Economia

Consumo de energia no Paraná cresce 5% no primeiro trimestre

O índice considera o chamado mercado fio da Copel, que inclui todos os consumidores da sua área de concessão, entre usuários cativos, consumidores livres, concessionárias e permissionárias.

O consumo de energia elétrica aumentou 5,1% no Paraná no primeiro trimestre de 2019, em comparação com o mesmo período do ano passado. O índice considera o chamado mercado fio da Copel, que inclui todos os consumidores da sua área de concessão, entre usuários cativos, consumidores livres, concessionárias e permissionárias.

O resultado foi divulgado nesta quarta-feira (15), no balanço financeiro da Companhia referente ao primeiro trimestre do ano.

No total, foram consumidos 7,9 mil Gigawatts-hora (GWh) de energia no trimestre, frente a 7,5 mil GWh no mesmo período de 2018. O consumo do segmento de consumidores livres – que compraram energia da Copel Geração ou da Copel Comercialização – apresentou crescimento de 5,8%. Composto principalmente por indústrias, o aumento registrado no mercado livre se deu em função do crescimento da produção industrial no Paraná, que cresceu na casa dos 10% nos últimos meses.

“Os resultados financeiros da Copel mostram que a lição de casa está sendo bem feita e que o ritmo da atividade econômica do Paraná está crescendo. Estamos preparados para acompanhar a demanda de energia crescente com plano de investimentos robustos e gestão financeira enxuta”, disse o presidente da Copel, Daniel Pimentel Slaviero. “Nossa meta é garantir cada vez mais energia de qualidade”, acrescentou.

INVESTIMENTOS – O balanço da Companhia apresentou uma série de resultados robustos, que além de refletir o trabalho que está sendo desempenhado vai possibilitar que o investimento previsto para 2019 seja feito com ainda mais segurança.

O EBITDA da Copel - cálculo que permite verificar a quantidade de recursos que a companhia gerou considerando apenas as atividades de sua operação - apresentou alta de 39,3% nos três primeiros meses do ano na comparação com o mesmo período de 2018, com um total de R$ 1,1 bilhão. Já o lucro líquido foi de R$ 506 milhões.

Em 2019, a Copel vai investir quase R$ 2 bilhões. Deste total, 18% já foram aplicados no primeiro trimestre – R$ 360 milhões já foram alocados no reforço, expansão, modernização e melhoria dos seus sistemas da geração, transmissão e distribuição de energia entre janeiro e março deste ano. A maior parte deste montante foi para a área de distribuição – R$ 206 milhões –, segmento que em 2019 conta com o maior investimento da história: R$ 836 milhões.

Em março a Copel inaugurou a subestação de energia Bituruna, no Centro-Sul do Estado. A nova unidade é resultado de investimentos de R$ 40 milhões e beneficia diretamente 60 mil pessoas dos municípios de Bituruna e Cruz Machado e, no futuro, parte de Porto Vitória e Pinhão.

A previsão para este ano é que mais sete subestações e cerca de 370 quilômetros de linhas de distribuição de alta tensão entrem em operação.