Find!

É possível comer bem, mesmo com intolerâncias alimentares?

É cada vez mais comum encontrar pessoas com algum grau de intolerância ao glúten ou à lactose que, para manter a saúde e qualidade de vida, se veem obrigadas a abolir parcial ou completamente do cardápio os alimentos que tragam essas substâncias.

No entanto, ter alguma destas intolerâncias não precisa ser sinônimo de deixar de comer bem. Consultamos a nutricionista Mariana Chiossi Tsuneto para saber um pouco mais sobre o tema e quais alimentos especificamente devem ser evitados. No caso da lactose, que é o açúcar do leite, fica mais fácil identificar o que não comer. Basta evitar leite e derivados. Já o glúten está presente em uma porção maior de alimentos.

"O glúten nada mais é do que uma proteína presente em cereais como o trigo, o centeio, a cevada e a aveia. Isso significa que você estará ingerindo a substância ao comer uma fatia de bolo, um pedaço de pão ou até beber aquela cerveja geladinha. Outros exemplos de alimentos que contém a presença do glúten são massas, granola, e até mesmo alguns chocolates", explica a nutricionista.

O problema dessa proteína, segundo defendem alguns especialistas, é que, uma vez no intestino, o glúten adquire a consistência de uma cola e, tal como um adesivo, ele forra a parede do órgão digestivo, podendo causar uma série de problemas com o passar do tempo.

Mariana explica ainda que os efeitos do glúten são cumulativos e que uma única refeição pode passar inócua, mas, a longo prazo, os problemas começam a aparecer: indisposição, inchaço, gases, dores de cabeça e desequilíbrios gastrointestinais são apenas alguns dos males, que podem ser desencadeados pelo excesso da substância no organismo.

"Vale ressaltar que esses sintomas costumam ser experimentados principalmente por aqueles que são alérgicos ao glúten, isto é, as pessoas celíacas, e cada vez mais encontramos pessoas com esses sintomas de intolerância, visto que a base da alimentação é a farinha de trigo, que foi modificada com o passar dos tempos e fica difícil de digerir", destaca a nutricionista.

Equilibre Seu Metabolismo

Mariana garante que mesmo quem não tem alergia pode sentir os benefícios de uma alimentação sem a substância. Prova disso é que não é difícil encontrar por todo lado adeptos a um estilo de vida sem o componente. "Tirar o glúten ou reduzir da rotina pode reduzir o grau de inflamação do organismo, o que significa, em outras palavras, que o metabolismo retoma ao seu ritmo normal e correto. Isso favorece, entre outras coisas, a perda de peso, reduz as retenções de líquido e mais do que isso: sem a camada de glúten que envolve o intestino, o corpo poderá absorver corretamente os nutrientes ingeridos. Uma combinação perfeita para garantir bem-estar e qualidade de vida".

Fábio Matavelli
Os chefes de cozinha Leocadio Prolik e Kell Nadal mostram que receitas sem glúten e sem lactose também podem ser muito gostosas