Vídeos

Diagnóstico precoce ajuda a salvar vida de mulheres com câncer

Campanha Outubro Rosa alerta mulheres sobre a importância da mamografia para um diagnóstico rápido do câncer. Celine Santos, 32 anos, descobriu rápido a doença e comemora fim do tratamento
Celine comemora término do tratamento e a luta contra o câncer de mama (Foto: José Aldinan)

"Senti um nódulo pequeno e endurecido próximo ao meu seio. Procurei um posto de saúde e, por ter 32 anos, ou seja, uma idade não avançada, me disseram que poderia ser algo hormonal. Mesmo assim, eu sentia que havia algo errado e procurei fazer um exame o quanto antes que confirmou resultado para o câncer de mama".

O depoimento no começo desta reportagem é de Celine Santos, 32 anos, que está na fase final do tratamento contra o câncer de mama. Ao sentir que algo estava errado em seu corpo, não pensou duas vezes em procurar ajuda médica o mais rápido possível. O diagnóstico rápido da doença ajudou no tratamento rápido para evitar que o câncer viesse a se espalhar para outras partes do corpo.

"Foi tudo muito rápido e depois de 30 dias em que fiz a biópsia eu tive a certeza de que era maligno. Assim como o diagnóstico, o tratamento também foi muito rápido. Logo fui encaminhada para as sessões de quimioterapia e radioterapia. Ainda assim, procurei a Rede Feminina de Combate ao Câncer que me deu todo o suporte que eu precisava naquele momento", lembra.

O medo

Assim que descobriu a doença, por mais precoce que fosse, Celine sentiu medo e angústia, assim como outras mulheres que também passaram ou passam por isso.

"O meu mundo caiu. Eu tenho dois filhos e estava com medo de morrer. Também imaginava como seria perder o meu cabelo. E, quando ele caiu, a minha ficha caiu também, pois eu não sabia o que poderia acontecer comigo. Mas eu tive o apoio da minha mãe que saiu do emprego para cuidar de mim, recebi apoio dos meus filhos e da Rede Feminina que não deixava eu me desanimar".

Suporte

"Fico emocionada ao lembrar do dia em que eu ganhei uma peruca da Rede Feminina. Quando eu saia com ela na rua, tinha a certeza de que as pessoas não me olhavam mais com olhares de pena. Eu me sentia uma pessoa comum".

Após 16 sessões de quimioterapia e 30 sessões de radio, Celine está na fase final do tratamento da doença. "Hoje eu digo que tive um câncer e que ele não existe mais. Eu não posso desanimar, ficar na cama. Estou viva e preciso estar bem para os meus filhos. Hoje eu consigo falar 'eu te amo' para a minha família", disse emocionada.

Vídeo

Confira a entrevista completa e emocionante de Celine Santos sobre a superação do câncer de mama.