Cidades

Febre amarela: Região de PG lidera ranking de mortes de macacos

Morte de animais mantém população em alerta
(Foto: Divulgação / Fiocruz)

O boletim epidemiológico divulgado nesta quarta-feira (22) pela Secretaria de Estado da Saúde confirma sete novos casos de epizootias no Paraná, somando 40 casos confirmados de morte de macacos com febre amarela, enquanto outros 104 seguem em investigação. No último informe de febre amarela, em 14 de janeiro, eram 33.

As epizootias estão distribuídas em 18 municípios de sete regionais de saúde. As novas confirmações foram em: Quatro Barras (1), Rio Negro (1), Mallet (1), Antônio Olinto (1) São Mateus do sul (1) e Cândido de Abreu (2). Os municípios de Balsa Nova (1), Mandirituba (1), Castro (11), Ipiranga (2), Palmeira (1), Piraí do Sul (2), Ponta Grossa (8), São João do Triunfo (1), Imbituva (1), Teixeira Soares (2), Prudentópolis (1) e Sapopema (2) já tinham casos confirmados. Com isso, somente na 3ª Regional de Saúde, foram verificados 25 de todos os casos comprovados no período analisado.

Boletins

O boletim não registra casos de febre amarela em humanos. O Paraná segue em alerta com 15 casos em investigação. O período epidemiológico começou a ser monitorado em julho de 2019 e, desde então, a Secretaria de Estado da Saúde vem fazendo um trabalho efetivo e intensificado de bloqueio sanitário. No período anterior, julho de 2018 e junho de 2019, foram confirmados 17 casos da doença e um óbito.

Vacina

As epizootias confirmam que o vírus está presente nestes locais. Conforme orientação da Sesa, é preciso que a população busque a unidade de saúde mais próxima da sua casa e tome a vacina contra a doença, que está disponível nos 399 municípios. (Com AEN)