Política

Depois de início tenso, senadores encaminham trabalhos 

(Foto: Pillar Pedreira/Agência Senado)

Os senadores tomaram posse no dia 1º de fevereiro, data em que deveria acontecer a eleição da presidência. No entanto, a sessão foi marcada por muito tumulto e a eleição para escolha do novo presidente do Senado acabou foi adiada para o dia seguinte,  quando Davi Alcolumbre (DEM) foi eleito. Depois, na quarta-feira  (6), foi definida a nova composição da Mesa Diretora. Do Paraná, tomaram posse para esta legislatura os senadores Oriovisto Guimarães (Pode) e Flavio Arns (Rede). 
Flavio Arns, que volta a assumir um mandato de senador, defendeu a votação aberta para a presidência do Senado e, revelou seu voto no senador Davi Alcolumbre. Na votação para a Mesa Diretora, Arns também se posicionou a favor da chapa apresentada e destacou o clima de convergência que marcou a votação. “A sociedade espera desta Casa que haja um esforço coordenado para o enfrentamento dos desafios que o Brasil precisa superar”. Ao longo da semana, o senador se reuniu com lideranças que tratam da defesa dos direitos indígenas e demandas na saúde das comunidades de todo o país. Arns apresentou ainda projeto de decreto legislativo (PDL 17/2019) que extingue a ajuda de custo concedida a deputados federais e senadores para custear despesas com mudança e transporte. 

Flavio Arns se reuniu com lideranças e apresentou proposta que extingue auxílio-mudança para deputados e senadores (Foto: Divulgação/Agência Senado)


"Esta semana foi dedicada à formação da Mesa e à formação das diversas comissões que compõem o funcionamento do Senado. Pode parecer simples, mas não é, porque precisa haver convergência entre os mais de 20 partidos que estão representados", avalia Oriovisto. Para ele, o presidente Davi Alcolumbre foi extremamente habilidoso na formação da Mesa. "A velha política ficou de fora e agora estamos prontos para começar a trabalhar nas reformas que o Brasil precisa", destaca o senador. Oriovisto ressalta que a semana de estreia no Senado Federal destacou-se positivamente pelo crescimento do Podemos, que agora se torna a terceira maior bancada da Casa, com oito parlamentares. 
Ovioristo, Flavio Arns e Alvaro Dias (Pode)  - que já ocupa mandato no Senado - participaram ainda de audiência com o ministro da Justiça, Sérgio Moro, manifestando apoio às medidas anticorrupção. 

Oriovisto Guimarães, em reunião com o ministro Sergio Moro (Foto: Natália Valle)