Política

"Estamos trabalhando por uma gestão eficiente e com o diálogo", diz Cida

Cida Borghetti (PP) tornou-se, no início de abril, a primeira mulher a ocupar o cargo de governadora do Paraná, com a desincompatibilização de Beto Richa (PSDB) do cargo, conforme prevê a legislação eleitoral, para disputar uma vaga ao Senado. Cida, por sua vez, é pré-candidata a governadora. 
Ao assumir o governo, Cida destacou que deve conduzir seu governo com rigor técnico, disciplina legal, responsabilidade fiscal, honestidade intelectual e idoneidade moral. Em entrevista ao Diário dos Campos, ela destaca ainda que assume o Paraná em um bom momento e o que o Estado é exemplo nacional, com contas públicas saudáveis e obras importantes em todos os municípios. Ela ressalta ainda que com uma gestão eficiente e articulada será possível avançar ainda mais. Confira a entrevista. 

Diário dos Campos - A senhora é a primeira mulher a assumir em definitivo o cargo de governadora do Paraná. O que isso representa?
Cida Borghetti - Primeiro, que, como em outros cargos que assumi, sinto uma grande responsabilidade, sempre foi assim. É uma grande honra. E agora, na missão mais importante da minha trajetória de vida pública, o cargo que assumi exige, sobretudo, grande responsabilidade. Sinto-me preparada para o desafio e conto com o ajuda do povo do Paraná. 

D.C. - Na sua avaliação, a senhora assume o Paraná em um bom momento para poder mostrar o seu potencial enquanto gestora pública?
C.B.- Sim. O Paraná é exemplo nacional, com equilíbrio, contas públicas saudáveis, obras importantes em todos os municípios, atendimento nos setores da Segurança, Saúde, Educação, Infraestrutura, Habitação, enfim em todos os setores. Recuperamos a capacidade e ampliamos os investimentos. Aliás, anunciamos esta semana que o Paraná foi o Estado que mais aumentou os investimentos públicos nos últimos anos. Investimentos que geram empregos, renda e oportunidade sem todas as regiões.
Sou municipalista, quero aumentar as parcerias em todos os 399 municípios. Com uma gestão eficiente e articulada tenho a certeza de que podemos avançar ainda mais.

D.C. -  A senhora já iniciou a mudança do secretariado. Já tem data prevista para anunciar quem estará à frente das demais pastas? Pode nos adiantar alguns nomes. Quem permanecerá?
C.B. - Esses assuntos estão sendo tratados internamente. Teremos bons nomes para os cargos, pessoas preparadas tecnicamente para nos ajudar nessa missão. 

D.C. - Qual será a meta de sua gestão nestes nove meses para o Estado? E qual deve ser seu maior desafio neste período?
C.B. - Vamos manter a boa situação fiscal do Paraná, que possibilita investirmos em todas as regiões e avançar nas políticas sociais. Focar na melhoria da infraestrutura para aumentar a segurança da população e reduzir os custos para o setor produtivo. Mais uma vez, quero reforçar que estamos trabalhando por uma gestão eficiente e com o diálogo franco e aberto com  a sociedade. É o nosso jeito de fazer política, chamar todos à mesa e juntos construir a melhor solução. Essa a semana recebi representantes do G7, fui à Federação das Indústrias do Paraná e ainda me reuni com o sindicato dos professores. 

D. C. - E, falando especificando em Ponta Grossa e Campos Gerais. Quais os projetos, obras e novidades para a nossa região? 
C.B. - Nos últimos anos, Ponta Grossa e os Campos Gerais se consolidaram como o segundo maior polo industrial de nosso Estado. O programa Paraná Competitivo foi um sucesso para a região e será mantido e ampliado. Paralelo aos benefícios e progressos, como geração de empregos e desenvolvimento regional, há também demandas crescentes. Estamos atentos e vamos trabalhar para atendê-las. 
A boa qualidade de vida de Ponta Grossa, e este fato não é novo, é um dos motivos de a cidade estar entre os cem municípios mais populosos do país. 

D.C. - Com a posse, a senhora se consolida como um dos nomes mais competitivos ao Governo do Estado nas eleições de outubro. Qual deve ser o foco da sua campanha?
C.B. - Primeiro, estou preocupada em realizar uma boa e eficiente gestão à frente do governo que assumi. Sei de minha responsabilidade, e estamos trabalhando muito para isso.  O meu partido confirmou a minha pré-candidatura há cerca de dois anos e tenho a certeza de que podemos avançar muito mais. Nosso grupo político tem a marca da gestão eficiente.  
 
D.C. - A senhora já afirmou anteriormente que é pré-candidata ao governo do Estado em qualquer cenário político. Mas, é possível uma aliança com o pré-candidato Ratinho Junior, que também é pré-candidato e integra a base do governo? Esta aliança seria apenas em um segundo turno? 
C.B. - Quem me conhece sabe que sou adepta do diálogo, de construir pontes e unir projetos pelo bem do Paraná. Queremos manter a ampla aliança vitoriosa das eleições de 2010 e 2014. 
 
D.C. - O Brasil vem passando por um momento político muito conturbado e que culminou, recentemente, com a prisão do ex-presidente Lula. Isso tudo gera um descrédito da população em relação aos políticos? De que foram é possível reverter isso?
C.B. - Não se pode generalizar. A democracia é a melhor forma de convivência entre as pessoas e, consequentemente, a melhor forma de governo. Tenho orgulho e satisfação de poder trabalhar pela população do Paraná, de dedicar mais de 20 anos da minha vida em servir à população. Fui presidente voluntária do Provopar em Maringá, chefe do escritório do Paraná em Brasília, deputada estadual por dois mandatos, deputada federal e vice-governadora. Uma carreira com dedicação e amor ao nosso Paraná.
 

"Ponta Grossa e os Campos Gerais se consolidaram como o segundo maior polo industrial de nosso Estado", destaca a governadora