Economia

“Consegui fazer uma boa gestão e deixar uma base sólida”, diz Gustavo

O auditor fiscal, Gustavo Horn, que deixou o cargo delegado e agora assume outra divisão da Receita também conversou com a reportagem do Diário dos Campos e falou dos novos desafios profissionais e avaliou sua gestão como delegado.

DC: Como foi sua gestão como delegado na Receita Federal?

GH: Quando eu assumi a delegacia eu tinha 34 anos e já tinha nove anos de Receita, mas foi um desafio grande. Fiquei três anos e meio como delegado adjunto antes de assumir o cargo, então já tinha uma experiência. Nós temos um corpo técnico muito bom e isso faz com que o trabalho fique mais fácil e tenha uma boa qualidade. Eu acredito que ainda tem muita coisa para fazer. Quando eu assumi, eu substitui um delegado que ficou 10 anos aqui e naquele momento nossos recursos para investimentos tinham diminuído. Mesmo assim acredito que consegui fazer uma boa gestão e deixar uma base sólida para que o Demetrius consiga continuar o trabalho.

DC: Quais foram os principais setores de atuação na Receita durante a sua gestão?

GH: Começamos a atuar nos últimos meses no combate ao contrabando e esse trabalho vai ser desenvolvido ainda mais pelo atual delegado. Outro destaque foi que gerenciamos uma das fases da Operação Lava Jato aqui em Ponta Grossa. A fase 55 foi por nossa conta, onde conseguimos fazer prisões e atuamos também em auxílio nas investigações.

DC: Como foi a decisão de continuar atuando na RF em Ponta Grossa?

GH: Foi uma escolha pessoal. No momento, não me vejo trabalhando em outra cidade. Já são 17 anos na Receita Federal e passei por cidades como Guarapuava e Chapecó e depois fui designado para Ponta Grossa. Gosto muito de morar aqui e acredito que tenho muito trabalho ainda para desenvolver na delegacia da cidade.

DC: Agora qual será sua área de atuação na Receita Federal?

GH: Irei chefiar uma equipe que atuará no acompanhamento de patrimônio de devedores. Nós desenvolvemos um trabalho em que fiscalizamos a mudança de patrimônio dos contribuintes, onde quando a pessoa está devendo alguma coisa ela e começa a colocar suas propriedades em nome de outras pessoas. Então iremos monitorar esse tipo de situação. É um setor que nunca trabalhei especificamente, então será um grande desafio profissional.

Gustavo Horn atuou por oito anos como delegado na Rceeita Federal (foto: José Aldinan)