Polícia

GM realiza mais de 4 mil atendimentos a cada ano

Perturbação de sossego está entre os mais comuns
(Foto: Arquivo DC)

A Guarda Municipal (GM) de Ponta Grossa realizou, ao longo de todo o ano 2019, 4.104 atendimentos a ocorrências diversas. O número foi levantado pela Secretaria Municipal de Cidadania e Segurança Pública (SMSCP), a pedido da reportagem do DC. Conforme o comandante da GM, Edson Witek, os números apontam que as equipes parecem ter atingido um número médio de ocorrências, que tende a se manter acima dos 4 mil atendimentos ao ano.

“Tivemos um pouco mais de atendimentos em 2018, quando foram pouco mais de 4.500 registros, mas mantivemos número parecidos no ano seguinte, quando foram mais de 4.100 protocolos gerados”, diz. Witek lembra que estão incluídos nesses números os atendimentos feitos a partir de pedidos feitos diretamente a agentes em patrulhamento, os que ocorreram a partir da inciativa do próprio agente, e também por meio das ligações via 153 e 190.

“Como temos um trabalho integrado, às vezes o chamado para o 190 da PM é repassado à Guarda Municipal, ou porque é a viatura mais próxima, ou porque se trata de próprio público municipal, por exemplo, lembra o comandante.

Os números tiveram um salto substancial de 2016 para 2017. Na visão do comandante, foi o momento em que a população passou a fazer mais seu direito de denunciar ilegalidade.

Perturbação de sossego, maus tratos animais e violência doméstica continuam sendo os principais casos que demandam ações da GM em Ponta Grossa. “Importante destacar que o número de ocorrências são todos os chamados abertos. Muitas vezes, com a chegada da GM no local, o fato não chega a ser constatado.

 

Microtráfico

Witek acredita que o maior desafio da GM é o combate ao microtráfico. A Polícia Civil e Polícia Militar também atuam nesse segmento, mas seu aparato de inteligência permite identificar e realizar a apreensão de grande quantidades de entorpecentes, enquanto a GM se concentra no pequeno traficante, normalmente flagrado com 10 ou 15 pedras de crack, por exemplo, prontas para a venda. Apesar do trabalho constante, esses casos continuam ocorrendo com frequência.