Geral

Escola de PG cria ‘Clube da Robótica’

(Foto: Divulgação)

Ponta Grossa conta desde o último ano com o Clube da Robótica. Montado e estruturado no Colégio Integração, o Clube conta com turmas desde o mês de setembro de 2018. “Criamos o primeiro makerspace do município”, exulta o idealizador e graduando do curso de Engenharia da Computação da Universidade Estadual de Ponta Grossa, Evandro Kafka.

Com experiência de mais de seis anos com robótica e três no aprendizado de alunos, Kafka iniciou o seu projeto, que, além de receber crianças de todas as escolas a partir dos 5 anos, conta com consultoria para a execução de protótipos. “Percebi a necessidade desse espaço, pois Ponta Grossa não contava com local em que os makers poderiam trabalhar em um projeto sem fazer uma bagunça danada na mesa da cozinha”, justifica.

Aulas semanais, oficinas de reciclagem de sucata, workshops de impressão em 3D e consultoria farão parte das atividades do Clube da Robótica a partir deste ano. “As aulas já estão iniciando”, conta o professor, que terá, a princípio, sete turmas.

Para Kafka, a inclusão da Robótica no aprendizado das crianças é essencial, já que vivemos em um mundo rodeado de novas tecnologias. “As crianças de hoje não terão como escapar desta realidade no futuro. Com um aprendizado já na infância, elas terão convívio com materiais utilizados na Robótica e conhecimentos de programação, além de ter mais facilidade na resolução de problemas”, destaca, citando que os alunos são estimulados a realizar seus próprios projetos.

Para a criação do Clube da Robótica, a Escola Integração precisou de investimentos. Componentes eletrônicos, placas, ferramentas, e duas impressoras 3D, uma delas, inclusive, montada em sala de aula, com o auxílio dos alunos. “Sempre foi muito difícil encontrar componentes eletrônicos na cidade, e quando encontrava era muito caro. Com o clube nós emprestamos componentes e placas para que os makers testem e analisem a viabilidade de seus projetos”, antecipa.

Conforme o diretor do Colégio Integração, Waldir Uller, a criação do Clube da Robótica vem ao encontro da proposta da instituição educacional. "Queremos oferecer além do que uma escola normal teria. Além do aprendizado tradicional queremos oferecer oportunidades para nossos alunos", justifica, citando outras atividades extras oferecidas por lá, como música e karatê. "A ideia é ser um espaço de referência no desenvolvimento das habilidades do aluno", destaca, falando ainda da facilidade, já que o aluno não precisa procurar atividades forado ambiente escolar.

Sobre o Clube da Robótica, o diretor disse ter um interesse especial, já que também conta com habilidades na área, inclusive no processo da montagem de equipamentos. Para ele, a inserção como disciplina para as crianças "desperta o interesse do aluno para as novidades tecnológica que vem por aí". Uller citou um dos alunos do Clube. "Aqui vemos que é possível, um menino de cinco anos já pode trabalhar com código binário", exulta, citando ainda um dos projetos desenvolvidos pelas crianças no último ano: um aspirador de pó.

O Clube da Robótica já conta com dezenas de alunos, a maioria crianças e adolescentes. “Eles aproveitam as aulas para aprender a programar, tem o primeiro contato com eletrônica, entendem o que é o mundo maker e como poderão usar todos os conhecimento na profissão que decidirem escolher no futuro”, finaliza o professor, lembrando que há possibilidade de aulas em todos os períodos. Para informações sobre o funcionamento do Clube e turmas acesse https://www.facebook.com/clubedaroboticaintegracao/.