Find!

Cuidados com os animais: veterinária dá dicas para proteger os pets do frio

Os termômetros já começaram a registrar as temperaturas mais baixas do ano e o frio intenso demanda ainda mais atenção se tratando dos pets. Para evitar desde desconfortos até doenças, os donos precisam estar atentos aos cuidados com os bichinhos para que eles não sofram durante as estações mais geladas. Para ficar por dentro do assunto e saber a melhor forma de tratar seu companheiro durante o outono e inverno, confira a entrevista com a médica veterinária, Camila Cosmoski:

 

1 - Quais são os principais cuidados que devem ser tomados nas épocas mais frias  em relação aos animais de estimação que vivem dentro e fora de casa?

Nossa região, por exemplo, tem bastante geada nessa época do ano. Portanto, para os pets que vivem na área externa da casa é preciso procurar um lugar mais abrigado, aquecido e com coberta. Principalmente porque, geralmente, estes animais são de maior porte e possuem pelo curto, portanto sentem mais frio. Também é interessante colocar roupinhas e o ideal seria colocá-los em um cômodo dentro de casa neste período. Os bichinhos que ficam dentro de casa também podem usar roupinhas, mas isso depende muito das características de cada raça. Os animais de pelo longo tem o problema de embolar os pelos com as roupinhas, então se o dono quiser colocar será preciso fazer uma tosa antes. Para os animais de pelo curto, a roupinha está liberada sem problemas.

 

2 - Cães e gatos são os pets mais comuns, mas existem pessoas que convivem com bichinhos diferentes. Quais seriam os cuidados com eles?

Hoje a questão do pet exótico é uma coisa bem comum. A gente vê desde mini porcos dentro de casa, até sapos, cobras e repteis em geral. Então cada um vai se adequar ao ambiente que estiver. Peixes, animais aquáticos, vão precisar de aquecimento dos aquários. Em relação a outros animais, vai depender muito de onde eles vêm. Por exemplo, repteis vêm de lugares mais desertos, então vão precisar de mais aquecimento para não sofrerem muito aqui na região.

 

3 - E quais são as doenças mais comuns no frio e como evitá-las?

A doença mais comum nesta época do ano é a gripe dos animais. A recomendação é que os donos fiquem sempre atentos a todas as vacinas recomendadas e, no caso dos cães principalmente, se não tiverem recebido a vacina de Tosse dos Canis (Gripe Canina), é muito importante que seja feita. Para os pets que já são vacinados, a dose precisa ser refeita anualmente. Outras doenças mais comuns são a bronquite e faringite, aí dependendo dos sinais clínicos o veterinário vai indicar o melhor tratamento. Uma forma de evitar que o bichinho fique doente é não levá-los para passear na rua em horários muito gelados e de muito vento.

 

5 - É necessário ficar ainda mais atento aos animais idosos e recém nascidos? O que fazer?

É preciso mantê-los quentinhos sempre, mas tomando muito cuidado com a forma de aquecimento. As pessoas têm a tendência de ligar o aquecedor muito próximo dos animais, posicionando na frente deles. Isso pode ser prejudicial, causando um ressecamento dos olhos, então é preciso usar lubrificantes especiais para que não aconteça nenhum problema oftálmico.

Mantenha seu bichinho aquecido, sem exageros, para evitar as doenças comuns nesta época do ano (Foto: Nicolas Pedrozo Salazar)

 

DICAS DE OURO PARA AS ESTAÇÕES MAIS FRIAS:

 

Roupinhas

O uso da roupinha, tanto para cães, quanto para gatos, é uma questão de costume. Alguns animais ficam parados como estátuas quando você veste uma roupinha neles, não se acostumam e não se movimentam. Portanto, vai depender de como cada animal vai se comportar em relação a isso. A indicação é uma roupinha confortável, macia e, claro, nada exagerado em relação à grossura de roupa, pois eles precisam se esquentar, mas não demais. Caso contrário, começam a ficar irritados e tiram a roupinha. Tem que ser muito ponderado e trazer sempre o conforto do pet em primeiro lugar. O recomendado é medir o animal, principalmente a região do tórax e cuidar muito da gola, para que não fique apertada e sufocante.

 

Abrigo

Os gatos geralmente gostam de caminhas mais parecidas com tocas para que eles fiquem escondidos e quentinhos. Para eles, quanto mais abrigados, melhor. Se tiver uma coberta na toquinha, eles sempre vão preferir ficar ali dentro. Alguns cães gostam dessa modalidade também, outros gostam de pufes estilo caminha. A dica é sempre apostar nas cobertas. Os animais em geral gostam muito.

 

Alimentação

A gente sempre fala que, seja verão ou inverno, a alimentação continua da mesma forma, não modifica. Precisamos cuidar para não ter exageros. Algumas pessoas começam a dar alguns petiscos a mais no frio do ano e aumentam o valor energético alimentar por dia, mas não tem necessidade. Muito pelo contrário. Nessa época do ano, os animais caminham menos e fazem menos exercícios, portanto eles vão gastar menos calorias do que no verão, então não tem necessidade de mudança em suas dietas.

 

Banho e tosa

A questão da tosa vai depender do tamanho do pelo e o uso da roupinha. Tem animais que já tomam banho semanalmente, e podem continuar da mesma forma. Mas, para os animais de fora de casa, o ideal é esperar um dia mais quente para o banho. Se ele vai para o banho e tosa num dia frio, toma um banho quentinho e depois quando volta para casa fica exposto ao clima frio, ele pode acabar tendo alguma doença pós banho, devido a esse choque térmico. Mesma coisa no caso de quem dá banho em casa: deve esperar um dia de sol e depois secar muito bem o animal, pois o vento aliado aos pelos molhados pode contribuir para uma bronquite ou faringite. Resumindo, é preciso cuidar muito dessa relação de dias de frio extremo e banho.

 

"Agora no inverno, cuide ainda mais do seu animalzinho. Qualquer sintoma clinico que ele apresente, como tosse ou nariz escorrendo, procure um veterinário de confiança. Secreção e vermelhidão nos olhos também não são normais nessa época do ano. Fique atento" - Camila Cosmoski - médica veterinária especialista em oftalmologia animal