndoas, aveia, são alguns dos alimentos que contém nutrientes que fornecem energia e vitaminas essenciais ao organismo para combater alguns males dos anticoncepcionais. O importante é sempre se consultar com um médico ginecologista e nutrologista para as devidas orientações e nunca esquecer de alinhar as suas expectativas com a saúde e o bem-estar.