Cidades

Doses da vacina pentavalente são entregues nas unidades de PG

(Foto: José Aldinan)

As Unidades de Saúde de Ponta Grossa já foram abastecidas com as doses da vacina pentavalente que protege contra múltiplas doenças ao mesmo tempo como a difteria, tétano, coqueluche, hepatite B e contra a bactéria haemophilus influenza tipo B, responsável por infecções no nariz, meninge e na garganta.

As doses foram entregues nesta semana para a 3ª Regional de Saúde após um período longo de desabastecimento das doses desde junho de 2019. De acordo com a Secretaria Estadual de Saúde (Sesa), os lotes foram recolhidos por reprovação no teste de qualidade do Instituto Nacional de Controle de Qualidade de Saúde (INCQS) e na análise da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

"O desabastecimento foi em virtude de uma análise sobre a qualidade da vacina disponibilizada onde foi constatada que ela não reunia as condições ideiais para a imunização da população. Mas agora já está sendo normalizado e a expectativa é de que não teremos a falta desta vacina nos próximos meses na nossa região", apontou Robson Xavier, diretor da 3ª Regional de Saúde.

Das doses disponibilizadas na região, 40% foi para Ponta Grossa e, segundo a Fundação Municipal de Saúde, as unidades de Oficinas, Contorno e uma parte do Jardim Carvalho já estão com doses disponíveis. Na quinta-feira (23), as vacinas foram entregues para os postos do bairro de Uvaranas. "Esperamos que entre a tarde de hoje e o dia de amanhã consigamos abastecer todas as salas", informou a pasta.

Com relação à região, Robson comenta que os municípios já se organizaram para buscar as doses. "Desde que as doses chegaram, os municípios já estão vindo buscar e organizaram listas de quantas crianças devem ser vacinadas. Além disso, para o transporte, a vacina precisa estar acondicionada e ser transportada em caminhões com câmaras refrigeradas", destaca o diretor.

Pais devem procurar unidades para imunizar bebês com menos de um ano. (Foto: José Aldinan)

 

Orientação

A vacina deve ser aplicada em bebês com dois, quatro e seis meses com reforço aos 15 meses. A Secretaria da Saúde orienta que os pais devem dar continuidade ao esquema de vacinação até sua conclusão para uma proteção mais eficaz da saúde da criança. A indicação é entrar em contato com as UBS do município de sua residência para verificar a disponibilidade da vacina na região.

"Estamos com o retorno de diversas doenças que nós temos tido no Paraná e em todo o Brasil. Doenças essas que podem ser facilmente evitadas com a simples vacinação que são disponibilizadas gratuitamente pelo Ministério da Saúde", finaliza Robson.

"Estamos com o retorno de diversas doenças que nós temos tido no Paraná e em todo o Brasil. Doenças essas que podem ser facilmente evitadas" - Robson Xavier, diretor da 3ª Regional de Saúde. (Foto: José Aldinan)