Economia

Gestão financeira deve ser reavaliada durante a crise do coronavírus

Micro e pequenos negócios devem se preparar durante momento de instabilidade econômica
(Foto: Fábio Matavelli/Arquivos)

No ano passado as micro e pequenas empresas paranaenses foram responsáveis por 91% do total de novas contratações em todo o estado, conforme aponta um levantamento do Sebrae. Segundo dados da Prefeitura Municipal, em Ponta Grossa 96% de todas as empresas são de pequeno porte e, entre elas, os microempreendedores individuais representam 32% - e justamente este público, juntamente aos trabalhadores autônomos, é quem mais deve sofrer com a crise econômica que está surgindo junto à pandemia do novo coronavírus.

“O pequeno sofre com a falta de capital de giro, que é o que sustenta em um período de decréscimo de compras [devido ao isolamento]”, destacou a coordenadora de fomento ao empreendedorismo e inovação de Ponta Grossa, Tônia Mansani, em entrevista recente ao DC.

Para contornar os impactos da instabilidade financeira gerada pelas medias de contenção à nova doença – que incluem decretos de fechamento de empresas, por exemplo – especialistas têm se manifestado com dicas para auxiliar os empresários neste momento de redução de faturamento e faltas de colaboradores.

O consenso é de que a gestão do negócio deve ser reavaliada para que haja um planejamento mais conciso e efetivo. “A primeira medida é fazer uma previsão das despesas para os próximos dois ou três meses. Se possível, separe esses valores de acordo com o tipo de despesa (aluguel, salários, contas, etc.). Assim, é possível priorizar aquelas fundamentais para a operação do negócio”, recomenda o Sebrae.

“Ao conhecer os valores a pagar nos próximos meses fica mais fácil aplicar as ações corretivas, priorizando os tipos de despesa com maior impacto nos negócios e passíveis de negociação. Aluguel e materiais para produção são as despesas que mais impactam no negócio”, afirma a entidade.

Negociação

A definição de prioridades e a negociação de prazos também são itens citados pela equipe técnica do Sebrae. “Negocie com os fornecedores um aumento nos prazos de pagamento dos seus compromissos. Se tiver dívidas com instituição financeira, procure renegociar visando também aumentar o prazo de pagamento, adequando o valor pago por mês ao seu faturamento”, orienta, lembrando que os maiores bancos do país já anunciaram medidas de apoio, como a prorrogação do vencimento de dívidas e parcelas de financiamentos, tanto para empresas quanto para pessoas físicas, por exemplo.

Estratégias

Promoções, serviços de entrega e maior divulgação em redes sociais são algumas das estratégias citadas pelo Sebrae como ferramentas auxiliares, principalmente durante este período. “O empreendedor pode também tomar providências para aumentar o eu faturamento, como fazer promoção de produtos que estão há muito tempo no estoque, disponibilizar serviços de entrega para manter o nível de compra dos clientes, diversificar e ampliar as formas de pagamento e implementar estratégias de divulgação dos produtos por meio de marketing digital”, diz o material divulgado pela entidade.