É possível economizar na hora de decorar?

 

Divulgação

Nos objetos decorativos, não invista em peças caras, pois saem de moda e também enjoam facilmente

 

 

 

Falar em decoração a preço acessível pode não soar assim tão belo! Segundo a arquiteta e designer de interiores, Mariana Stella Von Kruger, muitas pessoas torcem o nariz ao se falar em decoração com valores mais em conta. “O que vem à cabeça são coisas feitas com caixotes de feira, tecido de chita e sofás de pallet. Nada contra isso, aliás, acho tudo muito legal, e quando bem colocado e combinado, com o estilo do imóvel e o gosto dos moradores, pode resultar em um sucesso”, adianta. Entre as dicas, Mariana destaca que, primeiramente, o conjunto não pode dar a impressão de que tudo foi improvisado. “Com algumas observações é possível identificar em que vale à pena investir e em que vale à pena economizar”, comenta.

Segundo ela, quando se fala em contratar um profissional para decorar, muitas pessoas acham desnecessário e, por vezes, caro. “Muitos acham que o profissional vai decorar como ele acha melhor, mas pelo contrário, o papel do arquiteto e do designer é investigar o gosto e o ‘bolso’ dos moradores, para atender as necessidades e tornar os ambientes agradáveis e funcionais, e muitas vezes, pela experiência, o profissional ajuda em ideias para as mais variadas soluções, muitas vezes até economizando no custo final”, detalha.

Porém, se a família optou por fazer a decoração por conta própria, não há problemas, mas toda atenção é pouca. “É preciso observar sempre os detalhes. Como por exemplo, se o tom da cor de uma cortina é o mesmo do detalhe do desenho das almofadas, e isso tudo a olho, pois as fotos tiradas em máquinas fotográficas ou celulares não garantem tons tão certos. Mas é importante ter esses registros, mesmo que não funcionem para o quesito cor”, avisa. Tirar as medidas do ambiente que se quer decorar é imprescindível. “Anote tudo e pesquise muito. Veja fotos de ambientes semelhantes, vão com toda a informação que conseguir absorver e, o mais importante, aceite opiniões, pois as lojas também colocam à disposição atendentes que normalmente têm muita experiência, e que sabem o que fica bem em diversas situações”, completa.

De acordo com Mariana, há uma dica capaz de fazer com que a decoração pareça mais cara do que realmente tenha custado. “Acredite se quiser mas é possível gastar pouco e fazer algo deslumbrante. Isso exige muita informação, mas é possível. Misturar é a regra de ouro, sejam estilos, acabamentos, cores, enfim, a mistura inteligente faz perdermos a noção do que é mais caro e do que é barato”, garante. Ela reforça que tudo depende da harmonização. “Já fui a centenas de lojas, de diversas cidades, e vi os mesmos objetos com preços completamente opostos, e de acordo com a apresentação e com o ambiente em que estavam eles realmente pareciam valer mais, e esse resultado depende da mistura do plano de fundo com o objeto e com outras peças que o cercam”.

Economia

Em que posso economizar e em que é preciso gastar mais? Quando o assunto é uma reforma, por exemplo, a orientação é investir em qualidade. “Nos acabamentos cerâmicos sempre oriento a evitar modinhas, pois assim como na moda elas são fortes referências de quando a reforma foi feita, pois querendo ou não todo mundo vai com certa frequência às lojas de materiais de construção e acaba sabendo o que está em alta”. Quem busca algo exclusivo e diferente, é preciso saber que custa caro. “Se o desejo for maior, novamente misture peças caras com peças mais em conta para um resultado satisfatório de custo/beneficio”, acrescenta.

Quando o assunto é iluminação, invista em boas luminárias e lâmpadas econômicas. “Isso é inteligente, pois em longo prazo isso se pagará”, contabiliza. É preciso informar-se com o vendedor sobre o pós-venda das fábricas e a garantia, pois normalmente são peças caras.

Quanto aos pisos laminados em madeira, não aposte em nada muito barato. “Os pisos muito baratos na maioria das vezes são muito ruins, mas também não precisa apostar em nada muito caro, pois geralmente a resistência não é assim tão boa. Vale à pena colocar um com preço mediano, que dure tempo satisfatório, para que seja trocado de tempos em tempos, já que hoje a troca é muito prática e fácil”, diz.

Nos objetos decorativos, nada de gastar muito. “Não invista em peças caras, pois saem de moda e também enjoam facilmente”, avisa.  Já nas tintas não economize. “Apesar da manutenção de pintura ser constante, a economia desse produto gera um acabamento ruim, e fica visível que saiu barato”, destaca. E nos móveis, invista mais nas peças maiores. “Aposte alto nos sofás e mesa de jantar, pois dificilmente serão trocadas, e economize nas peças menores”, finaliza.

 

Divulgação

É possível fazer com que a decoração pareça mais cara do que custa