Economia

Empresas brasileiras farão rodadas de negócios no Chile e na Argentina

(Foto: Reprodução)

A Agência de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil) levará ao Chile e à Argentina 63 empresas brasileiras que estão começando a exportar, após passarem por programas de capacitação para o comércio exterior. No Chile, os empresários participarão de rodadas de negócios organizadas pelo Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) no evento LAC Flavors, um dos encontros mais importantes da indústria de alimentos na América Latina e Caribe.

Já na Argentina, haverá rodadas de negócios envolvendo também o setor de máquinas e equipamentos, além de alimentos e bebidas. Algumas empresas participam das duas etapas e outras escolheram visitar apenas um país. Segundo Márcia Nejaim, diretora de Negócios da Apex, a despeito de dificuldades, como a crise econômica na Argentina, o Brasil vem identificando oportunidades de negócios no país vizinho.

“Mesmo com todas as crises que nossos países vêm passando, você continua tendo 50% das nossas exportações para América do Sul”, afirmou Márcia. Ela ressalta que o cenário eleitoral brasileiro também causa incertezas, mas defendeu a necessidade de ter “visão de longo prazo”. “Em comércio exterior, você não pode deixar espaço vazio. Senão, outro vem e ocupa”, declarou.

A diretora de Negócios explica que o número de empresas interessadas em capacitação para exportar tem crescido, o que ela acredita estar relacionado à crise econômica brasileira. “A gente viu em 2014, 2015, 2016, uma procura grande de empresas. Apesar de a economia estar um pouco mais estável, isso continua. Tivemos um recorde de mais de 6 mil empresas este ano. No ano passado, não chegou a 3 mil”.

Márcia Nejaim informou que atualmente a Apex tem 10 escritórios fora do Brasil, em oito países. A China e os Estados Unidos contam com dois escritórios. A agência também conta com um trabalho de inteligência local das embaixadas. A capacitação inicial para quem deseja exportar – o Programa de Qualificação para Exportação (PEIEX) – dura seis meses. Em seguida, a empresa passa por um curso de capacitação específica sobre o mercado no qual tem interesse em ingressar.