Saúde

Diabetes pode agravar problemas no coração

Doenças cardíacas são as principais causas de mortes relacionadas ao diabetes

Segundo dados da Organização Mundial de Saúde (OMS), mais de 16 milhões de brasileiros têm diabetes, o que representa 9% de toda população. No ranking dos países com maiores números de casos, o Brasil aparece em quarto lugar, atrás apenas da China, Índia e Estados Unidos. Ainda de acordo com a OMS, o diabetes é classificado como uma das quatro maiores doenças crônicas não comunicantes do mundo, junto com câncer, doenças cardiovasculares e doenças pulmonares crônicas.

Aproximadamente 75% dos pacientes portadores de diabetes também apresentam pressão alta e nível de colesterol elevado. A doença é um fator de risco agravante para doença cardiovascular, além de aumentar de dois a quatro vezes o risco de morte por doença cardíaca. De acordo com a endocrinologista e presidente da Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia - Regional Paraná (SBEM-PR), Silmara Leite, pessoas com diabetes morrem mais cedo devido a doença cardiovascular, e esta é a principal causa de mortalidade relacionada ao diabetes.

“A população precisa reconhecer a necessidade de controlar todos os fatores de risco para as doenças cardiovasculares, incluindo o controle da pressão arterial, redução dos níveis de colesterol e controle da glicose” explica Silmara. O aumento no risco de problemas no coração ocorre porque, quando há um excesso de glicose no sangue, os danos causados pelo colesterol elevado e pela pressão alta nos vasos sanguíneos são maiores e propicia a formação de placas de aterosclerose que entopem as artérias. Com isso, as chances de desencadear um infarto fulminante são maiores.

Controlar o excesso de peso, realizar exercícios físicos regularmente, cessar o tabagismo e manter uma alimentação saudável estão entre as práticas que podem ser feitas como forma de prevenção da doença cardiovascular. Silmara comenta que campanhas de conscientização e a disseminação de mais informações sobre o assunto é de extrema importância para que seja possível prevenir as doenças crônicas e não apenas tratar as consequências. “Controlar o colesterol associando o uso de medicamentos da classe das estatinas comprovadamente reduz a mortalidade por doenças cardiovasculares em pessoas portadoras de diabetes”, revela a médica. Além disso, diminuir a quantidade de sal ingerido também ajuda a manter a pressão arterial controlada.

Sobre a SBEM-PR

Fundada em setembro de 1957, a Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia - Regional Paraná tem como objetivo promover a expansão da endocrinologia no Estado, valorizar a especialidade médica e esclarecer à população sobre as diversas doenças endócrinas e metabólicas. Com unidades em Curitiba, Cascavel, Maringá e Londrina, a instituição conta hoje com cerca de 200 sócios. Mais informações: www.sbempr.org.br.