Polícia

"Eu amava ela, mesmo tendo feito o que fiz", diz suspeito

Suspeito conversou com jornalistas sobre os motivos que o levaram ao crime (Foto: José Aldinan)

Após prestar depoimento na delegacia, o suspeito de matar a namorada, 24 anos, a facadas conversou com a imprensa que aguardava ao lado de fora da 13ª SDP. Em entrevista, o rapaz alegou que teria descoberto que a moça era garota de programa um mês antes do crime. "Ela chegava em casa com cheiro de álcool e cigarro. Me falava que trabalhava como maquiadora e eu acreditava. Mas peguei uma conversa dela em uma rede social, onde ela marcava encontros. Fiquei sem chão", disse. 

O suspeito disse ainda que tentou conversar com a jovem. "Eu disse que ela estava estudando para uma boa profissão e que era para ela largar isso. Mas naquele dia ela me humilhou, me chamou de 'côrno' e trouxa de uma forma que destruiu a minha mente e me fez fazer isso", comentou. 

Ainda na entrevista, o rapaz disse não estar consciente no momento do crime e que não se recorda do momento em que a sogra também foi atingida. "Estava fora de mim e não lembro quando a mãe dela entrou na frente. A minha mente estava completamente destruída. Com certeza estou arrependido. Apesar de tudo o que eu fiz, ainda amo ela. Sei que quem ama não mata", finalizou o suspeito.

Confira a entrevista do suspeito em vídeo: