Política

Felipe Passos propõe implantação do Parlamento Universitário 

(Foto: Kauter Prado/CMPG)

Semelhantemente ao que já acontece na Assembleia Legislativa do Paraná (ALep), Ponta Grossa deve contar com a aplicação do projeto Parlamento Universitário. É o que propõe  o vereador Felipe Passos (PSDB), por meio do projeto de Lei 261/2019. O objetivo é, segundo ele, que a medida fomente e desperte a consciência política e o interesse dos universitários nas atividades do Poder Legislativo. 
Pela medida, o Parlamento Universitário deve ser composto pelo mesmo número de vereadores que compõem a Câmara Municipal de Ponta Grossa. As atividades devem ser coordenadas pelo Centro Acadêmico Carvalho Santos, do curso de direito da Universidade Estadual de Ponta Grossa - que propôs a iniciativa -; e serão realizadas anualmente durante dois dias da primeira quinzena do mês de julho, mediante prévio agendamento do plenário da Câmara. "O objetivo com a lei é autorizar o centro acadêmico realizar o projeto anualmente, independente de quem serão os vereadores que estejam no mandato", detalha Passos. 
Ele explica que a proposta surgiu após recebimento de ofício do Centro Acadêmico Carvalho Santos, manifestando interesse pelo projeto, inspirado por iniciativa que já acontece no Legislativo estadual. "Pelo projeto, os universitários poderão atuar como vereadores, conforme o regimento interno da Casa. Haverá eleição da Mesa Executiva, apresentação, discussão e votação de projetos. Enfim, os trabalhos serão realizados, por dois dias, como ocorrem normalmente durante as sessões ordinárias", aponta Passos, acrescentando que, embora o curso de direito esteja à frente do projeto, universitários de outros cursos também poderão participar. Pela proposta, caberá ao centro acadêmico estabelecer, conforme regulamento, cronograma, atribuições e demais assuntos relacionados ao funcionamento das sessões do projeto.