no

Frota de caminhões de Ponta Grossa é a que mais cresce entre as maiores cidades do Paraná

Considerada o maior entroncamento rodoferroviário do Sul do Brasil, Ponta Grossa se aproxima cada vez mais do título de “capital do caminhão”. A cidade é não só um gargalo logístico do estado, mas também uma grande produtora de veículos; desde 2013 sedia a montadora DAF e em breve receberá a primeira unidade da Tatra Trucks de fora do seus país de origem – República Theca –, por exemplo. Somados, esses fatores também resultam em um destaque dos próprios caminhoneiros: entre as cinco maiores cidades do Paraná, Ponta Grossa é a que registra o maior crescimento na frota do veículo tanto no período de cinco anos, quanto no de dez.

O levantamento foi feito pelo Diário dos Campos com base nos dados do Detran, comparando as frotas de caminhões registradas no mês de junho de 2010, 2015 e 2020. Atualmente o município conta com 12.608 veículos deste tipo, 34,3% a mais do que o registrado há 10 anos e 10,7% a mais do que há 5 anos.

Comparando as frotas, proporcionalmente Ponta Grossa ainda fica atrás de Maringá e Cascavel, mas se aproxima do resultado das duas cidades: enquanto que por aqui há aproximadamente um caminhão a a cada 28 pessoas, em Cascavel há 26 e em Maringá 25. O total paranaense é de um caminhão a cada 30 pessoas e o estado soma uma frota de 371.832 veículos.

Motivos

Uma das maiores transportadoras de Ponta Grossa é a Costa Teixeira, que possui aproximadamente quatrocentos caminhões próprios e mais trezentos agregados – modalidade que junta as suas carretas próprias com caminhões terceirizados. Para o empresário Marcos Machado Teixeira, Ponta Grossa está se tornando um polo deste segmento. “A região tem forte presença de empresas de transporte. Temos muitas oficinas e prestadores de serviço voltados ao transporte, e isso faz com que empresas de fora venham fazer serviços na nossa região”, avalia o empresário.

Teixeira atribui o crescimento da frota a dois principais fatores: os resultados da agricultura regional e o desenvolvimento industrial da cidade. “A região é bastante agrícola e viu a produção crescer muito nos últimos anos; isso faz com que haja crescimento paralelo de empresas de transporte”, aponta ele.

“Também nos últimos dez anos, principalmente de cinco pra cá, tivemos a chegada de muitas novas indústrias e a expansão de diversas unidades já instaladas na região, como Tetra Pak, Heineken e Klabin, por exemplo, que não é de Ponta Grossa, mas está perto, além da chegada da Ambev que trouxe uma grande demanda para o transporte e de outras empresas pequenas que chegaram na cidade. A chegada da Daf também contribuiu bastante para esse crescimento e com tudo isso o transporte cresce em conjunto”, completa o empresário da Costa Teixeira.

 

Panorama de mercado

Durante a pandemia o setor de transportes foi considerado indispensável – e, portanto, não parou em nenhum momento. Porém, com a paralisação de indústrias e fechamento do comércio em diversas regiões do país o setor sofreu uma retração; mas, segundo Marcos Teixeira, o mercado já está sendo retomado.

“A gente teve agora uma leve retração em função da nova realidade de covid-19, a economia por si só deu uma segurada. No entanto, já nesses meses de junho e julho estamos vendo o setor de transportes se aproximar de 100% da atuação do passado. Acredito que nesse final de ano, ainda mais se a agente tiver noticia positiva com relação à vacina, o segmento pode retomar o crescimento que vinha tendo”, prevê o empresário.

 

Produção

O mercado também é otimista no sentido da produção de caminhões. A DAF, que começou a operar em Ponta Grossa em 2013, alcançou a marca de dez mil caminhões vendidos no Brasil no mês passado. A planta produz, além dos veículos em si, os seus motores, e vem ampliando a sua atuação na cidade: no ano passado inaugurou o Paccar Financial, instituição financeira do grupo ao qual faz parte, e nas últimas semanas o seu 18º centro de distribuição mundial, o primeiro na América do Sul.

O Grupo Paccar é também um dos maiores acionistas da Tatra Trucks, montadora tcheca que em setembro deve formalizar a sua vinda para a cidade. A empresa fabrica veículos off-road, voltados para as áreas de defesa, construção, mineração, agricultura, óleo, gás e também de uso militar, e já começou a fazer as adaptações necessárias no barracão onde será instalada.

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Carregando…

0

PRF apreende haxixe em rodovia de Irati

Toque de recolher é prorrogado por mais sete dias em Ponta Grossa