Vídeos

Digital Agro dobra de tamanho em 9 meses

Primeira edição foi em setembro do ano passado. Feira está maior em área, expositores e público. Inovações no campo estão sendo apresentadas

Nove meses após a realização da 1ª Digital Agro, a Frísia Cooperativa Agroindustrial está comandando a segunda edição da feira. O resultado obtido em setembro de 2017 pode ser visto agora com o evento dobrando de tamanho. São 34 expositores (em torno de 15 no ano passado), mais 1,4 mil metros quadrados em novos espaços (pavilhão e estandes laterais) e um público que deve chegar a oito mil visitantes nos dois de evento (ontem e hoje). Só com o novo pavilhão podem ser recebidas 1,4 mil pessoas a mais.

E as projeções de crescimento não param por aí. Segundo o superintendente da Frísia, Emerson Moura, a Digital Agro tem condições de crescer ainda mais, tanto em espaço físico quanto em novidades. “No ano passado, tivemos uma reciprocidade dos visitantes e dos expositores, que queriam voltar para a feira agora. Percebemos que precisaríamos aumentar neste ano”, conta. A Frísia aguardará o feedback desta segunda edição para projetar a terceira, mas uma coisa já é certa. Ela deverá entrar para o calendário de junho, já que entre os meses de maio e agosto há espaço para eventos. Outro motivo estaria no fato de em junho não ocorrer plantio, o que permite maior tempo aos produtores para visitação na feira.

Emerson reforça que a Digital Agro surgiu com objetivo de “aproximar o produtor das inovações tecnológicas e fazer com que ele veja que se não estiver antenado, estará fora do jogo”. Para tanto, a feira tem em sua programação palestras e oficinas, além de permitir o conhecimento e aproximação com startups e grandes expositores da área tecnológica direcionada ao campo. “Qualquer inovação por mais simples que seja vai trazer otimização da mão de obra”, comenta.

Ele observa que as inovações para o agronegócio apresentadas em Carambeí, na Digital Agro, servem para todas as regiões do Brasil, já que são adaptáveis. Emerson recorda de um sensor desenvolvido para carros da Renault que pode ser utilizado na suinocultura. O que teria permitido esta adaptação, conforme ele, foi o próprio conhecimento e contato dos desenvolvedores com as atividades nas propriedades rurais.  

Em relação às palestras, que envolvem temas que passam pela pecuária 4.0 a internet das coisas, Emerson observa que um comitê foi criado com apoio da Fundação ABC para justamente definir as temáticas e suas variáveis.

Feira

A Digital Agro segue até hoje no Parque de Exposições da Frísia, anexo ao Parque Histórico de Carambeí. Os horários e a programação podem ser conferidos no www.digitalagro.com.br

Feira permite integração entre produtores e expositores de tecnologia para agronegócio. (Foto: Fábio Matavelli)