Agribusiness

Custo representam mais de 50% no valor total de produção

O custo de produção agrícola é uma ferramenta de controle, os produtos cotados foram milho, soja, feijão e trigo

Os custos variáveis representam mais de 50% do custo total de produção de alguns produtos, como soja, milho, trigo e feijão no Paraná. De acordo com as estimativas da Secretaria do Estado da Agricultura e Abastecimento (Seab), é possível verificar que na soja, os custos variáveis são de 57,32% em relação ao custo total de produção. Para o milho e milho safrinha representam 66,58% e 57,65% respectivamente, e 59,49% dos custos de produção do trigo e 69,15% do custo de produção do feijão.           

No Paraná a estimativa deste custo feito em novembro ano passado para a safra 2017/2018, realizado pela Seab, apontou para a soja um custo total de R$ 55,41 por saca de 60 kg, sendo o valor de R$ 32,90 referentes aos custos variáveis, como fertilizantes, defensivos, herbicidas e entre outros. Para o milho, a safra normal tem um custo total de R$ 30,49 e um custo variável de R$ 20,30. Já o trigo possui um custo total na quantia de R$ 62,28, sendo R$ 37,05 de custo variável e, por fim, o feijão com um custo total de R$ 103,13, com R$ 71,31 de custos variáveis. A Seab estima um rendimento mínimo de 48 sacas por hectare.

Segundo o engenheiro agrônomo, Fabio Schimitt, os preços dos produtos se consolida por diversos fatores, o milho por exemplo é pela oferta e demanda somado com o índice de qualidade, já a soja é pela especulação da bolsa de valores e pelo mercado interno. Ele explica que o produtor nesse caso é apenas um tomador de preço, ou seja, ele segue e aceita os preços colocados pelo próprio mercado, e por mais que o preço tende a cobrir os custos de produção, nem sempre acontece e o produtor pode acabar não conseguindo pagar as contas. “O produtor também pode guardar seu produto por meio de armazenamento e esperar quando o mercado e os preços estiverem mais atrativos para o comércio”, explica.