Economia

Crea-PR soma 4 mil profissionais na região

Regional de Ponta Grossa abrange 22 municípios, que totalizam 1,1 mil empresas registradas

O Conselho Regional de Engenharia e Agronomia do Paraná (Crea-PR) completa 85 anos de atividade em 2019. Criada em 1934, a autarquia pública trabalha na defesa dos interesses da profissão, regulamentando e fiscalizando a atuação de profissionais e empresas das áreas das Engenharias, Agronomia e Geociências.

Presente em todas as cidades do Paraná, por meio de oito regionais e trinta e cinco inspetorias, em Ponta Grossa a unidade abrange 22 municípios e é comandada pelo gerente Vander Della Coletta Moreno. O engenheiro agrônomo esteve na redação do jornal Diário dos Campos e revelou alguns números do Conselho.

“Hoje contamos com cerca de quatro mil profissionais registrados na nossa regional, sendo 3,5 mil de nível superior e 500 de nível técnico. A maioria é da engenharia civil - cerca de 1,2 mil - e outros mil são da agronomia”, aponta Moreno, lembrando que o Conselho representa profissionais de várias modalidades das engenharias, geógrafos, geólogos, tecnólogos, técnicos agrícolas, entre outros. Em todo o PR são mais de 70 mil profissionais.

Segundo o gerente regional um dos diferenciais é a intensificação no registro de empresas. “Nos últimos dois anos conseguimos fazer o registro de muitas empresas, que muitas vezes estão irregulares devido à falta de atualização das suas atribuições, por exemplo. Hoje já somamos aproximadamente 1,1 mil”, destaca o engenheiro.

Fiscalizações

O Conselho conta com fiscais que verificam se obras ou serviços têm responsáveis técnicos e que atuem nas atividades desenvolvidas, se os envolvidos trabalham com a devida habilitação, se a lesgislação é atendida, entre outros serviços. Em 2018 em todo o estado foram feitas mais de 22 mil ações, sendo 2,4 mil na regional dos Campos Gerais.

Para Vander, ao prezar pelo exercício ético da profissão o Conselho contribui para a proteção da sociedade. “Procuramos garantir que a comunidade possa contratar empresas habilitadas, que tenham profissionais qualificados para os serviços que se propõem a entregar. Além de fiscalizações por denúncias também temos as rotineiras, já que o nosso trabalho se estende além da construção civil”, avalia o engenheiro, lembrando que ações também são feitas em indústrias e na produção rural, por exemplo.

Apenas neste ano já foram feitas quase seiscentas fiscalizações na região. Denúncias de possíveis irregularidades pode ser feitas por protocolo presencial, pelo site do Crea-PR ou através do aplicativo do Conselho. A população também pode consultar a habilitação do profissional ou empresa que pretende contratar através da aba “Consulta Pública” disponível no site https://www.crea-pr.org.br/.

Recorde de ARTs

A Anotação de Responsabilidade Técnica (ART) é um documento necessário para toda obra, para que se definam os limites de responsabilidade de cada profissional. Em 2018 o Conselho emitiu mais de 402,2 mil ARTs, número considerado histórico pelo gerente regional dos Campos Gerais. “Enquanto várias outras regiões registraram queda em novas obras aqui o mercado não desaqueceu”, aponta Moreno.

Parcerias

Entre os convênios firmados, o gerente regional do Crea-PR destaca a com instituições de ensino, onde são feitas reuniões com professores e alunos para a aproximação do Conselho com os futuros profissionais, programas acadêmicos e até prêmiações, como a de melhores Trabalhos de Término de Curso (TCCs) estaduais que no ano passado teve um vencedor da regional dos Campos Gerais na categoria de engenharia Civil, proveniente de Telêmaco Borba.

Outros trabalhos em conjunto destacados por Vander Moreno são o levantamento de obras paralisadas, feito junto ao Tribunal de Contas do Estado (TCE), e o programa Casa Fácil, que completa 30 anos em 2019 e disponibiliza atendimento técnico gratuito para a construção de moradias populares de até 70 m². Até hoje mais de 180 mil famílias foram beneficiadas no Paraná e mais de 10 milhões de m² foram construídos.

“Aqui temos parceria com a Associação dos Engenheiros e Arquitetos (AEAPG) e a Prefeitura Municipal de Ponta Grossa; enquanto a AEAPG disponibiliza os projetos e atendimentos a administração municipal faz repasses “, aponta p gerente regional do Crea-PR.

“Enquanto várias outras regiões registraram queda de documentos em novas obras aqui o mercado não desaqueceu”, aponta Moreno