Cidades

Detran reconhece fragilidades em placas Mercosul

(Foto: Arquivo DC)

O Detran admitiu, em resposta enviada ao DC nesta semana, que existe a possibilidade de as placas modelo Mercosul serem danificadas por produtos químicos usados em empresas de lavacar. Na última quinta-feira (14), a assessoria de imprensa do Detran informou que isso era um boato disseminado pelas redes sociais, mas no início desta semana se retratou, enviando e-mail no qual detalhou tecnicamente as fragilidades do novo emplacamento.

Segundo dados repassados pela Associação dos Fabricantes de Placas Veiculares do Paraná (Afaplacas) parte das placas instaladas precisou ter a película substituída devido à apresentação de problemas. “Por se tratar de um produto novo, por mais que já vinha sendo usado em outros países da Europa e América do Norte, a aplicação deste tipo de produto em um país tropical como o Brasil trouxe algumas particularidades no fabrico e exigiu algumas mudanças já aplicadas a fim de que a durabilidade fosse ampliada”, informou.

Para garantir a duração estendida dessas placas, a Afaplacas e o Detran fornecem algumas recomendações aos proprietário de veículos.

 

Cuidados com placas Mercosul
 

- Não lave a placa logo após a aplicação. Aguarde pelo menos 24 horas para a primeira lavagem do carro.

- Durante a lavagem, evite que produtos como alguns tipos de desengraxante, diesel, removedores, detergente alcalino, sabão de soda entrem em contato com a placa.

- A recomendação é que a lavagem ocorra com sabão neutro, evitando assim a deterioração precoce da placa.

- No caso de veículos comerciais que necessitem passar por esterilização, recomenda-se proteger as placas com sacos plásticos.