Agribusiness

Estado repassa máquinas para recuperação de estradas

O Governo do Paraná investe cerca de R$ 43 milhões na compra de 16 patrulhas para melhorias

O governador Beto Richa e o secretário da Agricultura e Abastecimento, Norberto Ortigara, assinaram  no Palácio Iguaçu, um convênio para o repasse de máquinas da patrulha rural para municípios da região Central do Paraná. O maquinário será utilizado pelo Consórcio Intermunicipal para o Desenvolvimento Sustentável Rural e Urbano, integrado por Boa Ventura de São Roque, Campina do Simão, Cantagalo, Goioxim, Marquinho e Santa Maria do Oeste.

“É mais um exemplo da forte parceria que o nosso governo tem com todos os municípios paranaenses. Sabemos das dificuldades das prefeituras para fazer a manutenção destas estradas, que são municipais e essenciais para a população que mora no campo”, disse o governador.

Ele lembrou que as máquinas e equipamentos que formam as patrulhas são utilizados em adequação, readequação, manutenção e melhorias de estradas rurais, por onde escoa a produção agrícola e também passa o transporte escolar. “A readequação de estradas é muito importante, ainda mais neste momento de fortes chuvas, em que a deterioração é bem maior”, afirmou Richa.

O Governo do Estado está investindo cerca de R$ 43 milhões na compra de 16 patrulhas. Deste total, nove já foram adquiridas, dentro do programa Pró-Rural, executado pelo Governo do Paraná com financiamento do Banco Mundial. Outras sete estão em processo de licitação para serem compradas com recursos próprios do Estado. O convênio com o Consórcio para o Desenvolvimento Sustentável Rural e Urbano faz parte do primeiro lote, do programa Pró-Rural. O repasse das máquinas é feito por meio de termo de cessão de uso, válido por um período de dois anos.

O governador ressaltou que, em sua primeira gestão, 3,2 mil quilômetros de estradas rurais foram readequados por meio do programa Patrulha do Campo. “Com o sucesso, retomamos o programa e de uma maneira ainda melhor, com a aquisição das máquinas que disponibilizamos aos consórcios”, explicou.

Leia mais na edição impressa do DC. 

PUBLICIDADE