Agribusiness

Fumo está ajudando agricultura familiar em Ipiranga

Dos R$ 300 milhões do Valor Bruto da Produção, R$ 90 milhões são provenientes das lavouras de fumo
Produtores aproveitam o mês de agosto para o plantio do fumo (Foto: Divulgação)

O agronegócio em Ipiranga vem sustentando os agricultores na área rural. A informação é do secretário municipal de Administração, Faustino Pereira Filho. Segundo ele, em 2017, o Valor Bruto da Produção Agropecuária (VBPA) atingiu R$ 300 milhões. Deste montante, quase R$ 90 milhões são provenientes do fumo (tabaco) e R$ 80 milhões da soja.

Para o secretário, o investimento no agronegócio é a forma de manter a economia do município, onde dos aproximadamente 15 mil habitantes, 10 mil têm ligação direta com o campo. “A pequena agricultura está se sobressaindo com destaque para o fumo, onde numa área pequena se consegue manter a família”, diz.

Segundo Faustino, o município “vem buscando oferecer benefícios aos produtores como atendimento à saúde e manutenção das estradas vicinais para que o agricultor procure ficar no campo”.

Faustino destaca que a cidade não comporta economicamente os moradores. “O município não é industrial, é essencialmente agrícola”, diz. Ele salienta que enquanto o fumo traz renda para a agricultura familiar, a soja é atividade praticada nas grandes propriedades rurais.

O fumo é vendido para diversas companhias. “A Souza Cruz é a maior, mas tem outras que compram a produção”, conta.

Indústria

De acordo com o secretário, na última terça-feira, 31, ele conversou com um dos diretores da Tirol e foi informado de que o projeto de instalação da indústria em Ipiranga está em fase de conclusão. “Eles estavam aguardando a liberação do IAP que saiu no mês passado”, revela.

Faustino observa que a fábrica deverá entrar em funcionamento no final de 2019. “Será a primeira grande indústria e acreditamos que outras virão”, observa.